Aurélio Viana

Entrevista

Aurélio Viana

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memória de um Office na periferia: o Escritório da Fundação Ford no Brasil”, desenvolvido em convênio com a Fundação Ford, entre janeiro de 2011 e julho de 2012, com o objetivo de constituir um acervo de depoimentos histórico-documental sobre os 50 anos da atuação da Fundação Ford no Brasil e a posterior disponibilização dos depoimentos gravados na internet.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Lúcia Lippi Oliveira
Helena de Moura Aragão
Data: 8/7/2011 a 14/7/2011
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 3h23min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Aurélio Viana da Cunha Lima Junior
Formação: Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ (1979-1983);Mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ (1983-1988); Doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ (1990-1997).
Atividade: Pesquisador do CPDOC (1982-1986); Coordenação dos Assentamentos Rurais na Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, SEAB; Assessor do Programa Movimento camponês no Centro Ecumênico de Documentação e Informação, CEDI;Professor Substituto de Antropologia da UFRJ (1993-1994); Professor substituto de Antropologia na UNB (1997-1999); diretor do Instituto de Estudos Socio-econômicos, INESC; Diretor de Programa do Ministério do Meio Ambiente e da Amazonia Legal, MMA (2001-2003); Oficial de Programa da Fundação Ford, FORD (2004- atual).

Equipe

Levantamento de dados: Helena de Moura Aragão;Lúcia Lippi Oliveira;Verônica R. Bevilacqua Otero Spicer;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Helena de Moura Aragão;Lúcia Lippi Oliveira;

Transcrição: Leticia Cristina Fonseca Destro;

Conferência da transcrição: Verônica R. Bevilacqua Otero Spicer;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque; Bernardo de Paola Bortolotti Faria; Bernardo Borges Buarque de Hollanda;

Sumário: Laura Mie de Azevedo Nicida;

Temas

Abertura política;
Amazônia;
Anos 1960;
Atividade profissional;
Aurélio Viana;
Brasília;
Cartografia;
Casamento;
Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento;
Conferência Rio 92;
Congressos e conferências;
Cooperação internacional;
Documentos audiovisuais;
Engenharia;
Ensino superior;
Fundação Ford;
Indios;
Meio ambiente;
Movimento estudantil;
Movimentos políticos;
Organização social;
Organizações não governamentais;
Pesquisa científica e tecnológica;
Políticas públicas;
Pós - graduação;
Produção intelectual;
Questão agrária;
Religião;
Rio de Janeiro (cidade);
Terras indígenas;
Trajetória política;
Universidade de Brasília;
Universidade Federal do Rio de Janeiro;

Sumário

1ª Entrevista: 08/07/2011: Nascimento no Rio de Janeiro e ida para Brasília na década de 60; a graduação em Engenharia Mecânica na Universidade de Brasília e o primeiro contato com o movimento estudantil; a volta para o Rio de Janeiro para terminar a graduação e o envolvimento com o movimento estudantil; a ida para o curso de sociologia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS); a pós graduação, a trajetória no movimento político estudantil e a trajetória profissional; o envolvimento com o movimento religioso presbiteriano; o trabalho no Centro Ecumênico de Documentação e Informação (CEDI); a dissolução negociada do CEDI e o surgimento de 4 novas ONGs; os primeiros contatos com cooperação internacional; debates sobre questões nacionais, internacionais e ambientais após a Rio 92; o envolvimento com questões de terra, o Departamento Nacional dos Trabalhadores Rurais e o movimento dos atingidos por barragens; o convite para a posição de coordenador do Programa de Políticas Públicas do Instituto de Estudos Amazônicos e Ambientais; o processo de organização de seu livro Estratégia dos Bancos Multilaterais do Brasil; o envolvimento com a Rede Brasil e com o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc); o trabalho junto ao Programa Piloto de Proteção à Florestas Tropicais (PPG7); as classificações da Cooperação Internacional; a figura de Rubem César Fernandes dentro do movimento ecumênico; a atuação no Ministério do Meio Ambiente; o casamento com a diretora de cinema Betse de Paula e a produção de dois longa metragens; a relação com a universidade; analise da abertura do Estado brasileiro para a cooperação internacional, multilateral, bilateral em torno do meio ambiente; Mary Allegretti, PPG7, a pré constituição de 88 e os territórios indígenas na Amazônia; o trabalho como consultor no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e a abertura de uma vaga para a Fundação Ford em 2003; o foco da Fundação Ford em relação ao meio ambiente e a proposta de José Gabriel López; o princípio organizacional da Fundação atualmente.
2ª entrevista: 14.07.2011: O processo de seleção na Fundação Ford; a Revolução Verde e o relatório de Shepard Forman; o papel e a importância dos consultores na Fundação; o processo de aproximação da questão indígena e das terras amazônicas; o diferencial proporcionado pela Fundação Ford frente a outras agencias; o programa piloto de proteção às florestas e a atuação do governo brasileiro em relação às cooperações internacionais; aspectos da filantropia nacional dentro e fora do Brasil; a questão dos fundos fiduciários; o conselho de Elizabeth Leeds; a história da cartografia, a questão de demarcação de terras e mapeamento social; o papel das pesquisas universitárias sobre a Amazônia; a importância das ONGs; projetos de sucesso apoiados pela Fundação.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados