Bradford Kingsley Smith

Entrevista

Bradford Kingsley Smith

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memória de um Office na periferia: o Escritório da Fundação Ford no Brasil”, desenvolvido em convênio com a Fundação Ford, entre janeiro de 2011 e julho de 2012, com o objetivo de constituir um acervo de depoimentos histórico-documental sobre os 50 anos da atuação da Fundação Ford no Brasil e a posterior disponibilização dos depoimentos gravados na internet.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Lúcia Lippi Oliveira
Helena de Moura Aragão
Data: 12/1/2012
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 1h25min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Bradford Kingsley Smith
Formação: M.A. em economia na New School for Social Research em Nova York e B.A. em antropologia e etnomusicologia na Universidade de Michigan.
Atividade: Atualmente é presidente da Foundation center e trabalhou na Fundação Ford no Brasil e nos Estados Unidos.

Equipe

Levantamento de dados: Helena de Moura Aragão;Lúcia Lippi Oliveira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Helena de Moura Aragão;Lúcia Lippi Oliveira;

Transcrição: Liris Ramos de Souza;

Conferência da transcrição: Verônica R. Bevilacqua Otero Spicer;

Técnico Gravação: Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Sumário: Laura Mie de Azevedo Nicida;

Temas

AIDS(doença);
Atentados de 11 de setembro (USA);
Atividade profissional;
Bolsas de estudo e de pesquisa;
Brasil;
Cooperação internacional;
Ditadura;
Estados Unidos da América;
Finanças públicas;
Fundação Ford;
Fundação Getulio Vargas;
Internet;
Mídia;
Organizações não governamentais;
Perseguição política;
Segurança pública;

Sumário

Entrevista 12 de janeiro de 2012: O nascimento na Califórnia; o início da carreira internacional no Young Men's Christian Association (YMCA); a formação em etnomusicologia; a ida para a Fundação Interamericana e o início do envolvimento com o Brasil; a expulsão da Fundação Interamericana do Brasil; a contratação em 1991 para a Fundação Ford como Program Officer na área de governance; a volta para Nova Iorque e a atuação como presidente do Foundation Center; a relação com Peter Spink e a evolução dos programas na área de governance no Brasil; a linha de projetos na área de transparência no orçamento; o trabalho com a Fundação Getúlio Vargas junto com uma rede de ONGs; os primeiros momentos na função como program officer; a importância dos consultores na Fundação e a atuação de David Plank e Edward Telles; a imagem da Fundação Ford no Brasil; a importância da diversidade para a Fundação Ford; a importância do programa sobre HIV-Aids do escritório do Brasil; o trabalho como representante da Fundação Ford; o apoio no campo de Segurança Pública e trabalho de Elizabeth Leeds; o programa de bolsas da Fundação Ford; o convite de Susan Berresford para a vice-presidência da Fundação; a atuação no programa de Paz e Justiça Social; a variação da questão política norte-americana e os impactos na Fundação Ford; o caso da Conferência de Durban e o impacto do 11 de setembro de 2001 na Fundação Ford; o uso da internet pelos grantees e pela Fundação Ford; a atuação profissional e a rede de contatos após a saída da Fundação Ford; a Fundação após a sua saída; o interesse do Brasil na cooperação internacional; o foco da Fundação Ford em mídia e internet; os casos de auxílio a perseguidos políticos durante a ditadura militar no Brasil.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados