Clarissa Eckert Baeta Neves

Entrevista

Clarissa Eckert Baeta Neves

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memória das Ciências Sociais no Brasil”, desenvolvido com financiamento do Banco Santander, entre janeiro de 2016 e dezembro de 2020, com o objetivo de constituir um acervo audiovisual de entrevistas com cientistas sociais brasileiros e a posterior disponibilização dos depoimentos gravados na internet.Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Celso Castro
Data: 28/9/2016
Local(ais):
Porto Alegre ; RS ; Brasil

Duração: 2h12min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Clarissa Eckert Baeta Neves
Formação:
Atividade:

Equipe


Transcrição: Leticia Cristina Fonseca Destro;

Conferência da transcrição: Dirceu Salviano Marques Marroquim ;

Técnico Gravação: Ninna Carneiro;

Sumário: Lilian Moreira de Alcântara;Maíra Lemos;

Temas

Alemanha;
Alfabetização;
Anos 1960;
Bibliografias;
Brasil;
Casamento;
Censura;
Ciência política;
Ciências Sociais;
Congressos e conferências;
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior;
Departamento de Ordem Política e Social - DOPS;
Direitos sociais;
Ensino;
Ensino fundamental;
Ensino primário;
Ensino superior;
Estados Unidos da América;
Etnias;
Europa;
Exílio;
Família;
Favela;
Florestan Fernandes;
Formação de professor;
Formação escolar;
Gênero;
História oral;
Igrejas evangélicas;
Imigração;
Inclusão social;
Infância;
Intelectuais;
Língua portuguesa;
Magistério;
Militância política;
Movimento estudantil;
Movimentos sociais;
Mulher;
Obras de referência;
Partido dos Trabalhadores - PT;
Pedagogia;
Pesquisa científica e tecnológica;
Política;
Portugal;
Pós - graduação;
Programas sociais;
Projetos sociais;
Região Sudeste;
Regime militar;
Religião;
Rio Grande do Sul;
Sociologia;
Teatro;
Teologia;
Terrorismo;
Universidade Federal do Rio Grande do Sul;
Uruguai;
Viagens e visitas;

Sumário

Entrevista: 28/09/2016

Origens: a infância em Tuparendi–RS; as origens familiares alemã-luterana e o aprendizado da língua portuguesa; a mudança para Cachoeira do Sul; os estudos primários; a imigração alemã na região; o casamento interétnico na visão da comunidade local; o namoro com Abilio Baeta Neves; o interesse pela Docência: a opção pela escola normal e clássica; o interesse para continuar estudando no nível superior; a militância nas questões sociais durante a juventude; as palestras na igreja como importante meio de formação e informação; a rede de doações e programas sociais das igrejas evangélicas do Brasil e Estados Unidos; a inspiração do pai para o olhar sobre as questões sociais; o interesse pelo curso de teologia e a recusa da igreja pela questão de gênero; a luta pela aceitação das mulheres no curso de teologia; graduação: o interesse pela sociologia e a escolha pelo curso de Ciências Sociais; a mobilização estudantil em Porto Alegre no final da década de 60; a presença do DOPS na sala de aula e o controle sobre os alunos e professores; o contorno à censura através da compra de livros no Uruguai e a formação de grupos de estudos multidisciplinar sobre temas censurados pelo Regime Militar; a formação dos professores na época; a conciliação entre teoria e pesquisa empírica dentro do curso; a experiência com o professor estrangeiro de metodologia que viria a ser o seu futuro orientador no doutorado; a prática acadêmica como militância política; os contatos com as favelas e os campos rurais através das pesquisas científicas; a participação no projeto de alfabetização de adultos pelo método Paulo Freire; a liderança e o envolvimento na casa de estudante e as atividades com as comunidades ao redor; a sua atuação no teatro; as características compartilhadas pelo estudantes de origem alemã luterana; pós-graduação: a reforma universitária de 69 que inclui a pós-graduação na instituição; a política de desenvolvimento adotada pelo governo no Brasil em relação aos demais governos autoritários; a criação do mestrado em Sociologia e Ciência Política na UFRGS em 1972; o trabalho como professora no jardim de infância e a experiência pedagógica adquirida para docência durante a graduação; o trabalho de pesquisa no SENAC sobre a rede hoteleira em Porto Alegre; o convite para uma nova pesquisa sobre um diagnóstico sobre a pós-graduação brasileira pela CAPES; a vida no Rio de Janeiro; a extensão da pesquisa para o doutorado na Alemanha; o compartilhamento de uma bolsa de doutorado fornecida ao casal de doutorandos e a conclusão do curso; a vida na Alemanha: o planejamento familiar durante o doutorado; a oportunidade do cargo para Professor Assistente na Alemanha e a criação do CELA – Centro de Estudos Latino-Americanos; o conflito no contrato de trabalho com a imigração; a relação étnica e cultural na Alemanha e a receptividade dos brasileiros no exterior; o contexto político da época de mobilizações de esquerda e controle do terrorismo; o contato com outros estudantes na universidade; as bolsas fornecidas as estudantes brasileiros em exílio na Europa; as teorias sociológicas emergentes na Europa: a experiência profissional de frequentar os Congressos e conhecer os grandes intelectuais das Ciências Sociais; as teorias sociais emergentes na época; a imersão intelectual nas inovações e nas releituras teóricas; a cena intelectual em Paris; as discussões político-culturais e ideológicas nas universidades alemãs; a teoria desses autores dentro da sua especialidade no campo da Sociologia da Educação; o encontro com Niklas Luhmann na sua passagem pelo Brasil; as divergências teóricas entre Luhmann e Jürgen Habermas; a volta para o Brasil e a UFRGS: a gravidez longe da família; a volta para o Brasil; a entrevista com Florestan Fernandes para a pesquisa da pós-graduação; a docência na UFRGS; a organização da graduação e o programa da pós-graduação em Ciências Sociais; a docência multidisciplinar na UFRGS; a sociologia clássica, moderna e contemporânea; a escolha do tema de doutorado e a reflexão sobre a implementação da pós-graduação em Ciências Sociais no Brasil; as avaliações do curso sob o olhar da CAPES; a avaliação na graduação; o aprofundamento no campo educacional: o processo de interiorização do Ensino Superior no Brasil; o estudo comparado com a Europa; o estudo da reestruturação das universidades após a queda do muro de Berlim no lado oriental; as diferenças entre os processos e as mobilizações no Brasil e na Alemanha; o estudo e o impacto do “Processo de Bolonha”; a flexibilização do currículo conciliada à mobilidade na Europa; a rediscussão de Bolonha; as publicações em livro e a ANPOCS: a participação no Projeto Fullbright na Califórnia e as peculiaridades do ensino norte-americano; o encontro com o sociólogo Carlos Benedito Martins; a participação dos pesquisadores e estudantes na ANPOCS atualmente; o desenvolvimento acadêmico em Porto Alegre: as instituições de pós-graduação do sudeste e o diálogo com a produção acadêmica de Porto Alegre; a reuniões nas associações dos sociólogos; os contatos e as interlocuções com o sudeste; o desenvolvimento acadêmico em Porto Alegre com o retorno dos profissionais à cidade; as linhas de pesquisa desenvolvidas; a autonomia do desenvolvimento das pesquisas adquiridas nos diversos lugares do Brasil; a sociologia no Brasil: as gerações de pesquisadores nas instituições que descentralizaram os centros de excelência no sudeste; as críticas às pesquisas da sociologia atual; o estudo de novas teorias; a microssociologia e a macrossociologia; o surgimento de associações e temas especializados; as questões recentes na Academia: inter, trans e multidisciplinaridade nos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs); as disciplinas e as pesquisas inter, trans e muldisciplinares; os professores-pesquisadores atualmente e conciliação das funções com o tempo; a falta de discussão sobre a graduação nas universidades; a experimentação de um modelo de aula dialógica ao invés da expositiva; a reformulação do currículo; novas pautas: a educação no Ensino Superior: os projetos educacionais no exterior; a criação de novos cursos no Brasil pelo Reuni no governo petista; a inovação dos campos de estudos; o projeto de estudo do Ensino Superior dos BRICS; as políticas de inclusão social na educação brasileira; os livros que lhe marcaram na trajetória das Ciências Sociais.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados