SERGIO LADEIRA FURQUIM WERNECK

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: WERNECK, Sérgio
Nome Completo: SERGIO LADEIRA FURQUIM WERNECK

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
WERNECK, SÉRGIO

WERNECK, Sérgio

*const. 1987-1988; dep. fed. MG 1987-1991.

Sérgio Ladeira Furquim Werneck nasceu em Belo Horizonte no dia 15 de julho de 1938, filho do advogado Samuel Eiras Furquim Werneck e de Celuta Ladeira Furquim Werneck. Seu tio Renato Azeredo foi deputado estadual em Minas Gerais (1955-1960 e 1962-1963), subchefe da Casa Civil da Presidência da República no governo de Juscelino Kubitschek (1960-1962) e deputado federal (1963-1983). Seu primo Eduardo Azeredo foi vice-prefeito (1989-1990) e prefeito (1990-1992) de Belo Horizonte e governador de Minas Gerais (1995-1998).

Em 1956, Sérgio Werneck concluiu os estudos secundários no Colégio Estadual de Minas Gerais, na capital, e no ano seguinte iniciou o curso de engenharia civil na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), concluído em 1961. No ano seguinte, tornou-se engenheiro da Prefeitura de Belo Horizonte. Em 1963 ingressou no curso de economia, também na UFMG, que concluiu três anos depois.

Em 1973, assumiu a superintendência do Centro Industrial de Contagem (MG) e, em 1980, o cargo de secretário-adjunto de Obras de Belo Horizonte, exercendo esta última função até 1983. Neste último ano assumiu o cargo de diretor da Companhia de Transportes Urbanos da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Metrobel), função que desempenharia até 1986. Em 1985, tornou-se conselheiro estadual de Transportes de Minas Gerais e membro do Conselho Estadual de Trânsito de Minas Gerais.

No pleito de novembro de 1986, candidatou-se a uma cadeira de deputado federal constituinte, pela legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Eleito, assumiu o mandato em 1º de fevereiro do ano seguinte, participando dos trabalhos da Assembléia Constituinte como membro suplente da Subcomissão da Questão Urbana e Transporte, da Comissão da Ordem Econômica.

Nas votações mais importantes da Constituinte, cuja Carta foi promulgada em 5 de outubro de 1988, foi a favor da pena de morte, da proteção do trabalhador contra despedida sem justa causa, do turno ininterrupto de seis horas, da pluralidade sindical, do presidencialismo, da anistia às dívidas dos micro e pequenos empresários e do mandato de cinco anos para o presidente José Sarney. Votou contra a limitação do direito de propriedade privada, o mandado de segurança coletivo, a legalização do aborto, a remuneração 50% superior para o trabalho em horas extras, a jornada semanal de 40 horas, o aviso prévio proporcional ao tempo de trabalho, a soberania popular, a nacionalização do subsolo, o limite de 12% ao ano para os juros reais, a proibição do comércio de sangue, a limitação dos encargos para a dívida externa, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária e a legalização do jogo do bicho.

Transferindo-se para o Partido Liberal (PL), candidatou-se à reeleição no pleito de outubro de 1990. Não obtendo êxito, deixou a Câmara ao final da legislatura, em janeiro de 1991.

Decidido a não mais disputar cargos eletivos, retornou a Belo Horizonte, onde dedicou-se à empresa de engenharia de sua propriedade. Em 2009 atuava no conselho de administração da AES Eletropaulo.

Fez parte da Organização Brasileira de Engenharia.

Divorciado, teve um filho.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Correio Brasiliense (19/1/87); Folha de S. Paulo (19/1/87); Portal da AES.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados