Hilda Ulbrich Schützer

Entrevista

Hilda Ulbrich Schützer

Entrevista realizada no contexto do projeto "A propaganda brasileira: trajetórias e experiências dos publicitários e das instituições de propaganda", desenvolvido pelo CPDOC por iniciativa da ABP - Associação Brasileira de Propaganda e com apoio da Souza Cruz S.A., entre março de 2004 e fevereiro de 2005. Um dos objetivos do projeto foi dar início à constituição de um acervo de entrevistas sobre a história da propaganda brasileira, ouvindo publicitários que tiveram atuação destacada a partir da segunda metade do século XX. Notas das entrevistas elaboradas por Anna Carolina Meirelles da Costa, Ilana Strozenberg, Luciana Quillet Heymann, Luisa Lamarão, Maurício Xavier, Regina Santiago e Verena Alberti. A escolha da entrevistada se justificou por ter sido a primeira mulher a presidir uma grande agência de propaganda no Brasil.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Luciana Quillet Heymann
Ilana Strozenberg
Data: 14/7/2004
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 2h55min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Hilda Ulbrich Schutzer
Nascimento: 5/8/1927; São Paulo; SP; Brasil;

Formação: Formada em Contabilidade pela Escola de Comércio 30 de outubro.
Atividade: Secretária da Agência Grant Advertisement; assistente de publicidade na J. Walter Thompson. Publicitária, em 1978 tornou-se presidente da CBBA, sendo a primeira mulher a presidir uma grande agência de propaganda do Brasil. Foi diretora da Associação Brasileira de Agências de Propaganda (ABAP); membro do Conselho de Ética do Conar e da Federação Nacional de Agências Propaganda do Brasil (FENAPRO). Presidente da associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de São Paulo (1985).

Equipe

Levantamento de dados: Regina Santiago;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Regina Santiago;

Transcrição: Aline Torres;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Luisa Quarti Lamarão;

Temas

Associação Brasileira das Agências de Publicidade (ABAP);
Associação Brasileira de Propaganda (ABP);
Associações empresariais;
Comunicação de massa;
Congressos e conferências;
Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar);
Diretas já (1984);
Estados Unidos da América;
Família;
Marketing;
Mercado;
Mulher;
Processo judicial;
Propaganda;
Propaganda política;
Publicidade;
Recursos humanos;
Televisão;
Veículos de comunicação;

Sumário

Entrevista: 13.07.2004

FITA 1-A
Origens familiares; comentários sobre a primeira experiência profissional na empresa de propaganda Grant Advertising; lembranças do trabalho na empresa Thompson; breve consideração acerca das primeiras mulheres publicitárias; recordações do estágio na Thompson de Nova Iorque (1958).

FITA 1-B
Recordações do estágio na Thompson de Nova Iorque (1958); lembranças da campanha dos colchões Probel; dificuldades de realização de propagandas ao vivo na televisão; comentários sobre Renato Castelo Branco; críticas aos privilégios que os funcionários americanos tinham na Thompson do Brasil, em relação aos profissionais brasileiros, e comentários sobre a ação judicial que moveu contra a empresa.

FITA 2-A
A criação da agência Castelo Branco Borges Associados - CBBA (1971); a compra de ações da agência pela empresa Batten, Barton, Durstine and Osborn - BBDO e a posterior recompra das ações pela CBBA ; o trabalho para o governo Franco Montoro e na campanha das Diretas Já (1984); comentários sobre a forte, e muitas vezes deselegante, competição entre agências de publicidade no início dos anos 1980; informações sobre as pesquisas de mercado feitas pela agência CBBA.

FITA 3-A
A tomada de decisão sobre a venda da CBBA; lembranças sobre o acordo operacional da CBBA com a Propeg; a venda da CBBA para a Thompson (1985); a aposentadoria, os contatos na Associação de Mulheres de Negócios Profissionais de São Paulo e a volta ao trabalho na área de recursos humanos.

FITA 3-B
Requisitos para o bom desempenho da profissional publicitária; diferenças entre marketing e propaganda; considerações sobre a dificuldade de manter os custos de uma agência de propaganda quando se trabalha com ética; relato de discriminação que sofreu, por ser mulher, no atendimento a um cliente; opinião da entrevistada sobre os menores salários das mulheres nas agências de publicidade; comentários sobre o potencial profissional da mulher na área de gerência.

FITA 4-A
A presidência da Associação de Mulheres de Negócios Profissionais de São Paulo (1985); recordações sobre o início do relacionamento com o marido; participação da entrevistada na Associação Paulista de Propaganda - APP, na Abap - Associação Brasileira de Agências de Propaganda e no Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária - Conar; impressões sobre o mundo atual da propaganda.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados