PARTIDO LIBERTADOR CARIOCA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PARTIDO LIBERTADOR CARIOCA
Nome Completo: PARTIDO LIBERTADOR CARIOCA

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
PARTIDO LIBERTADOR CARIOCA

PARTIDO LIBERTADOR CARIOCA

 

Partido político do Rio de Janeiro (então Distrito Federal) fundado em 1937 por dissidentes do Partido Autonomista do Distrito Federal, liderados por Jones Gonçalves Rocha. Foi extinto pelo Decreto nº 37, de 2 de dezembro do mesmo ano, após a instauração do Estado Novo.

Logo após a prisão do prefeito Pedro Ernesto Batista, em abril de 1936, intensificou-se a divisão interna dentro do Partido Autonomista. Dois grupos disputavam o controle do partido: o primeiro era liderado por Jones Rocha, aliado e defensor de Pedro Ernesto, enquanto o segundo, de oposição ao prefeito preso, era chefiado pelo padre Olímpio de Melo, que, como presidente da Câmara Municipal,, assumira a prefeitura. O padre Olímpio não obteve o controle total do partido e foi obrigado a enfrentar a oposição de Luís Aranha, Augusto do Amaral Peixoto e Cesário de Melo.

A sucessão presidencial contribuiu ainda mais para aumentar as divergências dentro do Partido Autonomista. O receio de que Pedro Ernesto fosse absolvido e reassumisse o cargo levou o governo central a decretar a intervenção no Distrito Federal em 15 de março de 1937, quando o padre Olímpio de Melo foi nomeado interventor. Por outro lado, a unificação do Partido Autonomista e das correntes políticas do Distrito Federal era imprescindível para que se pudesse processar a escolha do candidato à sucessão de Vargas. Este fato determinou o afastamento do padre Olímpio de Melo da prefeitura e a nomeação de Henrique Dodsworth, um nome capaz de unir todas as forças em torno da candidatura de José Américo de Almeida.

Durante a campanha de 1937, contudo, Jones Rocha, liderando um grupo dissidente favorável ao candidato oposicionista Armando de Sales Oliveira, abandonou o Partido Autonomista e fundou o Partido Libertador Carioca.

Ao sair da prisão, Pedro Ernesto foi pressionado a aderir à candidatura de José Américo, mas optou pelo nome de Armando Sales. Sua decisão foi anunciada durante uma manifestação no Teatro João Caetano, em 29 de setembro de 1937. Nessa mesma ocasião, Pedro Ernesto aceitou a presidência do Partido Libertador Carioca.

Pedro Ernesto foi preso novamente no mês de outubro, quando foi decretado o estado de guerra, e pouco depois o novo partido foi extinto.

Alzira Alves de Abreu

 

 

FONTE: Diário de Notícias, Rio (25/9 e 8/7/37).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados