Maurício Matos Peixoto II

Entrevista

Maurício Matos Peixoto II

Entrevista realizada no contexto do projeto "As faces do mago da economia: atuação e legado de Mario Henrique Simonsen", desenvolvido em convênio com a Cia. Bozano, Simonsen e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 2000 e 2001, com o objetivo de publicar um livro de depoimentos sobre Mario Henrique Simonsen - MÁRIO Henrique Simonsen: um homem e seu tempo, depoimentos ao CPDOC/ Organizadores Verena Alberti, Carlos Eduardo Sarmento, Dora Rocha. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 310p. il. O entrevistado foi professor de Mario Henrique Simonsen.
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: MÁRIO Henrique Simonsen: um homem e seu tempo, depoimentos ao CPDOC/ Organizadores Verena Alberti, Carlos Eduardo Sarmento, Dora Rocha. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 310p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Carlos Eduardo Barbosa Sarmento
Data: 4/9/2000
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h20min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Maurício Matos Peixoto
Nascimento: 15/4/1921; Fortaleza; CE; Brasil;

Formação: Engenheiro Civil pela Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, atual UFRJ, em 1943.
Atividade: Professor de cálculo vetorial e mecânica racional da Escola Nacional de Engenharia a partir de 1944, tornando-se catedrático em 1953; fundador, em 1953, junto com Leopoldo Nachbin, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), onde foi professor até 1991, permanecendo na instituição como pesquisador emérito; professor na Brown University, Providence, EUA (1964-1968); vice-presidente (1971-1973) e presidente (1979-1980) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); professor do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da universidade de São Paulo (1973-1978).

Equipe

Levantamento de dados: Verena Alberti;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Verena Alberti;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;

Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Virgínia Sena Barradas;

Temas

Colégio Pedro II;
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq);
Economia;
Economistas;
Engenharia;
Ernesto Geisel;
Fundação Getulio Vargas;
João Batista de Oliveira Figueiredo;
Mário Henrique Simonsen;
Pesquisa científica e tecnológica;

Sumário

Entrevista: 04.09.2000
Origem familiar; formação escolar; surgimento do interesse pela matemática e escolha pelo Curso Complementar de Engenharia no Colégio Pedro II; o curso da Escola de Engenharia da Universidade do Brasil, onde ingressou em 1939 e os motivos que levaram o entrevistado a optar pela Engenharia; Leopoldo Nachbin, colega de turma na Escola de Engenharia; professores da Escola de Engenharia; entrada no quadro docente da Escola de Engenharia (1945) e demais atividades como professor; breve comparação entre o ambiente acadêmico do Rio de Janeiro e o de São Paulo; a experiência na Universidade de Chicago, para onde foi em 1949; o brilhantismo de Mário Henrique Simonsen como aluno na Escola de Engenharia na década de 1950; considerações sobre a qualidade dos seminários de economia na Escola de Engenharia, dos quais Mário Henrique Simonsen e o entrevistado foram participantes; comentários sobre a "mente matemática" de Simonsen; a participação do entrevistado na criação do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) em 1952; a situação institucional do IMPA no período imediatamente posterior à sua criação: ligação com o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação Getulio Vargas (FGV); considerações sobre o corpo docente e discente do IMPA e caracterização dessa instituição como um laboratório de estudos; a ida do entrevistado para Princeton, em 1957; a qualidade matemática do livro Ensaios analíticos de MHS; breves considerações sobre a genialidade, a capacidade matemática de MHS; considerações sobre a variedade de interesses de Mário Henrique Simonsen e seu senso de humor; as motivações que levaram o entrevistado a integrar o corpo docente do Instituto de Matemática e Estatística (IME) entre 1973 e 1978; convivência de trabalho do entrevistado com MHS no período em que o último esteve na Seplan e o primeiro na presidência do CNPq; considerações sobre as possíveis motivações de Mário Henrique Simonsen ao aceitar um cargo público nos governos de Ernesto Geisel e de João Batista Figueiredo; comentário sobre a falta de apego de Mário Henrique Simonsen ao poder; comparação entre a relação de Simonsen com Geisel e com Figueiredo; importância da participação de Mário Henrique Simonsen na implementação de projetos do CNPq no período em que esteve na Secretaria de Planejamento; importância dada por Mário Henrique Simonsen e Golbery do Couto e Silva na Seplan ao fomento à pesquisa científica.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados