Helena Vitória dos Santos Machado

Entrevista

Helena Vitória dos Santos Machado

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Movimento Negro no Brasil", desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o South-South Exchange Programme for Research on the History of Development (Sephis), sediado na Holanda, a partir de setembro de 2003. A pesquisa tem como objetivo a constituição de um acervo de entrevistas com os principais líderes do movimento negro brasileiro. Em 2004 passou a integrar o projeto "Direitos e cidadania", apoiado pelo Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) do Ministério da Ciência e Tecnologia. As entrevistas subsidiaram a elaboração do livro "Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC." Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007. A escolha da entrevistada se justificou por ser uma das principais referências do movimento negro no Sul do país.
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC. Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Amilcar Araujo Pereira
Data: 1/12/2006
Local(ais):
Porto Alegre ; RS ; Brasil

Duração: 2h0min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Helena Vitória dos Santos Machado
Nascimento: 9/8/1943; Porto Alegre; RS; Brasil;

Formação: Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1970); curso de especialização em Sociedade, Cultura e Política na América Latina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979-1980).
Atividade: Militante do movimento negro desde a década de 70; participante do Grupo Palmares; participante do Movimento Negro Unificado; fundadora do Grupo Ação Cultural Kuenda; funcionária pública do município de Porto Alegre.

Equipe

Levantamento de dados: Amilcar Araujo Pereira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Amilcar Araujo Pereira;

Transcrição: Amilcar Araujo Pereira;

Conferência da transcrição: Fernanda Corrêa da Silva;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Fernanda Corrêa da Silva;

Temas

Movimento negro;

Sumário

Entrevista: 06/12/2006

Parte 1: Origens familiares; primeiros estudos; detalhes sobre os pais - Claro Conceição Machado e Marion dos Santos; comentários sobre o irmão, Voltaire; trajetória na faculdade de arquitetura entre 1964 e 1970; comentários sobre o Clube do Chá - local de encontro da burguesia negra do Rio Grande do Sul - e a relação com os freqüentadores do Clube; entrada no Grupo Palmares em 1971 e sua trajetória até o fim da década de 1970: participação ativa no processo de construção do 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra; atuação em eventos comemorativos e de divulgação, matérias de jornais como Tição, Zero Hora, O Estado de São Paulo, Folha; entrada no Movimento Negro Unificado (MNU) em 1979; comentários sobre o emprego em um escritório de arquitetura em Santa Catarina e em 1975 na Prefeitura, na Secretaria de Obras; fim do jornal Tição e saída da entrevistada do MNU na década de 1980.


Parte 2: Reflexões sobre as propostas do MNU e uma burocratização gradual do Movimento; comparações entre o Grupo Palmares, o MNU e as ações realizadas pela entrevistada atualmente; observações sobre o trabalho realizado no jornal Tição; convite para participar como militante do movimento negro, de ações governamentais, em 1986; contribuições para a criação da I Semana do Negro e, posteriormente, para a Assessoria do Negro; importância da saída da entrevistada da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) e sua entrada na Cultura para trabalhar em uma só direção: a questão negra; detalhes sobre o trabalho específico da entrevistada na prefeitura; militância no Partido dos Trabalhadores (PT); o papel no núcleo dos professores de Porto Alegre para discutir a questão negra; comparações entre a cidade de Porto Alegre e o estado do Rio Grande do Sul em relação à questão negra; observações sobre o Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (Codene); a criação da Assessoria do Negro, atual Assessoria de Políticas Públicas para o Povo Negro, em 1992, na prefeitura de Tarso Genro; a realização da Semana da Consciência Negra (Secon) pela Assessoria de Políticas Públicas para o Povo Negro; problemas com a Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) que resultaram na saída da entrevistada; a sua passagem pelo Mercado Público seguida pela entrada na Cultura; recordações sobre o Mercado e o trabalho com o Bará (um orixá); papel da entrevistada na Ação Cultural Kuenda, um projeto com comunidades do interior do Rio Grande do Sul: trabalhos no município de Rio Pardo desde a década de 90, no Quilombo de Rincão dos Negros, trabalhos na cidade de Areal através de órgãos públicos como a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), o Ministério do Trabalho a partir de 2000; detalhes sobre o Quilombo de Rincão dos Negros e suas festividades, como a festa de Nossa Senhora da Conceição no dia 8 de Dezembro, a prática do quicumbi (dança de origem africana) e a comemoração do 13 de Maio; avaliações sobre a trajetória da entrevistada desde o início da militância em movimentos, da busca pela intervenção; opiniões sobre as políticas públicas em relação aos quilombolas; relevância da lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira nas escolas; projeto atual: trabalhar com jongo; comentários sobre um trabalho com jongo com o grupo Coisapreta; lembranças da infância e dos primeiros contatos musicais; reflexões sobre o papel do movimento negro na sociedade.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados