Otávio Monteiro Aché

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ACHÉ, Otávio
Nome Completo: Otávio Monteiro Aché

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:

ACHÉ, Otávio

*militar; dir. Pess. Ex. 1949-1952.

 

Otávio Monteiro Aché nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 4 de março de 1890, filho do marechal Napoleão Filipe Aché e de Constança Monteiro Aché. Seu irmão, Átila Monteiro Aché, almirante, foi comandante-em-chefe da Esquadra (1951-1953) e chefe do Estado-Maior da Armada (1953-1954).

Estudou na Escola de Guerra de Porto Alegre de 1908 a 1911, quando foi promovido a aspirante de infantaria e transferido para o 53º Batalhão de Caçadores, em Lorena (SP). Do final de 1911 a 1913, serviu no 1º Regimento de Infantaria, no Rio. Prosseguiu seus estudos na Escola Militar dessa cidade de 1913 a 1915.

Em janeiro de 1915, foi promovido a segundo-tenente, passando a servir na 4ª Região Militar, em Niterói, onde ficou até 1917. A partir de então e até 1918, integrou no Rio a comissão de estudos sobre a Primeira Guerra Mundial. Seguiu, então, para a França, ainda durante o conflito, para um estágio de instrução na 151ª Divisão de Infantaria do exército daquele país, passando por diversificado treinamento nas escolas militares de Valbonne, Saint-Cyr e Sables d’Olonne.

Retornou ao Brasil em fevereiro de 1921, já como primeiro-tenente, servindo no Rio, no quartel-general da 1ª Região Militar, de julho a outubro de 1921 e na Comissão de Compras de Animais, de outubro de 1921 a abril de 1922.

Apresentou-se, em seguida, à 8ª Região Militar, onde permaneceu até março de 1923, indo depois para a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Saiu dessa academia em fevereiro de 1924 para a Escola do Estado-Maior.

Em janeiro de 1925, foi promovido a capitão. Encerrou o curso da Escola do Estado-Maior em janeiro de 1928, transferindo-se para a 5ª Região Militar, em Curitiba. Lá permaneceu até abril de 1929.

Serviu no 2º Grupo de Regiões Militares, no Rio, de junho de 1929 a abril de 1931 e desse mês a janeiro do ano seguinte cursou a Escola de Guerra Naval, também no Distrito Federal.

Quando eclodiu a Revolta Constitucionalista de 9 de julho de 1932, era comandante de uma companhia do 6º Regimento de Infantaria, em Caçapava (SP). Aderiu ao movimento e, após sua derrota, sofreu reforma administrativa.

Decretada a anistia em janeiro de 1934, retomou a carreira militar, sendo classificado no Estado-Maior do Exército (EME), no Rio de Janeiro. Promovido a major em agosto de 1934, permaneceu no EME até setembro de 1936, quando foi transferido para a 2ª Região Militar, em São Paulo. Comandou um batalhão do 5º Regimento de Infantaria, em Lorena, de fevereiro a outubro de 1937 e o Batalhão-Escola, no Rio, de outubro desse ano a julho de 1938.

Cinco meses depois, foi promovido a tenente-coronel e voltou ao EME, onde ficou até março de 1939. Assumiu, então, o subcomando do 9º Regimento de Infantaria, em Pelotas (RS), função na qual permaneceu até junho de 1940, quando foi designado chefe de gabinete da Divisão de Infantaria, no Rio. Exerceu esse cargo até setembro de 1942 e no mês seguinte passou a comandante do 13º Batalhão de Caçadores, em Joinville (SC).

Promovido a coronel em dezembro de 1942, em junho de 1943 deixou o 13º BC para assumir o comando do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de São Paulo, onde ficou até julho do ano seguinte. A partir de agosto, assumiu o comando da 1ª Brigada de Infantaria, inicialmente em Maceió e depois em Recife.

Em junho de 1945, deixou o posto na capital pernambucana para retornar mais uma vez ao EME.

Promovido em setembro de 1946 a general-de-brigada, comandou o Destacamento Misto de Santos (SP) e a Guarnição de Santos, São Vicente e Guarujá de abril de 1947 a janeiro de 1949. Em fevereiro, foi nomeado diretor de Pessoal do Exército, permanecendo no cargo até 1952.

Em março de 1952, foi promovido a general-de-divisão e transferido para a reserva como general-de-exército.

Faleceu no dia 23 de janeiro de 1960.

 

 

FONTES: ARQ. MIN. EXÉRC.; CONSULT. MAGALHÃES, B.; CORRESP. SECRET. GER. EXÉRC.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados