Joacil de Brito Pereira

Entrevista

Joacil de Brito Pereira

Entrevista realizada no contexto do projeto "História política da Paraíba: constituição de acervo", desenvolvido em convênio com a Universidade Federal da Paraíba, entre maio de 1978 e agosto de 1980. O projeto previu um intercâmbio das entrevistas produzidas por cada uma das instituições. Esta entrevista foi realizada pela equipe da UFPB e incorporada ao acervo do CPDOC. A escolha do entrevistado se justificou pelas diversas funções públicas que exerceu no Estado da Paraíba.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Eduardo Raposo
Osvaldo Trigueiro do Vale
Data: 31/1/1978 a 2/2/1978
Local(ais):
João Pessoa ; PB ; Brasil

Duração: 5h50min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Joacil de Brito Pereira
Formação: Formou-se em Direito pela Faculdade do Recife.
Atividade: Secretário do Conselho Penitenciário, redator dos anais e debates da Assembléia Legislativa; juiz do Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba; secretário de governo e chefe da casa civil, no governo de Flávio Ribeiro. Foi professor fundador da Escola de Engenharia da Paraíba, tendo lecionado ciências das finanças. Lecionou, ainda na Faculdade de Ciências Econômicas e na Faculdade de Direito; elegeu-se deputado estadual, por duas legislaturas, pela antiga UDN; em 1979, elegeu-se deputado federal pela extinta Arena, sendo reeleito para um segundo mandato, de 1983/1986, integrando a bancada do PDS e a Comissão Interpartidária da Constituinte, sendo seu vice presidente nos anos de 1985 a 1986. Afastado da política, retornou ao magistério, aposentando-se nessa função.

Equipe

Levantamento de dados: Eduardo Raposo;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Eduardo Raposo;

Conferência da transcrição: Sônia Benevides;

Copidesque: Elisabete Xavier de Araújo;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Eduardo Raposo;

Temas

Aliança Liberal (1929);
Argemiro de Figueiredo;
Carlos Lacerda;
Estado Novo (1937-1945);
Golpe de 1964;
João Agripino Filho;
João Goulart;
José Américo de Almeida;
Ligas camponesas (1955-1964);
Partido Social Democrático - PSD;
Partido Trabalhista Brasileiro - PTB;
Pedro Moreno Gondim;
Política estadual;
Redemocratização de 1945;
Reforma agrária;
Rui Carneiro;
União Democrática Nacional;

Sumário

1ª Entrevista: origem familiar; Aliança Liberal; formação escolar; serviço militar; iniciação política; redemocratização de 45; ligação com José Américo de Almeida; luta contra o nazismo e o fascismo; os interventores paraibanos; eleições de 1946; governos udenistas; oratória; Sociedade Literária XV de Novembro; morte de Democrito de Souza Filho; o comício de 29 de outubro, candidato dos estudantes à câmara estadual em 1947; campanha de 1951, o episódio da praça da Bandeira; o acordo interpartidário na sucessão de José Américo de Almeida; a questão entre José Lira e Paulo Dantas; o apoio dos Dantas a José Américo; causas do assassinato de João Pessoa; posição de José Américo diante do evento......................................................................................................................................... 1 a 18

2ª Entrevista: paixões que ainda dividem os liberais e perrepistas na Paraíba de hoje; luta entre João Pessoa e os Dantas; os responsáveis pela invasão do domicílio de João Dantas; apoio dos Dantas à candidatura de José Américo; acordo interpartidário no governo Flávio Ribeiro Coutinho; o rompimento do acordo e oposição do PSD; posição de Rui Carneiro; causas do rompimento do acordo interpartidário; nota governamental "Advertência oportuna"; demissão dos secretários pessedistas; impulso do governo após rompimento interpartidário; doença e licenças de Flávio Ribeiro Coutinho; divisão da UDN entre Argemiro de Figueiredo e João Agripino; ingresso de Argemiro no PTB e rompimento com Flávio Ribeiro Coutinho; ligações de Luis Bronzeado com o coronel Cunha e Lima e com o governador Flávio; Pedro Gondim assume o governo; o PSD no governo; exonerações; as assinaturas dos atos e publicação no Diário Oficial; aspecto jurídico do afastamento do governador do estado; eleição de 1958; reeleição em 1961; candidatura de Pedro Gondim ao governo da Paraíba; adiamento da candidatura João Agripino; campanha de Gondim; PSB; posição da UDN; apoio de Jânio Quadros a Pedro Gondim; governo Gondim; cassação de Pedro Gondim; Ligas Camponesas; trajetória ideológica do entrevistado do Estado Novo à Revolução de 1964; início da organização camponesa na Paraíba; primeiras reivindicações; reformas de base; áreas de localização das Ligas Camponesas e suas principais culturas; composição social dos militantes das Ligas Camponesas; lideranças do movimento camponês; os incêndios nos canaviais; posição atual da Igreja; mortes nos conflitos camponeses; a Associação dos Proprietários Rurais e seu estatuto; orientação política-ideológica das Ligas Camponesas; reforma agrária; mentalidade do proprietário rural nordestino; contatos com elementos do Exército; Assis Lemos e João Goulart; o comício do Dia do Trabalho; tentativa de contato com o presidente João Goulart; o boletim - "Um visitante indesejável"; Argemiro no PTB................ 19 a 42

3ª Entrevista: a tomada de posição quanto a movimento camponês; o assassinato de João Pedro Teixeira e suas repercussões; a bancada esquerdista na Assembléia paraibana; as maneiras de obter votos, o critério proporcional de eleição; a defesa de Agnaldo Veloso Borges; o processo criminal e a luta no plano legislativo; a posição da UDN e do PSD; a CPI sobre o assassinato de João Pedro Teixeira; a campanha dos proprietários e a defesa contra as invasões de terras; os contatos com o governador Gondim; o Exército e Polícia frente à agitação camponesa; a invasão da fazenda de João Meireles; o atrito com o general Augusto da Mata; a Polícia na fazenda João Meireles; a morte de Rubens Régis e o inquérito para apurá-la; a chacina de Mari; as mortes ocorridas nos conflitos camponeses; camponeses desaparecidos; os preparativos para a revolução de 1964; a composição social dos opositores de João Goulart na Paraíba; a composição social na Assembléia estadual paraibana e as chefias nacionais da revolução de 64; a posição da classe média; o enterro dos mortos de Mari; o comício diante do palácio do governo; perfil de João Goulart; os civis adeptos da revolução de 1964 na Paraíba; articulações com os militares revolucionários na Paraíba e em Pernambuco; o dia 31 de março e 1º de abril de 1964; os pistoleiros contratados; contatos dos militares revolucionários com Pedro Gondim; as missões recebidas do comando revolucionário na Paraíba; atitude de Pedro Gondim perante a revolução de 1964; depoimento prestado no IPM sobre os fatos ocorridos na Paraíba; a posição de João Agripino; a restruturação do secretariado de Pedro Gondim; interesses envolvidos na permanência de Gondim no governo; contatos com o governador Carlos Lacerda; a Convenção da UDN em Curitiba; a campanha lacerdista; incompatibilização com alguns elementos da revolução de 1964............................................................................................................................................................. 43 a 82

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados