VICENTE DE PAULO GALLIEZ

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GALLIEZ, Vicente
Nome Completo: VICENTE DE PAULO GALLIEZ

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GALLIEZ, VICENTE

GALLIEZ, Vicente

*dep. fed. prof. 1935-1937.

 

Vicente de Paulo Galliez nasceu em Petrópolis (RJ) no dia 6 de março de 1903, filho de Carlos Júlio Galliez e de Clara Mendes da Luz Galliez.

Estudou no Externato Santo Antônio Maria Zacarias e, em 1925, bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro. Advogado, comerciante, industrial e segurador, em 1931 tornou-se membro do conselho diretor da Federação Industrial do Rio de Janeiro (FIRJ), cargo que ocuparia até 1936. Um dos fundadores da Confederação Industrial do Brasil (CIB), antecessora da Confederação Nacional da Indústria (CNI), participou de sua sessão de instalação como secretário de mesa, em janeiro de 1933, passando em seguida a ocupar o cargo de secretário-geral da primeira diretoria da entidade.

Em julho de 1933 foi eleito suplente de deputado classista à Assembléia Nacional Constituinte, representando os empregadores da indústria. Em 1934, reconduzido à secretaria geral da CIB, foi afinal eleito deputado federal classista, ainda como representante dos industriais. Assumiu o mandato em maio do ano seguinte e nesse mesmo mês foi mais uma vez eleito secretário-geral da CIB. Ainda em 1935 foi delegado do Brasil à Conferência Interamericana do Trabalho, em Santiago do Chile, desempenhando as mesmas funções em 1936 e 1937 em Genebra, na Suíça. Permaneceu na Câmara dos Deputados até o dia 10 de novembro de 1937, quando, com o advento do Estado Novo, os órgãos legislativos do país foram suprimidos.

Voltou a ser delegado à Conferência Interamericana do Trabalho em 1938, de novo em Genebra, e em 1939, em Havana, Cuba. Entre 1943 e 1945 foi membro do Conselho Nacional do Trabalho. Neste último ano integrou a delegação brasileira à Conferência das Nações Unidas em São Francisco, Califórnia, nos Estados Unidos, cidade à qual retornou em julho de 1948, mais uma vez como delegado brasileiro à Conferência Interamericana do Trabalho. Em 1952 voltou a participar da mesma conferência, dessa vez realizada em Petrópolis. Ainda em setembro desse ano foi membro da delegação brasileira à IV Conferência Hemisférica de Seguros, em Nova Iorque. Entre 1952 e 1956 foi presidente do Sindicato das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização do Rio de Janeiro, cargo que voltaria a ocupar entre 1963 e 1965. Presidiu, em agosto de 1953, a I Conferência Brasileira de Seguros Privados e, um ano depois a V Conferência Hemisférica de Seguros, ambos os eventos realizados no Rio de Janeiro. Entre 1954 e 1956 foi também presidente da Federação Nacional de Seguros Privados e Capitalização e do Centro de Estudos de Seguros Privados e Capitalização, voltando a presidir esta última entidade entre 1963 e 1965.

Foi ainda presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Álcalis, do Sindicato das Indústrias do Rio de Janeiro, do Clube de Seguradores e Banqueiros do Rio de Janeiro e do Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda. Foi superintendente da Sociedade Cooperativa de Seguros Operários em Fábricas de Tecidos e membro do Conselho Superior do Comércio e Indústria, do conselho de representantes da Federação das Indústrias da Guanabara e do Centro Industrial do Rio de Janeiro.

No setor privado, foi presidente da Distribuidora de Comestíveis Disco, da Independência — Companhia de Seguros Gerais, da Mineração Sertaneja, da Brasimet Comércio e Indústria, da Excimbra — Expansão Comercial e Industrial Brasileira, da Fanal — Consultoria, Corretagens, Empreendimentos e Participações e da Planauto — Indústria e Comércio. Foi ainda vice-presidente da Morro de Níquel, além de diretor da Companhia América Fabril, da Companhia Eletroquímica Fluminense, da Companhia de Fiação do Rio de Janeiro, da Companhia Brasileira de Linhas para Coser e da Sisal Rio Hotéis Turismo. Participou também dos conselhos fiscais da Braspérola Indústria e Comércio, da Fábrica de Filó, da Fábrica de Rendas Arp, da Malharia Arp, da Companhia Nacional de Tecidos São Francisco Xavier, da Imobiliária São Francisco Xavier e da Companhia Comissária e Técnica de Tecidos Mallet. Foi vice-presidente da revista Indústria Têxtil.

Faleceu em Teresópolis (RJ), no dia 1º de março de 1988.

Era casado com Leda Ribeiro Galliez , com quem teve uma filha. Contraiu segundas núpcias com Gilda Lúcia de Sousa Witte Galliez, com quem teve um casal de filhos.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. 1934. Anais; Boletim Min. Trab. (5/36): CÂM. DEP. Deputados; CONF. INDUSTRIAL DO BRASIL. Relatório; CONF. NAC. IND.; CONSULT. MAGALHÃES, B.; COUTINHO, A. Brasil; Diário do Congresso Nacional; FED. INDUSTRIAL DO RJ. Relatório; INF. BIOG.; Jornal do Brasil (29/4 e 13/10/76); Personalidades; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; Who’s who in Brazil.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados