TEIXEIRA, TARNIER

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TEIXEIRA, Tarnier
Nome Completo: TEIXEIRA, TARNIER

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TEIXEIRA, TARNIER

TEIXEIRA, Tarnier

*pres. UNE 1943.

 

Tarnier Teixeira nasceu em Tupaciguara (MG) no dia 14 de fevereiro de 1919, filho de Longino Teixeira e de Castorina da Cunha Teixeira.

Aluno da Escola Nacional de Química da então Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi eleito secretário-geral da União Nacional dos Estudantes (UNE) durante o quinto congresso da entidade, realizado em setembro de 1942.

Em abril do ano seguinte, Hélio de Almeida, eleito presidente da UNE no mesmo congresso, renunciou ao cargo em protesto contra a Portaria nº 225, baixada pelo ministro da Educação Gustavo Capanema (1934-1945). Essa portaria determinava a criação da Juventude Brasileira, conforme o modelo da juventude fascista italiana, e a sua instalação na própria sede da UNE. Ainda em abril, Tarnier Teixeira assumiu interinamente a presidência da UNE, após comunicado do ministro Capanema informando aos líderes estudantis a disposição de revogar a portaria, desde que Hélio de Almeida não voltasse à presidência da entidade.

A portaria foi parcialmente revogada, retirando da Juventude Brasileira a administração do prédio da UNE e permitindo-lhe que ocupasse apenas uma de suas salas. Em maio de 1943, contudo, após inúmeros incidentes, os estudantes endereçaram um ofício ao ministro da Educação, assinado por 22 de seus líderes, entre os quais Tarnier, no qual rejeitavam definitivamente qualquer coexistência entre a UNE e aquela organização. Esse objetivo foi consumado em seguida, quando a Juventude Brasileira retirou-se do prédio.

Tarnier Teixeira permaneceu na presidência da UNE até o final do mandato, sendo substituído por Hélio Mota, eleito no VI Congresso da UNE, realizado em julho de 1943. Concluindo o curso de química industrial na Universidade do Brasil no final desse ano, transferiu-se para Uberlândia (MG), onde residia sua família e montou uma fábrica de óleos vegetais que abastecia as cidades da região do Triângulo Mineiro.

Em abril de 1970, voltou para o Rio de Janeiro para assumir a superintendência do Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza da UFRJ, onde permaneceu até se aposentar em agosto de 1990.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 24 de novembro de 1992.

Era casado com Maria Aparecida Teixeira.

 

FONTES: INF. Maria Aparecida Teixeira; POERNER, A. Poder; Resistência.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados