Valdmir Belinati

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BELINATI, Valdmir
Nome Completo: Valdmir Belinati

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BELINATI, Valdmir

*dep. fed. PR 1979-1983.

 

Valdmir Belinati nasceu em Cornélio Procópio (PR) no dia 4 de junho de 1950, filho de José Mariosi Belinati e de Helena Casemiro Belinati. Seu irmão, Antônio Belinati, foi várias vezes deputado estadual, deputado federal (1975-1977) e três vezes prefeito de Londrina (PR) (1977-1982, 1989-1993, 1997-2000). Sua cunhada, Emília de Sales Belinati, também foi deputada estadual, além de vice-governadora do Paraná entre 1995 e 2003, nas duas gestões do governador Jaime Lerner.

Estudante de medicina na Universidade Estadual de Londrina, começou na política disputando em novembro de 1972 uma vaga na Câmara Municipal dessa cidade na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar vigente no país desde abril de 1964. Foi o mais jovem e o mais votado vereador da história da cidade. Assumiu o mandato em fevereiro de 1973 e formou-se em medicina no final de 1974. Reeleito em novembro de 1976, novamente como o mais votado, no mandato iniciado em 1977 foi líder da bancada do MDB e presidente das comissões de Saúde, Saneamento e Assistência Social, de Redação e de Agricultura. Foi ainda membro da Comissão de Planejamento Urbano e autor do projeto de criação da Comissão de Ecologia e Proteção ao Meio Ambiente, que veio a presidir.

Em novembro de 1978 foi eleito deputado federal pelo Paraná, com a terceira maior votação do MDB. Assumindo o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 1979, presidiu o 1º Simpósio Regional de Ecologia e Proteção ao Meio Ambiente, integrou a Comissão de Relações Exteriores e foi suplente da Comissão de Saúde. Participou ainda de diversas comissões especiais, tendo apresentado trabalhos em simpósios sobre a indústria farmacêutica e a política nacional de saúde. Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a posterior reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1983, sem ter concorrido à reeleição. Em seguida, foi diretor da Companhia Brasileira de Alimentos (Cobal), coordenador de Ciências da Saúde do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e membro da comissão executiva da Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação dos Ministérios da Saúde, da Previdência e da Educação (Ciplan).

Em 1985 ingressou na Johns Hopkins University, em Baltimore (EUA), onde concluiu o mestrado em saúde pública e os créditos do doutorado. Secretário de Saúde (1989-1990) e secretário-geral (1991-1992) da prefeitura de Londrina durante a gestão de Antônio Belinati, seu irmão, assumiu em 1994 a superintendência do Instituto de Previdência do Estado (IPE) no governo de Roberto Requião (1991-1994). Também em 1994, defendeu tese de doutorado sobre avaliação de serviços de saúde na Universidade de São Paulo (USP).

Em janeiro de 1997, quando do retorno do irmão à prefeitura de Londrina, tornou-se diretor da Sercomtel S.A. Telecomunicações, permanecendo no cargo até a cassação do mandato de Antônio Belinati em junho de 2000. Não se candidatou mais a cargos eletivos, dedicando-se ao exercício de suas atividades profissionais como médico cardiologista e angiologista em uma clínica particular na cidade de Londrina.

Publicou Prioridades básicas brasileiras no setor de medicamentos e indústrias farmacêuticas, Doença meningocócica — situação epidêmica no Paraná (1976), Estudo clínico, eletro e epidemiológico da doença de Chagas em doadores de sangue no norte do Paraná (1976), Valor nutritivo dos produtos hortifrutigranjeiros (1980) e Avaliação crítica do aumento da capacidade operativa dos serviços de saúde ao nível primário, Londrina 1986–1992 (tese de doutorado, USP, 1994).

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); Folha de Londrina (23/8/09); INF. BIOG.; Jornal do Estado (20/5/05).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados