PARTIDO REPUBLICANO FLUMINENSE (PRF)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PARTIDO REPUBLICANO FLUMINENSE (PRF)
Nome Completo: PARTIDO REPUBLICANO FLUMINENSE (PRF)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
PARTIDO REPUBLICANO FLUMINENSE (PRF)

PARTIDO REPUBLICANO FLUMINENSE (PRF)

 

Partido político fluminense fundado nos primeiros anos da República por Quintino Bocaiúva, Silva Jardim e Deodoro da Fonseca. Dominou a política do estado do Rio de Janeiro durante toda a Primeira República e foi extinto junto com os demais partidos do país pelo Decreto nº 37, de 2 de dezembro de 1937, logo após a instalação do Estado Novo.

 

A Primeira República

Em 1896 o PRF sofreu uma reorganização e passou a ser chefiado por José Tomás da Porciúncula. A partir de 1905, seu mais destacado líder foi Nilo Peçanha, vice-presidente da República de 1906 a 1909 e presidente da República de 1909 a 1910.

Em 1921, lançando a candidatura de Nilo Peçanha à presidência da República, o PRF promoveu a campanha da Reação Republicana contra o candidato situacionista Artur Bernardes. A derrota de Nilo nas urnas em março de 1922 aliada à revolta tenentista deflagrada em julho seguinte permitiu que Bernardes, empossado em novembro, decretasse a intervenção federal no estado do Rio. Essa situação de crise provocou uma cisão no PRF, com o afastamento do grupo “nilista”, que constituiu o Partido Republicano do Rio de Janeiro. Com a morte de Nilo Peçanha em 1924, o desprestígio político desse grupo se acentuou ainda mais.

 

O pós-1930

Ao eclodir a Revolução de 1930, a comissão executiva do PRF era integrada pelo senador Júlio Veríssimo da Silva Santos (presidente), o deputado José de Morais (vice-presidente) e Horácio Magalhães (secretário). A vitória do movimento revolucionário contribuiu para a desestruturação do partido, marcando o início de nova série de dissidências.

Em 1932, tentando reorganizar-se, o PRF apoiou a campanha pela reconstitucionalização do país liderada pela Frente Única Paulista (FUP). Já no mês de junho, entretanto, uma facção chefiada por Alfredo Backer desligou-se do partido para fundar uma nova organização, o Partido Liberal Social Fluminense.

Convocadas as eleições para a Assembléia Nacional Constituinte em maio de 1933, o PRF apresentou uma chapa encabeçada por Manuel Duarte, mas elegeu um único representante, Acúrcio Torres.

Em 1934, novas divergências surgiram dentro do PRF, motivadas pela disputa do poder na direção do partido. A comissão executiva deveria ter sido substituída em junho de 1932, mas, em vista da instabilidade que se seguiu à Revolução de 1930, considerara seu mandato automaticamente prorrogado. Apoiados entre outros por Francisco de Oliveira Botelho, Thiers Cardoso e Norival de Freitas, os dirigentes do PRF foram contestados por um grupo, do qual faziam parte Manuel Duarte, Acúrcio Torres, Galdino do Vale Filho e Miguel de Carvalho, que desejava a total reformulação do partido e a elaboração de um novo programa adequado às condições do país. Sem conseguir chegar a um acordo, o grupo de Manuel Duarte desligou-se do PRF e fundou no mês de maio o Partido Evolucionista do Rio de Janeiro.

Por essa época, os dirigentes republicanos fizeram um apelo a Feliciano Sodré, antigo líder do partido afastado da política, para que retornasse à vida partidária, assumindo a direção do PRF. No mês de agosto foi eleita uma nova comissão executiva, da qual faziam parte Feliciano Sodré, Oliveira Botelho, José de Morais, Thiers Cardoso, Horácio Magalhães, Arnaldo Tavares, Sílvio Rangel, Jaime de Barros, Godofredo Pinto, Mendes Anta e Norival de Freitas.

Nas eleições de outubro de 1934 para a Câmara Federal e a Assembléia Constituinte estadual o PRF não conseguiu eleger nenhum deputado federal e apenas um deputado estadual, Arnaldo Tavares.

Na escolha do candidato ao governo do estado — a Assembléia estadual, além de preparar a Constituição, deveria eleger o governador e dois senadores — o representante do PRF apoiou inicialmente o nome de Raul Fernandes, apresentado pelo Partido Popular Radical (PPR). Essa atitude gerou novos atritos, pois a comissão executiva do PRF declarou que não a havia autorizado. De toda forma, dentro do próprio PPR o nome de José Eduardo de Macedo Soares veio disputar a indicação com Raul Fernandes. Como o PPR precisava do apoio do Partido Socialista Fluminense — que não aceitava Raul Fernandes — um terceiro nome acabou por ser lançado; o do almirante, Protógenes Guimarães, que recebeu o apoio do PRF.

Instalada a Constituinte fluminense em setembro de 1935, Arnaldo Tavares foi eleito presidente da Assembléia. Numa eleição tumultuada, o almirante Protógenes foi escolhido governador.

Assim como os demais partidos, o PRF foi extinto com a instauração do Estado Novo.

Alzira Alves de Abreu

 

 

FONTES: Diário de Notícias (1930-1937); Estado, Rio (1930-1937).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados