João Agripino

Entrevista

João Agripino

Entrevista realizada no contexto do projeto "História política da Paraíba: constituição de acervo", desenvolvido em convênio com a Universidade Federal da Paraíba, entre maio de 1978 e agosto de 1980. O projeto previu um intercâmbio das entrevistas produzidas por cada uma das instituições. Trechos da entrevista foram publicados no livro GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. A escolha do entrevistado se justificou por sua trajetória política.
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Eduardo Raposo
Osvaldo Trigueiro do Vale
Data: 12/7/1978 a 15/7/1978
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 11h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: João Agripino Filho
Nascimento: 1/3/1914; Brejo da Cruz; PB; Brasil;

Falecimento: 6/2/1988; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Faculdade de Direito de Recife.
Atividade: Deputado constituinte (1946); deputado federal PB (1946-61); ministro das Minas e Energia (1961); Deputado Federal PB (1961-63); senador PB (1963-66); governador PB (1966-71);ministro do Tribunal de Contas da União- TCU (1972-74); deputado federal PB (1983-87).

Equipe

Levantamento de dados: Eduardo Raposo;Osvaldo Trigueiro do Vale;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Eduardo Raposo;Osvaldo Trigueiro do Vale;

Conferência da transcrição: Reinaldo Roels Júnior;

Copidesque: Reinaldo Roels Júnior;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Reinaldo Roels Júnior;

Temas

Aliança Renovadora Nacional;
Autobiografias;
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico;
Brasília;
Câmara dos Deputados;
Carlos Lacerda;
Crise de 1954;
Elites políticas;
Ernani Sátiro;
Getúlio Vargas;
Golpe de 1937;
Golpe de 1964;
Governo Café Filho (1954-1955);
Governo Castelo Branco (1964-1967);
Governo estadual;
Governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1951);
Governo Jânio Quadros (1961);
Governo João Goulart (1961-1964);
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961);
Humberto de Alencar Castelo Branco;
Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária;
João Agripino Filho;
José Américo de Almeida;
Ministério das Minas e Energia;
Movimento Democrático Brasileiro;
Otávio Mangabeira;
Paraíba;
Parlamentarismo;
Pedro Moreno Gondim;
Petrobras;
Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social (1963-1965);
Política estadual;
Política externa;
Redemocratização de 1945;
Reforma agrária;
Superintendência da Moeda e do Crédito (Sumoc);
Superintendência da Política Agrária;
Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene);
União Democrática Nacional;

Sumário

1ª Entrevista: origens; filiação; a ligação com os Suassunas; Francisco Alves Maia, financiador de estudos; a história do nome João Agripino Filho; os estudos; a família na política; professor em Catolé do Rocha; a oposição dos Saldanhas em Brejo do Cruz; a oposição em Catolé do Rocha; a inimizade entre os Maias e os Suassunas; a reaproximação com os Suassunas; advogado do pequeno proprietário; a pacificação das famílias; a advocacia; a família Maia: ficação das famílias; a advocacia; a família Maia: correligionários de Argemiro Figueiredo; ingresso na política partidária em 1945; participação na campanha de José Américo em 1937; a política estudantil; o golpe de 1937; a fundação da UDN; a candidatura Dutra; de advogado a segundo deputado mais votado da UDN; a luta estudantil contra o nazismo; a subcomissão do poder federativo; a Constituição de 1946; o governo Dutra; Executivo versus Legislativo; a candidatura ao governo da Paraíba em 1946; as primeiras divergências com José Américo; a saída de José Américo da UDN e a fundação do Partido Libertador; a campanha para o governo da Paraíba em 1950; a candidatura Pereira Lira; a senatória em 1946; a campanha para deputado federal em 1946; o episódio da Praça da Bandeira; a segunda legislatura (1950-54); a Banda de Música; os discursos contra José Américo na Câmara.............................................................1 a 50

2ª Entrevista: a cassação do registro do Partido Comunista; o acordo interpartidário no governo Dutra; Otávio Mangabeira; a UDN e o PSD; a legislatura de 1950-54; a Banda de Música; Vargas e a UDN; a tentativa de aprovação do impeachment de Getúlio Vargas; o suicídio de Vargas; o governo Café Filho; o PSD e a UDN; a campanha para governador do Estado em 1955; o acordo UDN-PSD no governo de Flávio Ribeiro Coutinho; apoio à candidatura de José Américo ao Senado em 1958; o rompimento entre Argemiro Figueiredo e João Américo para o Senado em 1958; a indústria da folha falsa e a instauração do inquérito; denúncia a Carlos Pires; a oposição a Juscelino Kubitschek; a comissão de Orçamento e Fiscalização Financeira; a criação do BNDE e da SUDENE; Juscelino Kubistheck; a criação da Petrobrás; a construção de Brasília e a Comissão Parlamentar de Inquérito; a corrupção na construção de Brasília; a Convenção Nacional da UDN e o apoio a Jânio Quadros; Jânio Quadros e a renúncia à candidatura; o projeto de abertura de crédito suplementar para pagamento de estradas de rodagem e estradas de ferro; a campanha para o governo em 1960; inquérito no governo Rui Carneiro; Pedro Gondim e a fundação do PDC; apoio de Jânio Quadros a Pedro Gondim; a criação do Ministério de Minas e Energia; a liderança no governo Jânio Quadros; o Ministério da Educação no governo Jânio Quadros; o convite para o Ministério de Minas e Energia; a implantação do Ministério; a Light; a questão com a Hanna e com a Belgo-Mineira; Jânio Quadros; o grupo de trabalho para estudar a questão da remessa de lucros; a assembléia-geral da Cia. Siderúrgica Nacional; o inquérito sobre o programa de garimpagem; o projeto da lei de remessa de lucros; a questão da emcampação de Capuava; a portaria 204 da SUMOC; a política de aproximação com Cuba; as reuniões de governadores; Jânio e o Congresso; a Bossa Nova da UDN e a Frente Parlamentar Nacionalista; a Ala Moça do PSD; a reforma agrária; a renúncia de Jânio Quadros; a passagem do Ministério para José Medeiros; a volta à Câmara; a posse de Goulart; presidencialismo versus parlamentarismo; as reformas no governo Goulart; o projeto Bocaiúva Cunha; o Plano Trienal; a AMFORP; o PL; o anteprojeto de emenda constitucional de Wilson Martins e Guilherme Macedo; o grupo de trabalho para estabelecer os princípios da UDN; a SUPRA e o INCRA; a visita ao Chile no governo Goulart; João Goulart; o comício do Automóvel Clube; Jango e os governadores da UDN; a sucessão de Jango e a posição de Magalhães Pinto; a posição de Carlos Lacerda; a escolha do primeiro presidente da Revolução de 1964; a conspiração; a hora do golpe; o movimento militar; a candidatura Castelo Branco; as ligações entre Castelo Branco e Carlos Lacerda; o compromisso com Dutra; a renúncia à liderança da oposição; a emenda constitucional de abril de 64; Carlos Lacerda versus Juscelino Kubistchek; a emenda do senador Afonso Arinos; Carlos Lacerda e o perigo da ditadura; o caso da Souza Cruz; o caso da Hanna...................................50 a 181

3ª Entrevista: a campanha para o governo da Paraíba em 1966; os novos partidos; a linha-dura liderada por Carlos Lacerda; a eleição direta; articulações para os novos partidos; a escolha do vice-governador; o apoio do Partido Socialista; as pesquisas de opinião pública; a incompatibilidade entre Castelo Branco e Severino Cabral; a acusação de Luís Bronzeado a Pedro Gondim; a campanha; o ofício do general Paulo Bolívar de Holanda Cavalcanti; General Euler Bentes Monteiro e a questão estudantil; a oposição dos trabalhadores; a questão de Pedro Gondim e Severino Cabral com o general Euler Bentes; a tentativa de impedir a posse de Israel Pinheiro e Negrão de Lima; a escolha do secretariado; orientação política do governo; a expulsão de 100 militares por motivos de violência ou suborno; a luta de famílias em Catolé do Rocha; o espancamento do comerciante em Catolé do Rocha; baile na cidade de Misericórdia; a votação dos camponeses; Ourinho, o criminoso; a implantação da Secretaria de Planejamento; a situação geral da Paraíba antes da posse; a comissão de Desacumulação de Cargos; os recursos decorrentes da Loteria do Estado; o delegado da Polinter; o convênio com a Escola Técnica; os problemas do Banco do Estado; o fortalecimento das empresas do Estado; o abastecimento de água; o plano de Saúde Pública; o sistema de educação; o setor rodoviário; o Hotel Tambaú: a concorrência para a obra; a sucessão presidencial de 1966; a candidatura Cordeiro de Farias; a candidatura Costa e Silva; a visita de Castelo Branco a Campina Grande, indicação de João Agripino para vice-presidência; escolha de Pedro Aleixo; a criação da ARENA na Paraíba; o projeto de agricultura de grupo em Rio Tinto; a cassação de Pedro Gondim e Sílvio Porto; os processos contra Miranda Freire e Humberto Lucena; a cassação de magistrados; Argemiro Figueiredo propõe um acordo com a ARENA; a candidatura de Domício Gondim; a greve na Mattarazzo; a prestação de contas administrativas em praça pública; as causas da popularidade; a apuração de violências; a sucessão estadual; os distritos industriais implantadas no governo João Agripino; o governo Ernâni Sátiro; o rompimento de Ernâni Sátiro; dois militares sugeridos para a sucessão; o convite para ministro do Tribunal de Contas; o trabalho no grupo Newton Rique; a questão com o deputado Álvaro Gaudêncio; a sucessão de Ernâni Sátiro; participação política dos irmãos....................................................................................................................................................181 a 290
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados