WILLIAM DOUGLAS PAWLEY

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PAWLEY, William
Nome Completo: WILLIAM DOUGLAS PAWLEY

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PAWLEY, WILLIAM

PAWLEY, William

*diplomata norte-americano; emb. EUA no Brasil 1946-1948.

 

William Douglas Pawley nasceu em Florence, Carolina do Sul, nos Estados Unidos, no dia 7 de setembro de 1896, filho de Edward Porcher e de Irene Wallace Porcher.

Estudou em colégios particulares em Havana e em Santiago de Cuba. Posteriormente cursou em seu país a Academia Militar de Gordon, na Geórgia.

Agente de uma companhia exportadora, estabeleceu relações comerciais com os países latino-americanos. Empresário, em 1928 foi um dos organizadores da Companhia Nacional Cubana de Aviação, incorporada em 1932 à Pan American Airways. Além da presidência dessa companhia, exerceu a presidência da Intercontinent Corporation, em Nova Iorque. Em 1934 dedicou-se à organização da primeira companhia de transportes aéreos da China, a China National Aviation Corporation, tendo construído as três primeiras oficinas de montagem de aviões naquele país. Instruindo mais de 14.500 jovens hindus na mecânica aeronáutica, implementou a criação, em 1940, da Hindustan Aircraft Manufacturing Company, em Bangalore, na Índia, tornando-se seu presidente.

Ainda em 1940, por ocasião da Segunda Guerra Mundial, organizou no Extremo Oriente, juntamente com o general Claire Chennault, um grupo de pilotos voluntários, conhecidos como os “tigres voadores”, extinto dois anos depois. Em 1944 construiu a primeira fábrica de sulfato de amônia da Índia em Travancore.

Embaixador dos Estados Unidos no Peru de 1945 a 1946, neste último ano foi designado pelo presidente Harry Truman (1945-1953) para ocupar a embaixada americana no Brasil, em substituição a Adolf Berle Junior. Em fevereiro de 1947 recebeu um telegrama confidencial de Allan Dawson, chefe da Divisão de Assuntos Brasileiros do Departamento de Estado norte-americano, sugerindo que a embaixada no Brasil designasse um conselheiro para a comissão criada pelo presidente Eurico Dutra (1946-1951) com o objetivo de redigir um projeto normativo da exploração do petróleo no país. O telegrama sugeria ainda que a embaixada exercesse sua influência discretamente e deixasse o caminho aberto para que, caso o projeto fosse contrário aos interesses dos EUA, o Departamento de Estado e ela própria adotassem uma posição formal. No mês seguinte William Pawley telegrafou ao secretário de Estado norte-americano George Marshall, notificando que havia tomado conhecimento do projeto sobre o petróleo através de informações do ministro da Agricultura, Daniel de Carvalho (1946-1950), e que o mesmo lhe parecia inaceitável. Afirmava ainda que havia procurado o ministro das Relações Exteriores, Raul Fernandes (1946-1951), para solicitar ao Brasil que estudasse os projetos petrolíferos da Colômbia e da Venezuela.

Ainda em setembro de 1947 foi delegado à Conferência Interamericana pela Manutenção da Paz e Segurança Continental, realizada em Petrópolis (RJ). Na ocasião tentou promover um encontro entre George Marshall e o general Pedro Aurélio de Góis Monteiro, preocupado em convencer os líderes militares brasileiros da necessidade de o Brasil possuir uma legislação petrolífera satisfatória e que melhor se adequasse aos interesses das companhias exploradoras. Em 1948 foi delegado à IX Conferência Internacional dos Estados Americanos, realizada em Bogotá, na Colômbia. Nesse mesmo ano deixou a embaixada dos Estados Unidos no Brasil, sendo substituído por Herschell Johnson.

Em 1949 organizou e tornou-se presidente da Autobuses Modernos, em Havana, Cuba. Em 1951 foi assistente do secretário de Estado em Washington, e desse ano até o seguinte assistente da Secretaria de Defesa. Em 1954 voltou a trabalhar no Departamento de Estado.

Membro do Partido Republicano em seu país, foi também proprietário e presidente da Miami Beach Railway Company, da Miami Transit Company, da Clifton Corporation, da Talisman Sugar Corporation, além de diretor da Florida National Bank and Trust Company. Foi ainda diretor da Fundação de Pesquisas George Marshall em Lexington, Virgínia (EUA).

Faleceu em Miami Beach, Flórida (EUA), no dia 7 de janeiro de 1977.

Foi casado com Annie Hahr Dobbs, com quem teve quatro filhos e, em segundas núpcias, com Edna Earle Cadenhead.

 

 

FONTES: CORRESP. EMB. EUA; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; Jornal do Brasil (8/1/77); Veja (26/7/72); Who’s who in America; Who’s who in America with.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados