URIEL DE RESENDE ALVIM

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALVIM, Uriel
Nome Completo: URIEL DE RESENDE ALVIM

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ALVIM, URIEL

ALVIM, Uriel

*dep. fed. MG 1951-1963 e 1966.

 

Uriel de Resende Alvim nasceu em Belo Horizonte no dia 25 de setembro de 1913, filho do político Sócrates Renan de Faria Alvim e de Armia de Resende Alvim. Seu primo, José Cesário de Faria Alvim, foi deputado durante o período imperial e governador provisório de Minas Gerais (1889-1890), ministro do Interior (1890-1891) e senador constituinte (1890-1891) durante o período republicano. Foi ainda o primeiro presidente constitucional de Minas (1891-1892) e ocupou o cargo de prefeito do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, de 1899 a 1900.

Uriel Alvim cursou o secundário no Ginásio Mineiro de Belo Horizonte. Entre 1936 e 1938, foi prefeito de Poços de Caldas e, no ano seguinte, formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais (UMG), atual Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ainda no mesmo ano, nomeado pelo governador Benedito Valadares (1933-1945), foi o primeiro prefeito do município de Bueno Brandão. Em 1940, retornou à prefeitura de Poços de Caldas, permanecendo no cargo até 1946.

No pleito de janeiro de 1947, elegeu-se deputado à Assembléia Constituinte de Minas Gerais na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Durante o mandato, presidiu a Comissão de Agricultura, Indústria e Comércio (1947-1950) e foi membro da Comissão de Constituição, Legislação e Justiça (1948).

Eleito deputado federal por Minas Gerais em outubro de 1950, ainda na legenda do PSD, deixou a Assembléia mineira em janeiro de 1951, assumindo no mês seguinte uma cadeira na Câmara Federal. Sucessivamente reeleito em outubro de 1954 e em outubro de 1958, sempre na legenda do PSD, foi um dos membros do Bloco Mudancista, formado pelos partidários da transferência da capital federal do Rio de Janeiro para Brasília. No pleito de outubro de 1962, tentou mais uma reeleição, obtendo, no entanto, apenas uma suplência. Como deputado federal, integrou as comissões de Finanças e Orçamento, de Economia e de Constituição e Justiça. Além disso, presidiu uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) criada na Câmara para analisar as conseqüências do represamento dos rios Grande e Sapucaí, tendo em vista a construção da Central Elétrica de Furnas.

Deixando a Câmara ao final da legislatura, em janeiro de 1963, a ela retornou — já então filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instalado no país em abril de 1964 e criado após a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) — no período de 31 de março a 22 de agosto de 1966. Após esta data, deixou a carreira política, assumindo, em seguida, o cargo de consultor jurídico do Departamento Nacional de Obras de Saneamento (DNOS), função através da qual realizou nos Estados Unidos um curso de especialização sobre serviços de abastecimento de água nos centros urbanos.

Uriel Alvim faleceu no Rio de Janeiro no dia 15 de fevereiro de 1972.

Era casado com Efigênia Lessa de Resende Alvim, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967 e 1963-1967); CISNEIROS, A. Parlamentares; COUTINHO, A. Brasil; Rev. Arq. Públ. Mineiro (12/76); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 4 e 6).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados