SILVA, RUI CESAR COSTA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SILVA, Rui César Costa
Nome Completo: SILVA, RUI CESAR COSTA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PEDRO, Erasmo Martins

SILVA, Rui César Costa

*pres. UNE  1979-1980.

 

Rui César Costa Silva nasceu em Ibirataia (BA) no dia 15 de setembro de 1956, filho de Ademário Pereira da Silva e de Gesilda Costa Silva.

Fez o curso primário em sua cidade natal e em Ipiaú (BA) e concluiu o segundo grau como técnico em agropecuária pela Escola Média de Agricultura da Região do Cacau.

Aluno do curso de comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBa), em 1978 foi eleito presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e  permaneceu no cargo até o ano seguinte. Em maio participou do Congresso de Reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE), o 31o congresso da entidade, realizado em Salvador. Desde outubro de 1973 a UNE estava sem diretoria devido ao desaparecimento de Honestino Guimarães, que tinha assumido clandestinamente a presidência com a prisão do último presidente eleito, Jean Marc Van der Weid, no 30o congresso da entidade em 1968 em Ibiúna (SP).

Ao final do 31º Congresso, foi eleito um colegiado que teve como um dos objetivos realizar os preparativos da primeira eleição direta para escolha da diretoria da história da UNE, em outubro de 1979. Apesar do decreto baixado pelo governo federal um dia antes das eleições, proibindo a participação ou representação de Diretórios Centrais de Estudantes ou de Diretórios Acadêmicos em qualquer entidade de representação estudantil em nível estadual ou nacional, 356.722 estudantes de todo o país votaram. Cinco chapas concorreram e a vitoriosa foi a Mutirão, apoiada pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B), então na ilegalidade, sendo eleito Rui César presidente da UNE. Transferiu-se para São Paulo, local escolhido para a sede nacional da entidade, trancando a matrícula no curso de comunicação da UFBa.

Na solenidade de posse da nova diretoria, reafirmou o compromisso de lutar por uma universidade voltada para o interesse do povo, pela anistia atravà9s do desmantelamento do aparato repressivo e punição aos torturadores e pela libertação dos presos políticos. Estiveram presentes ao ato vários ex-presidentes e ex-diretores da UNE, como Aldo Arantes, José Serra e Jean Marc Van der Weid, além de ex-exilados, sindicalistas e parlamentares. Ainda em 1979, realizou conferências em Roma, Paris, Bruxelas e Madri, pela Anistia Internacional, e no ano seguinte, nos congressos da União Internacional dos Estudantes, em Praga e da Juventude Socialista, em Havana.

Deixou a presidência da UNE em fins de 1980, no 32o congresso da entidade, realizado em Piracicaba (SP), que novamente aprovou eleições diretas para a escolha da diretoria, sendo sucedido por Aldo Rebelo, também apoiado pelo PC do B. Nesse ano deixou o movimento estudantil e passou a trabalhar em teatro. Em 1982 foi fundador do grupo Via Magia de Teatro, em São Paulo. Dois anos depois fundou a Escola de Arte-Educação Casa Via Magia, em Salvador, da qual tornou-se sócio-diretor.

Presidente do Sindicato dos Artistas da Bahia entre 1987 e 1990, tornou-se um premiado diretor teatral. Em 1995, assumiu a presidência da Rede Latinoamericana de Promotores de Arte Contemporânea, permanecendo no cargo até o ano seguinte, quando assumiu a presidência da Rede Brasil de Promotores Culturais e da Rede Cultural do Mercosul.

Casou-se com Rose Reies, com quem teve quatro filhos.

 

FONTES: Movimento (8 a 14/10/79); Folha de São Paulo (11/10/79 e 12/10/79); INF. BIOG.; Veja (14/5/86).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados