CONGRESSO NACIONAL REVOLUCIONARIO, I

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CONGRESSO NACIONAL REVOLUCIONÁRIO, I
Nome Completo: CONGRESSO NACIONAL REVOLUCIONARIO, I

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
CONGRESSO NACIONAL REVOLUCIONÁRIO, I

CONGRESSO NACIONAL REVOLUCIONÁRIO, I

 

Encontro realizado entre 15 e 17 de novembro de 1932 no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, com o objetivo de unificar em torno de um programa comum o pensamento e a ação das diversas “correntes revolucionárias” — ou seja, das forças políticas do país vinculadas ao tenentismo. Promovido pela Legião Cívica 5 de Julho, organização liderada pelos “tenentes”, resultou na fundação do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Além da Legião Cívica 5 de Julho, participaram do congresso vários interventores federais nos estados e delegados de organizações como a Legião Paranaense, a Ação Integralista Brasileira (que se retirou antes do final do encontro), o Partido Popular Paulista e o Clube 3 de Outubro, o mais expressivo núcleo do tenentismo após 1930. O estado de Pernambuco se fez representar por seu Comitê Central Revolucionário, criado em julho de 1932 para articular o combate à Revolução Constitucionalista de São Paulo.

Para a presidência do congresso foi eleito Pedro Ernesto Batista, interventor no Distrito Federal. Preso a seus compromissos na prefeitura, Pedro Ernesto não pôde contudo exercer suas funções, sendo substituído pelo vice-presidente do encontro, Juarez Távora, porta-voz do Clube 3 de Outubro.

A comissão coordenadora do congresso foi constituída por Ilca Labarte, Amador Cisneiros, Amoaci Niemeyer e Judite Gouveia. Para facilitar o andamento dos trabalhos, essa comissão propôs a formação de diversas subcomissões técnicas, incumbidas de estudar problemas como a organização de um partido nacional, a sindicalização e a representação de classe. Outras subcomissões analisariam temas ligados às áreas de direito público, imprensa, classes armadas, economia, saúde e legislação social.

Segundo informações da imprensa da época, a reunião transcorreu num clima agitado pelos embates entre idéias e princípios antagônicos. Somente ao final do encontro chegou-se a um consenso que permitiu fixar diretrizes básicas de ação. Essas diretrizes configuraram um programa político que defendia, entre outros pontos, a forma republicana federativa da “união soberana”, o sistema representativo e o regime parlamentar de governo, a eleição indireta para a presidência da República e o Poder Legislativo bicameral, composto de uma câmara política e uma câmara sindical. Esta última deveria ser integrada por representantes patronais (2/5), representantes proletários (2/5) e representantes de profissionais liberais (1/5).

O congresso encerrou-se com a fundação do Partido Socialista Brasileiro, sob cuja bandeira deveriam unir-se os revolucionários de todo o país. Nova sigla para uma idéia constante entre os “tenentes” a partir de 1930 — a de organizar um partido nacional para defender o Governo Provisório de Getúlio Vargas —, o PSB não obteve entretanto a adesão unânime dos revolucionários fiéis a Vargas.

Abertamente contra a orientação do Congresso Revolucionário e do PSB colocou-se na época o Partido Socialista Radical do Maranhão, que considerou a defesa da harmonia entre empregados e empregadores como uma proposta de “socialismo róseo”. Já Juarez Távora diria mais tarde que o PSB resultara da “tendência socialista que se foi acentuando até o fim do congresso”. Lamentaria também que, “por injustificável tolerância”, se tivesse deixado transformar numa “espécie de presidente” da organização, cargo do qual só se “livraria” no começo de 1933.

Com a fixação das eleições para a Assembléia Nacional Constituinte em 3 de maio de 1933, as forças tenentistas — entre as quais o PSB — procuraram mais uma vez se unir, formando a União Cívica Nacional (UCN). Muitas das resoluções do I Congresso Nacional Revolucionário integraram o programa defendido na Assembléia pelos partidos coligados na UCN.

Vera Calicchio

 

 

FONTES: CARONE, E. Tenentismo; PANDOLFI, D. Trajetória; TÁVORA, J. Vida.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados