PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHAO (PSR)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHÃO (PSR)
Nome Completo: PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHAO (PSR)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:
PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHÃO (PSR)

PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHÃO (PSR)

 

Partido político maranhense, também chamado Partido Socialista Radical dos Trabalhadores do Brasil, fundado em dezembro de 1932.

Seu principal organizador foi Reis Perdigão, que discordava da orientação do Partido Socialista Brasileiro (PSB) desde sua fundação, ocorrida durante o Congresso Nacional Revolucionário, em 15 de novembro de 1932. O ponto principal dessa discordância girava em torno da proposta de socialismo defendida pelos fundadores do PSB nesse congresso, entre os quais figurava Juarez Távora. Essa proposta foi denominada “socialismo róseo”, por defender, entre outros pontos, a necessidade de organização e de harmonia entre empregados e empregadores.

O manifesto-programa do Partido Socialista Radical do Maranhão (PSR), assinado por Reis Perdigão, João Veras, Honório Z. Pedro, Raimundo Bogea, Francisco de Paula Gomes, Manuel Neiva Moreira e Elpídio Dias Pereira surgiu em São Luís em 23 de dezembro de 1932.

O partido propunha que o órgão supremo de poder no país fosse um congresso de representantes dos trabalhadores eleitos por voto secreto e indireto, e que a origem desse poder estivesse nos conselhos municipais compostos de representantes dos sindicatos locais. O país seria denominado República Socialista dos Estados Federados do Brasil.

Os pontos principais do programa do PSR defendiam: 1) a socialização da propriedade privada, mediante o confisco de terras; a solução do problema agrário, com a extinção dos latifúndios; a divisão das terras entre aqueles que as faziam produzir; a organização pelo Estado socialista da cultura coletiva dos campos; a apropriação pelo Estado do solo, do subsolo, das minas e das águas; a libertação do jugo do capital estrangeiro e o não reconhecimento das dívidas externas; a revisão de todos os contratos lesivos aos interesses da coletividade, e a apropriação exclusiva pelo Estado de todos os estabelecimentos industriais e empresas de transportes terrestres, marítimos e aéreos; 2) o imposto único territorial; 3) o trabalho obrigatório; 4) a igualdade da mulher ao homem em todos os seus direitos e deveres sociais; 5) o amor livre e a união sexual baseada exclusivamente nos laços afetivos e ratificada pelo Estado socialista; 6) o divórcio; 7) a extinção de todos os vestígios semifeudais de qualquer natureza, principalmente os preconceitos de nacionalidade, de raça e de religião; 8) o voto secreto; 9) a liberdade de pensamento e de reunião em público; 10) a liberdade de imprensa condicionada à prova das afirmativas; 11) a obrigatoriedade da organização sindical; 12) o reconhecimento de todas as nações que não hostilizassem a República Socialista dos Estados Federados do Brasil; 13) a mudança da capital da República para o centro do território, escolhendo-se um local que facilitasse sua articulação por via férrea com todas as capitais das unidades da Federação, e 14) o serviço militar obrigatório.

Regina Bressane

 

 

FONTES: CARONE, E. Tenentismo; Jornal do Brasil (5/1/33); PARTIDO SOCIALISTA RADICAL DO MARANHÃO. Manifesto; República (23/2/33).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados