COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SAO FRANCISCO (CODEVASF)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SÃO FRANCISCO (CODEVASF)
Nome Completo: COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SAO FRANCISCO (CODEVASF)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SÃO FRANCISCO (CODEVASF)

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SÃO FRANCISCO (Codevasf)

 

Empresa pública vinculada ao Ministério do Interior, criada pela Lei nº 6.088, de 16 de julho de 1974, em substituição à Superintendência do Vale do São Francisco (Suvale).

A criação da Codevasf enquadrou-se no II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND), que previa investimentos da ordem de nove bilhões de cruzeiros no vale. A maior parte dessa quantia deveria destinar-se à construção e à manutenção de rodovias. Os recursos a serem utilizados pela Codevasf deveriam provir ainda do Plano de Integração Nacional (PIN) e do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

De acordo com o então presidente da Codevasf, Nilo Peçanha de Araújo Siqueira, até 1981 os projetos da companhia deveriam criar cerca de 165 mil novos empregos, desenvolvendo paralelamente programas sanitários, de educação e de lazer. Além disso, previa-se a ampliação do sistema elétrico regional e a expansão da produção agrícola.

Durante a década de 1980, a empresa iniciou a operação de uma série de projetos de irrigação que buscavam o desenvolvimento econômico e social de áreas atingidas pela seca. Tendo sua implantação iniciada em 1972, o projeto Jaíba, por exemplo, foi operacionalizado a partir de 1988 com o intuito de transformar uma pequena parte do norte de Minas Gerais em um pólo auto-sustentável. Objetivando a diversificação da produção agrícola e agroindustrial, o aumento da produtividade e rentabilidade dos cultivos, e o aumento do número de empregos e da renda na área rural, a Codevasf trabalhou em conjunto com o governo estadual mineiro, com os municípios e com a iniciativa privada, conseguindo bons resultados na primeira etapa do projeto, finalizada totalmente em 1997. Nesta primeira fase do Jaíba, 262km de canais foram construídos para levar água do rio São Francisco até os lotes irrigáveis. Dos 24.075,80ha de área irrigada alcançados na etapa 1, 9.400,80ha foram destinados a pequenos produtores e 14.675ha destinados a empresas.

Além do Jaíba, projetos de irrigação como o Boacica (AL), Senador Nilo Coelho (PE), Formoso (BA) e Lagoa Grande (MG) foram desenvolvidos com sucesso em regiões próximas ao São Francisco.

Em 1999, os principais financiadores dos programas implementados pela Codevasf eram o BIRD, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Agroinvest (empresa húngara), a Financiadora de Máquinas e Equipamentos e o Overseas Economic Cooperation Fund (instituição japonesa). A cooperação técnica era dada, principalmente, pelo Instituto Interamericano de Cooperação, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, pela Organização dos Estados Americanos, pelo Bureau of Reclamation e pela Food and Agriculture Organization of the United Nations.

Vinculada a diversos ministérios desde o momento de sua criação (Ministério do Interior; do Estado Extraordinário para Assuntos de Irrigação; da Agricultura; da Agricultura e Reforma Agrária; da Integração Regional; e do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal), a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco passou a ficar, em agosto de 1999, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional, deixando de vincular-se à Secretaria Especial de Políticas Regionais da Câmara de Políticas Regionais do Conselho de Governo.

Vera Calicchio

FONTES: CODEVASF. Internet; Encic. Mirador; Lei (16/7/74); INF. JOSÉ ANCELMO GÓIS; PIERSON, D. Homem.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados