Paulo Gomes Ribeiro

Entrevista

Paulo Gomes Ribeiro

Entrevista realizada no contexto do projeto "Pioneiros e Construtores da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN)", na vigência do convênio entre o CPDOC-FGV e a Fundação CSN. Esta entrevista subsidiou a elaboração do livro "CSN: UM SONHO feito de aço e ousadia." / Coordenadora: Regina da Luz Moreira; Entrevistadores: Ignez Cordeiro de Farias, Mário Grynszpan e Verena Alberti; Pesquisa Iconográfica: Adelina Novaes e Cruz. Rio de Janeiro: IARTE, 2000. A escolha do entrevistado se justificou pelo fato de ter trabalhado nos escritórios da CSN em Volta Redonda, Rio de Janeiro e Siderópolis (SC), e ter sido responsável pela divisão de seguros da companhia. O texto transcrito foi revisto pelo entrevistado, tendo sofrido alterações que foram incorporadas à versão final. A parte final da 2a entrevista foi gravada simultaneamente em vídeo.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Ignez Cordeiro de Farias
Data: 23/2/1999 a 23/2/1999
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h58min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Paulo Gomes Ribeiro
Nascimento: 14/3/1923; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Bacharel em Ciências Contábeis e Atuariais pela Escola Técnica do Comércio.
Atividade: Adiministrador, foi funcionário da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e assessor da Funenseg.

Equipe

Levantamento de dados: Ignez Cordeiro de Farias;Verena Alberti;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Ignez Cordeiro de Farias;Verena Alberti;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;

Copidesque: Verena Alberti;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Cinthia Monteiro de Araujo;

Temas

Companhia Siderúrgica Nacional;
Indústria siderúrgica;
Paulo Gomes Ribeiro;
Privatização;
Seguros;
Volta Redonda;

Sumário

Entrevista: 23/02/1999
Origens familiares; a ida para Volta Redonda em 1942: a indicação para trabalhar na CSN, a prova de admissão, a apresentação no escritório em Volta Redonda; comentários sobre a impossibilidade do entrevistado seguir a carreira militar; observações sobre a moradia em Barra Mansa; o trabalho no escritório em Volta Redonda (1942-1944): o salário, o trabalho como mecanógrafo; comentários sobre a viagem entre Volta Redonda e Rio de Janeiro; a transferência para o escritório no Rio de Janeiro em 1944: o acordo com Herman Júnior, o relacionamento com os outros mecanógrafos do escritório, o salário; o cotidiano em Volta Redonda: o local onde fazia as refeições, as instalações do alojamento da companhia, as brincadeiras com os colegas de alojamento, a saudade da família, as festas em Resende; referência ao capitão Edgar Magalhães da Silva; opinião do entrevistado sobre os privilégios dados aos engenheiros pela companhia; discussão sobre o sistema de policiamento da companhia; breves comentários sobre a presença feminina em Volta Redonda; observações sobre o serviço médico prestado pela companhia; rápida referência ao papel dos brasileiros na construção da CSN; comentários sobre o controle contra ações políticas em Volta Redonda; referência a formação acadêmica do entrevistado; lembranças do relacionamento com o pai; comentários sobre o trabalho no escritório do Rio de Janeiro; o convite para trabalhar no escritório de Nova York; no escritório de Siderópolis (1951-1953): o pedido de transferência, o alojamento e o transporte na cidade, explicações sobre a organização do trabalho, longos comentários sobre as condições de trabalho e de vida dos mineiros, as inovações implementadas pelo entrevistado no funcionamento do escritório, relato do desentendimento do entrevistado com o engenheiro Balcini, o casamento e o nascimento do primeiro filho, o lazer; contador inspetor (1953-1955); comentários sobre o controle do desempenho dos funcionários; discussão sobre a distribuição da participação no lucros; a atuação no setor de seguros da companhia: a pressão para assumir a chefia da divisão de seguros, os diferentes cargos ocupados; como assessor técnico na comissão de sindicância na corretora Eqüitativa durante o governo Jânio Quadros: a indicação do entrevistado, opinião do entrevistado sobre o objetivo da sindicância, as irregularidades encontradas pelo entrevistado; críticas a decisões da diretoria relativas a política de seguros da companhia; o depoimento do entrevistado no Inquérito Policial Militar instalado na CSN; o afastamento do entrevistado da CSN em 1965: o depoimento no inquérito administrativo interno, a ação trabalhista contra o entrevistado, a tentativa de acordo por parte da companhia, a depressão do entrevistado, a reintegração na companhia, acordo para ser demitido; a empresa de seguros fundada pelo entrevistado: a sociedade com Manuel Fialho Londres e Gustavo Magalhães, o sucesso nos negócios, a sociedade com Horácio Klabin; comentários sobre a família; considerações sobre a importância da CSN para a vida do entrevistado; opinião do entrevistado sobre a interferência dos militares na companhia; comentários sobre a privatização da CSN; aspectos peculiares da área de seguros da companhia: a negociação de taxas no exterior, o pioneirismo em seguro ao primeiro risco absoluto, a tarifação especial, exemplos de detalhes técnicos importantes na área de seguros.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados