ALIANCA SOCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALIANÇA SOCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE
Nome Completo: ALIANCA SOCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
ALIANÇA SOCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE

ALIANÇA SOCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE

 

Aliança política rio-grandense-do-norte fundada em setembro de 1934 a partir da união do Partido Social Democrático (PSD) do Rio Grande do Norte com o Partido Social Nacionalista (PSN) do Rio Grande do Norte.

A Aliança Social do Rio Grande do Norte foi criada pouco antes das eleições estaduais de 14 de outubro de 1934 com o objetivo de eleger deputados estaduais em número superior ao Partido Popular do Rio Grande do Norte. Esses deputados participariam da Assembléia Constituinte Estadual de 1935 e elegeriam o futuro governador constitucional do estado. A Aliança Social apoiava a candidatura do interventor Mário Câmara para o governo estadual.

Durante a preparação das eleições, cresceu a popularidade do Partido Popular e aumentaram as violências praticadas contra seus adeptos pela interventoria e por membros da Aliança Social. Os resultados das urnas, acusados de fraudulentos, deram a vitória à Aliança Social. No mês de novembro, um grupo da Aliança Social liderado por Benedito Saldanha invadiu a redação do jornal A Razão, do Partido Popular. No mês de dezembro, após nova invasão, ocorreu o empastelamento do jornal.

Diante da situação de tensão, em 3 de fevereiro de 1935 foram realizadas eleições suplementares, ocorrendo mais uma vez irregularidades na apuração, que garantiram a vitória da Aliança Social. O Partido Popular recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral que determinou o reexame das urnas, através do qual se constatou que cerca de 17 mil votos haviam sido anulados na primeira oportunidade. Com a nova apuração, o Partido Popular elegeu 14 deputados estaduais e três deputados federais, enquanto a Aliança Social elegeu 11 deputados estaduais e dois deputados federais — João Café Filho e Francisco Martins Veras.

Em maio de 1935, o interventor Mário Câmara retirou sua candidatura ao governo do estado, apresentando o nome de Elviro Carrilho para substituí-lo. Em 29 de outubro de 1935, a Assembléia Constituinte Estadual se reuniu e elegeu para governador o candidato do Partido Popular, Rafael Fernandes Gurjão.

Regina Bressane

 

FONTES: BARBOSA, E. História; Diário de Notícias, Rio (23/6, 5 e 30/10/35); Estado de S. Paulo (25/11/34).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados