José Botafogo Gonçalves

Entrevista

José Botafogo Gonçalves

Entrevista realizada no contexto do projeto "Luiz Felipe Lampreia", desenvolvido com financiamento da Souza Cruz, através da Lei Rouanet de incentivo fiscal do Ministério da Cultura, entre julho de 2008 e junho de 2009. O projeto visa à constituição de um banco de entrevistas audiovisuais com o ministro Luiz Felipe Lampreia e pessoas indicadas por ele, além de completar o tratamento técnico do seu arquivo pessoal, doado ao CPDOC.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Rogerio de Souza Farias
Raphael Coutinho da Cunha
Matias Spektor
Data: 22/1/2008
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h59min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: José Botafogo Gonçalves
Nascimento: 11/1/1935; Belo Horizonte; MG; Brasil;

Formação: Bacharel (Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio;bacharel (Ciências Jurídicas) - Faculdade de Direito da PUC-Rio.
Atividade: É diplomata de carreira do Ministério das Relações Exteriores, onde iniciou como cônsul de terceira classe em 1960, tendo chegado ao nível de carreira atual, Ministro de primeira classe - Embaixador em 1982, promovido sempre por merecimento. Exerceu vários cargos na diplomacia brasileira, no Brasil e no exterior, estes últimos em Moscou no período 1962/1963, Stato Città del Vaticano, 1964, em Roma no período de 1964 a 1967, e em Santiago do Chile no período 1967/1969. Participou da negociação de vários acordos, como aquele para evitar a evasão fiscal e a dupla tributação de renda, com os seguintes países: em 1971, Portugal, França, Alemanha, Bélgica, Finlândia, Holanda e Áustria, no Rio de janeiro, Brasil. em 1972, Espanha, Áustria, Itália, Finlândia, Holanda, Alemanha e Luxemburgo, em Brasília, Brasil. em 1973 na Dinamarca e na suíça. Participou, igualmente, de reuniões conjuntas, como dentre outras a de cooperação Brasil-França, em paris, do FMI e do BIRD, em Belgrado, de negociação comercial multilaterais do GATT, em Genebra. Dentre outras.

Equipe

Levantamento de dados: Matias Spektor;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Matias Spektor;

Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Conferência da transcrição: Mariana Franco Lopes;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Mariana Franco Lopes;

Temas

Área de Livre Comércio das Américas (ALCA);
Argentina;
Banco Central do Brasil;
Banco Mundial;
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social;
Brasil;
Carlos Menem;
Carreira diplomática;
Celso Lafer;
Comércio exterior;
Diplomacia;
Economia;
Empresariado;
Estados Unidos da América;
Europa;
Fernando Henrique Cardoso;
Francisco Dornelles;
Governo Fernando Henrique Cardoso (1995-1998);
Governo Fernando Henrique Cardoso (1999-2002);
Governo João Figueiredo (1979-1985);
José Serra;
Luiz Felipe Lampreia;
Mercosul;
Ministério da Agricultura;
Ministério da Fazenda;
Ministério da Indústria e do Comércio;
Movimento sindical;
Organização Mundial do Comércio ;
Palácio Itamaraty;
Pedro Malan;
Petróleo;
Política econômica;
Política externa;
Relações interamericanas;
Relações internacionais;
Sebastião do Rego Barros;
União Europeia;
Venezuela;

Sumário

Entrevista: 22.01.2008

Arquivo em áudio 1: Observações sobre o período em que foi cônsul geral em Milão (1991-1995); o desejo de mudar para uma atividade diplomática tradicional e o aconselhamento de Luiz Felipe Lampreia; o convite, feito por Lampreia, para trabalhar na Subsecretaria Geral, em 1995; considerações a respeito da relação Brasil-Argentina; a opção por trabalhar no Ministério da Agricultura, durante o governo Figueiredo, e o descontentamento do Itamaraty com esta escolha; menção ao cargo ocupado no Banco Mundial entre os anos de 1985 e 1988 e os motivos de sua saída; a volta para o Brasil em 1995 para assumir a Subsecretaria Geral; comentários sobre a autonomia concedida por Luiz Felipe Lampreia e as únicas prioridades exigidas por este; o pedido de um apoio maior à OMC (Organização Mundial do Comércio) e o direcionamento das atenções para a ALCA; os primeiros encontros organizados para discutir um acordo de livre comércio nas Américas, durante meados da década de 90; considerações a respeito da falta de entusiasmo de grande parte do Itamaraty com relação a ideia da ALCA; a noção de “equilíbrio nas negociaç