Milton Soldani Afonso

Entrevista

Milton Soldani Afonso

Entrevista realizada no contexto do projeto "Golden Cross Assistência Internacional de Saúde: projeto de realização e editoração de entrevistas", desenvolvido em convênio com a Golden Cross Seguradora S.A., no ano de 1995. Um dos objetivos do projeto era a publicação de um livro de entrevistas que, por decisão da empresa, não se concretizou. A escolha do entrevistado foi motivada pelo fato dele ter sido um dos precursores dos planos de saúde no Brasil. Foi presidente da Golden Cross até 1991.
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Ignez Cordeiro de Farias
Luciana Quillet Heymann
Data: 12/4/1995 a 4/5/1995
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 8h15min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Milton Soldani Afonso
Nascimento: 12/12/1921; Nova Lima; MG; Brasil ;

Formação: Faculdade de Direito de Niterói.
Atividade: Presidente da Golden Cross até 1991; responsável pelo Sistema Golden Cross.

Equipe

Levantamento de dados: Ignez Cordeiro de Farias;Luciana Quillet Heymann;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Ignez Cordeiro de Farias;Luciana Quillet Heymann;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Cristiano Santiago de Sousa;

Temas

História de empresas;
Igreja Católica;
Igrejas protestantes;
Instituições de saúde;
Milton Soldani Afonso;
Previdência social;
Seguros;

Sumário

1ª Entrevista: 12.04.95

Fita 1-A: Origens familiares; lembranças dos avós; a atividade profissional dos pais e a peregrinação da família por São Paulo; lembranças dos irmãos; o acompanhamento dos acontecimentos políticos da década de 30; influência da mãe na formação religiosa do entrevistado; o primeiro contato com a Igreja Adventista; o retorno para Roças Novas (MG) e a vida da família nesta cidade; estudos do entrevistado em Roças Novas; ida da família para Belo Horizonte; comentários sobre a ida do entrevistado para São Paulo.

Fita 1-B: Comentários sobre a ida do entrevistado para São Paulo (continuação); breves comentários sobre as viagens do entrevistado pelo mundo; o relacionamento entre católicos e protestantes, na década de 30; relato dos acontecimentos que envolveram a visita de um missionário adventista a Roças Novas; chegada do entrevistado a São Paulo (1936); a convivência no regime de internato do Colégio Adventista Brasileiro; longos comentários sobre a doutrina de Ellen White e a formação da Igreja Adeventista; a rotina e as leituras do entrevistado no colégio; a expulsão do entrevistado do colégio; a opção pela advocacia; relato da participação num protesto contra Getúlio Vargas em São Paulo (1943).

Fita 2-A: A influência esquerdista na formação do entrevistado; a venda de revistas e livros religiosos para complementação de renda, e sua habilidade na atividade; longos comentários sobre as mudanças feitas nas doutrinas cristãs pela Igreja Católica; vida do entrevistado longe da igreja; a simpatia por Getúlio Vargas, antes do ingresso na faculdade; a simpatia pelo avanço de Hitler e Mussolini, na adolescência; a criação de uma editora e de uma gráfica, pelo entrevistado; transferência da Faculdade de Direito de São Paulo para a de Niterói (RJ).

Fita 2-B: O contato com a família; o convite para a direção da Revista Fiscal de Legislação de Fazenda (1960); a aproximação do entrevistado da futura esposa; os critérios da Igreja Adventista para a realização de casamentos; comentários sobre a organização da Igreja Adventista.


2ª Entrevista: 18.04.95

Fita 3-A: Longos comentários sobre o estilo de vida em Roças Novas (MG); as ambições do entrevistado, desde a infância; a aquisição da sede do Hospital Silvestre pela Igreja Adventista; breve comentário sobre o papel de Edgard Mário Berger na evolução do Hospital Silvestre; observações sobre algumas empresas de plano de saúde dos Estados Unidos; a idéia da implantação de plano de saúde no Brasil, e o convite ao entrevistado para a direção do Hospital Silvestre (1961); o plano Garantia de Saúde, do Hospital Silvestre, e seu contrato com a Caixa Econômica Federal; observações sobre a equipe médica do Hospital Silvestre; a criação do plano de saúde Senasa (1963); detalhes sobre o plano Garantia de Saúde; comentários sobre a evolução do plano Senasa; a divergência entre o entrevistado e Edgard Mário Berger, na Senasa; comentários sobre Tito Rezende; a frustração do entrevistado com a saída da Senasa; as resistências às atividades da Senasa; motivos da opção pelo setor administrativo na área de saúde.

Fita 3-B: O público-alvo dos planos Garantia de Saúde e Senasa; resistências às atividades da Senasa; a frustração do entrevistado com a saída da Senasa; a insatisfação dos corretores da Senasa com a liderança de Edgard Mário Berger; a questão da publicidade; comentários sobre o contrato entre a Caixa Econômica Federal e o Hospital Silvestre; o nível social de aceitação do plano Senasa; a simpatia do governo à Senasa; comentários sobre suas viagens pelo mundo, e suas visitas a instituições de saúde; a ausência da filantropia na Senasa; leituras do entrevistado, durante o ginásio; interesse do entrevistado pela política.

Fita 4-A: Breve comentário sobre o trabalho do entrevistado como editor; longos comentários sobre a iniciativa de criação do plano de saúde Golden Cross; a idéia do nome e a criação do logotipo; considerações sobre a criação da Golden Cross como entidade filantrópica; comentários sobre o início da formação do fundo patrimonial, e sobre as dificuldades enfrentadas pela empresa recém-criada; os primeiros planos lançados pela Golden Cross; observações sobre a relação entre Golden Cross, os associados e os médicos credenciados.

Fita 4-B: Observações sobre a relação entre a Golden Cross, os associados e os médicos credenciados; a campanha contra a Golden Cross durante o governo Figueiredo; o declínio da Senasa; considerações sobre o ingresso de militares na direção da Golden Cross; a compra do hospital São Lucas; longos comentários sobre o crescimento da Golden com a compra de hospitais; breve comentário sobre a situação financeira da Golden Cross no governo Sarney; longos comentários sobre as iniciativas para a compra da Amico.

Fita 5-A: As iniciativas para a compra da Amico (continuação); o bloqueio do dinheiro da Golden Cross com a instalação do Plano Collor (1990); problemas de saúde do entrevistado; o desbloqueio do dinheiro e a compra da Amico.


3ª Entrevista: 25.04.95

Fita 5-A (continuação): Longos comentários sobre a organização interna da Golden Cross, nos primeiros meses de funcionamento; o modelo do plano de saúde inicial da Golden Cross; as dificuldades iniciais enfrentadas pela Golden Cross; a importância da Revista de Legislação Federal; a importância da experiência como vendedor; longos comentários sobre a abertura de filiais da Golden Cross.

Fita 5-B: Longo comentário sobre a abertura de filiais da Golden Cross (continuação); breve comentário sobre a reformulação na Golden Cross, em 1972; a natureza da assessoria jurídica da Golden Cross nos primeiros meses de funcionamento; longos comentários sobre a expansão da Golden Cross, a partir de 1972; o declínio da Revista de Legislação Federal; questões sobre as diferenças de preços entre os hospitais; considerações sobre o ingresso de militares na direção da Golden Cross; a campanha na imprensa contra a Golden Cross (1974).

Fita 6-A: A campanha na imprensa contra a Golden Cross (1974); comentários sobre o decreto que limitava às seguradoras a venda do seguro-saúde; a criação da Golden Seller; o modelo de administração dos hospitais da Golden Cross; comentários sobre os filhos; o episódio da transferência do controle da Golden Cross para a Igreja Adventista; breve comentário sobre a transferência da direção da Golden Cross para o general Jourdan (1978)

Fita 6-B: Os problemas com a publicidade; breve comentário sobre a transferência da direção da Golden Cross para o general Jourdan (1978); o encontro com Tancredo Neves; o crescimento da Faculdade de Santo Amaro; a instalação da Golden Cross no Paraguai e a experiência no Chile; novos comentários sobre os problemas com a publicidade; a questão das ações judiciais; a posição do entrevistado na Igreja Adventista; os problemas gerados pelo excesso de consultas e a questão da concorrência.

Fita 7-A: A ocorrência de fraudes; opinião sobre a entrada de capital estrangeiro na área de saúde; a campanha contra a Golden Cross e a investigação na empresa durante o governo Figueiredo.

4ª Entrevista: 04.05.95

Fita 7-A (continuação): Comentários sobre o decreto que limitava às seguradoras a venda do seguro-saúde; a sociedade com o Bradesco; definição de entidade sem fins lucrativos; o registro da Golden Cross como entidade filantrópica; as campanhas na imprensa contra a Golden Cross; a questão da isenção do imposto de renda.

Fita 7-B: O caráter filantrópico da Golden Cross; a compra de empresas pela Golden Cross; o investimento em filantropia; a expansão da Golden Cross fora do Brasil; a criação da Golden Cross como empresa filantrópica; o surgimento da Amil; o lançamento do plano PAI.

Fita 8-A: A questão da confiança no mercado de planos de saúde; as restrições da Susep ao Plano PAI; a questão da assistência aos idosos; considerações a evasão de clientes dos planos de saúde; comentários sobre o plano-empresa; considerações sobre o direcionamento da Golden Cross para os planos individuais; a questão da popularização dos planos de saúde.

Fita 8-B: Opinião sobre a situação da previdência social no país, à época da entrevista; a questão do reajuste em mensalidades; o ônus com a assessoria jurídica; considerações sobre a ausência de regulamentação nos planos de saúde; longos comentários sobre a questão do corporativismo; comentários sobre a criação de uma seguradora, pela Golden Cross; comentários sobre a transferência do controle da Golden Cross para a Igreja Adventista; o organograma da Golden Cross; a questão da sucessão na Golden Cross; comentários sobre a Golden Ticket.

Fita 9-A: Longos comentários sobre a aquisição da Amico; o investimento da Golden Cross na compra de hospitais; os investimentos fora da área de saúde.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados