Hugo de Faria I

Entrevista

Hugo de Faria I

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e desempenho das elites políticas brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde a sua criação em 1975. Trechos da entrevista foram publicados no livro GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. A entrevista também foi utilizada no livro Jango: as múltiplas faces/ Angela de Castro Gomes, Jorge Ferreira. - Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. 272p.:il. A escolha do entrevistado se justificou pelos cargos de ministro do Trabalho (1954), chefe do Gabinete Civil da presidência da república (1962-1963) e presidente do Banco do Brasil (1964).
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Argelina Figueiredo
Data: 30/6/1982 a 4/3/1983
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 9h10min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Hugo de Araújo Faria
Nascimento: 13/12/1915; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Falecimento: 24/8/1987; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade do Brasil.
Atividade: Ministro do Trabalho (1954); chefe do gabinete civil da presidência da República (1962-1963); presidente do Banco do Brasil (1964).

Equipe

Levantamento de dados: Argelina Figueiredo;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Argelina Figueiredo;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;

Copidesque: Elisabete Xavier de Araújo;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Ignez Cordeiro de Farias;

Temas

Banco do Brasil;
Comunismo;
Estado Novo (1937-1945);
Funcionalismo público;
Getúlio Vargas;
Governo Getúlio Vargas (1951-1954);
Governo João Goulart (1961-1964);
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961);
Hugo Faria;
Jânio Quadros;
João Goulart;
Militares;
Ministério do Trabalho;
Parlamentarismo;
Partido Comunista Brasileiro - PCB;
Partido Trabalhista Brasileiro - PTB;
Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social (1963-1965);
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial;
Sindicatos de trabalhadores;

Sumário

1ª Entrevista: Nascimento (1915); ingresso como escriturário no Ministério do Trabalho (1935); concursos para o serviço público; estudos na Faculdade Nacional de Direito e início da vida profissional; concurso para oficial administrativo (1940); o Conselho Federal de Serviço Público e o Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP); como secretário do Departamento de Administração do Ministério do Trabalho; reforma do ministério em 1944; vida sindical e o Ministério do Trabalho durante o Estado Novo; as delegacias regionais do Trabalho; como delegação regional do Trabalho em Sergipe e na Bahia (1945/51); os sindicatos durante o Estado Novo e no governo Dutra; o Partido Comunista e os sindicatos; o Partido Comunista no Estado Novo; o Movimento Unificador dos Trabalhadores (MUT); Primeiro Congresso Sindical Brasileiro no Rio de Janeiro durante o governo Dutra; substituição do ministro do Trabalho e o fechamento do Partido Comunista (1946/47); intervenção nos sindicatos; o Círculo Operário Católico e os sindicatos na Bahia; combatendo o comunismo como delegado regional do Trabalho em Sergipe e na Bahia; informação e contra-informação no Ministério do Imposto Sindical (CIS) e a Comissão Técnica de Orientação Sindical (CTOS); acumulando os cargos de delegado regional do Trabalho, delegado substituto do Trabalho Marítimo e chefe das delegações da CIS e da CTOS na Bahia; criação dos primeiros núcleos do PTB em Sergipe; o Estado Novo e o serviço público; Getúlio Vargas; as leis sociais e o salário família no governo Vargas; escolha dos delegados regionais do Trabalho; como advogado na Bahia (9151/53); desgaste da popularidade de Vargas; sua escolha para diretor-geral do Departamento Nacional do Trabalho (1953); contra Vargas nas eleições de 1950...........................................................................................................................................1 a 50

2ª Entrevista: Fechamento do Partido Comunista e as intervenções nos sindicatos (1947); comentários sobre o Brasil no início do governo Dutra; CIS, CTOS, informação e contra-informação; o Círculo Operário Católico da Bahia e o combate ao comunismo; sua ação como delegado regional do Trabalho na Bahia; Pereira Lira; o Ministério do Trabalho no segundo governo Vargas; Danton Coelho e Segadas Viana no Ministério do Trabalho; diretor do SESI e de Salinas Margaridas; a Confederação Nacional da Indústria, as federações e os sindicatos patronais; diminuição da popularidade de Vargas; como diretor-geral do DNT; a greve dos marítimos e a nomeação de João Goulart para o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (1953); primeiros contatos com Jango; como chefe do gabinete de Jango (Ministério do Trabalho); o ministro João Goulart e seu estilo político; comentários sobre a extinção do atestado de ideologia; diferenças entre indústria e comércio; as comissões regionais de salário mínimo (1953); Gilberto Crockett de Sá e os sindicatos; mudanças ocorridas no Ministério do Trabalho no período de Jango; os institutos e os dirigentes sindicais; João Goulart e as greves; o Partido Comunista no Brasil...........................................................................................................................................50 a 113

3ª Entrevista: João Goulart; Parlamentarismo (1961); saída de Jango do Ministério do Trabalho; como ministro interino (1954); chefe da Casa Civil e no Banco do Brasil durante o governo de Jango; a questão do salário mínimo (1954); sua carreira no Ministério do Trabalho; primeiros contatos com Getúlio Vargas; despachos com Vargas; Getúlio Vargas; Gregório Fortunato; comentários sobre a transformação do mundo a partir de 1920; implantação do Estado Novo; comparação entre Vargas e suas conseqüências para Hugo Faria; comentários sobre radicalismo; demissão do Ministério do Trabalho e volta para a Bahia (1954); como presidente do Instituto de Fomento Econômico da Bahia e diretor-tesoureiro da confederação da Indústria (1955/59); filiação ao PTB; contatos com Jango durante o governo Juscelino Kubitschek; o Ministério do Trabalho no governo JK; negociando a greve dos bancários (1963); Jango como vice-presidente no governo JK e depois como presidente da República........................113 a 166

4ª Entrevista: Diretor da Salinas Margaridas e segundo-tesoureiro da Confederação Nacional da Indústria (Rio, 1959/61); representante da Federação das Indústrias da Bahia no Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria e no Conselho Nacional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial; diretor do Departamento Internacional do CNI; dedicando-se às atividades privadas; convenção nacional do PTB em junho de 1961; comentários sobre Jânio Quadros e sua renúncia; as forças armadas e Jânio Quadros; posse de Jango; o plebiscito; industriais e militares contra João Goulart; comentários sobre Jango e o poder; greve dos bancários (1963); a questão da intervenção no sindicato dos banqueiros e na Guanabara; crise de março de 1964............................................................166 a 190

5ª Entrevista: A relação entre as classes produtoras e o PTB; diferenças entre indústria e comércio; o plebiscito (1963); as federações de indústrias e o governo Jango; a FIESP, os políticos e plebiscito; programa do gabinete Brochado da Rocha; como subchefe da Casa Civil de setembro de 1961 a janeiro de 1963; campanha a favor do plebiscito e o apoio dos militares; volta ao presidencialismo; saída da Casa Civil; comentários sobre parlamentarismo e autoritarismo...................................................190 a 221

6ª Entrevista: O Plano Trienal e a classe operária; grupos de pressão contra o Plano Trienal; pressões econômicas, financeiras e políticas contra o governo Jango; pedido de decretação de estado de sítio (1963); comentários sobre os missioneiros; como diretor de Redesconto de Mobilização Bancária; negociando a greve dos bancários (1963); o PTB e o apoio a Jango; a esquerda e o pedido de estado de sítio; os militares e a conspiração; posição dos industriais em 1964......................................222 a 252

7ª Entrevista: Denúncias sobre uma possível república sindicalista e de continuismo do governo Jango; comentários sobre os prováveis candidatos à sucessão de João Goulart; João Goulart; Getúlio Vargas; a infância e a família; como aluno do Colégio Santo Inácio; influência dos jesuítas em sua formação; religião; vida profissional após 1964; respondendo a processos e IPMs; dificuldades na vida profissional (1964/69); no Banco Interamericano de Desenvolvimento (Estados Unidos, 1969/77); representante do BID no México (1977/81); general Médici e general Geisel; volta para o Brasil em 1981........................................................................................................................................................253 a 294.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados