Ana Nunes de Almeida

Entrevista

Ana Nunes de Almeida

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memória das Ciências Sociais em Portugal”, desenvolvido com financiamento do Banco Santander, entre janeiro de 2016 e dezembro de 2020, com o objetivo de constituir um acervo audiovisual de entrevistas com cientistas sociais brasileiros e a posterior disponibilização dos depoimentos gravados na internet. Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Vídeo, com consulta no portal

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Celso Castro
Maria das Dores Guerreiro
Antonio Firmino da Costa
Data: 8/1/2020
Local(ais):
Lisboa ; PT ; Portugal

Duração: 1h39min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Ana Margarida de Seabra Nunes de Almeida
Formação:
Atividade:

Equipe


Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Técnico Gravação: Ninna Carneiro;

Sumário: Gabriel Cardoso;

Temas

Atividade acadêmica;
Atividade profissional;
Casamento;
Civilismo;
Cooperação acadêmica;
Desigualdade social;
Direito;
Ensino secundário;
Família;
Formação escolar;
Infância;
João Ferreira;
Magistério;
Moçambique;
Obras de referência;
Portugal;
Pós - graduação;
Revolução dos Cravos (1974);
Socialismo;
Sociologia;

Sumário

Entrevista: 08/01/2020

Origens familiares; origem dos avós; comentário sobre o avô materno Seabra, descendente de António Luiz de Seabra; a infância em Linda-a-Pastora, comunidade rural nos arredores de Lisboa; a mudança para Moçambique, em função do trabalho do pai como médico na Guerra Colonial; o ingresso no colégio St. Julian’s, em Carcavelos; os anos de estudo no Liceu Nacional de Oeiras; o interesse pela física; o 25 de Abril; a saída às ruas de Lisboa; o 1° de Maio; o restante do ano escolar no Liceu de Oeiras; a viragem da física para a sociologia; a filiação ao Partido Socialista; a ideia pelo Direito; o serviço cívico para a Comissão da Condição Feminina; o contato com Leonor Beleza; o trabalho com Maria Isabel Barreno; a relação familiar pós-25 de Abril; a escolha pela sociologia; a admissão na Universidade de Genebra, em 1975; o contato com Madalena Matos; a vida em Genebra; as linhas curriculares do curso de sociologia em Genebra; os professores do curso de sociologia em Genebra; a relação com os professores Jean Ziegler e Jean Kellerhals, seu orientador; comentários sobre as diferenças no ensino da sociologia no tempo da Universidade de Genebra; o aparecimento do tema das lutas urbanas em Portugal; o interesse da entrevistada pelo projeto Saal e pelo rearranjo urbano em Portugal; a volta a Portugal; o ingresso na Associação Portuguesa de Sociologia (APS); o trabalho como colaboradora externa no Gabinete de Investigações Sociais (GIS), antecessor do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL); a entrada no Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE ) como assistente estagiária; a relação com os professores Adérito Sedas Nunes e Pires Cardoso; as aulas ministradas no ISCTE; a contribuição para a sociologia em Portugal; a publicação do livro Do campo à cidade; o interesse pelo tema da família, a partir do ponto de vista das mulheres; o interesse pelas famílias operárias; a influência de João Ferreira de Almeida; o estudo do operariado em Barreiro; a tese de doutoramento; a volta a Genebra e a decisão de seguir os estudos em Portugal; o casamento em 1982; a vida familiar; a relação entre a maternidade e a vida acadêmica; a escolha em continuar no ICS como investigadora; a defesa do doutorado no ISCTE; a fundação do Grupo de Estudos de Sociologia da Família (Gref), em 1987; a ocupação da presidência da APS, de 1994 a 1998; comentários sobre o trabalho de consolidação da sociologia pela APS; as relações da entrevistada com a Associação Internacional de Sociólogos de Língua Francesa; a relação da entrevistada e do Gref com redes internacionais de sociologia, como a Associação Europeia de Sociologia e a Associação Internacional de Sociologia; comentários sobre o segundo Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais; a mudança de área da entrevistada para a sociologia da infância; o trabalho sobre os maus tratos às crianças na família, encomendado pelo Assembleia da República; a participação no colóquio sobre os mundos sociais da infância, em Braga, na Universidade do Minho; o trabalho da entrevistada como pró-reitora na Universidade de Lisboa (UL), de 2006 a 2013; a participação na fusão da Universidade Clássica com a Universidade Técnica Lisboa, originando a Universidade de Lisboa; a criação do Observatório dos Percursos dos Estudantes; comentários sobre a formação dos sociólogos na atualidade, sobretudo os estudantes de doutoramento; comentários sobre o acesso ao ensino em Portugal; os livros marcantes na trajetória da entrevistada; La distinction, de Pierre Bourdieu; L’enfant et la vie familiale sous l’Ancien, Philippe Ariès; Un temps pour embrasser, Jean-Louis Flandrin.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados