Rebecca Reichmann Tavares

Entrevista

Rebecca Reichmann Tavares

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memória de um Office na periferia: o Escritório da Fundação Ford no Brasil”, desenvolvido em convênio com a Fundação Ford, entre janeiro de 2011 e julho de 2012, com o objetivo de constituir um acervo de depoimentos histórico-documental sobre os 50 anos da atuação da Fundação Ford no Brasil e a posterior disponibilização dos depoimentos gravados na internet.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Lúcia Lippi Oliveira
Data: 25/7/2011
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Rebecca Reichmann Tavares
Formação: Harvard University Graduate School of Education; Yale University; Sultan Abdul Hamid Kolej.
Atividade: Regional Program Director, Southern Cone na UN Women; Executive Vice President na TechPolis, Inc. Founding Executive Vice President na New Americans Museum; ice President, Programs na The San Diego Foundation.

Equipe

Levantamento de dados: Lúcia Lippi Oliveira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Lúcia Lippi Oliveira;

Transcrição: Soraya de Oliveira Ferreira Rangel;

Conferência da transcrição: Verônica R. Bevilacqua Otero Spicer;

Técnico Gravação: Bernardo de Paola Bortolotti Faria; Bernardo Borges Buarque de Hollanda;

Sumário: Laura Mie de Azevedo Nicida;

Temas

América Latina;
Anos 1980;
Anos 2000;
Bolsas de estudo e de pesquisa;
Direito civil;
Discriminação racial;
Estados Unidos da América;
Etnias;
Feminismo;
Fundação Ford;
Gênero;
Guerra do Vietnã (1961-1975);
Igrejas protestantes;
Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas;
Intercâmbio científico e tecnológico;
Magistério;
Malásia;
Mulher;
Organizações não governamentais;
Peru;
Pesquisa científica e tecnológica;
Peter Fry;
Pobreza;
Política científica e tecnológica;
Pós - graduação;
Psicologia;
Teologia;
Universidade da Califórnia;
Universidade de Harvard;
Violência;

Sumário

Entrevista: 25 de julho de 2011: O nascimento na Califórnia; o envolvimento com movimentos de direitos civis, direitos para a mulher e contra a guerra no Vietnã; a bolsa de 100% na Universidade de Yale por ações afirmativas no curso de inglês; o curso de teologia na Universidade de Harvard e a ida para a América Latina para trabalhar com cooperativas de mulheres; o intercâmbio para Malásia aos 17 anos; a ida para o Peru em um projeto da Igreja Protestante Progressista e a sua pesquisa de doutorado na área de psicologia da comunidade; a pesquisa de dissertação na República Dominicana; o trabalho na ONG Axion Internacional e a abertura do cargo para a Fundação Ford; o significado, como acadêmica, de estar dentro da Fundação Ford; a proposta de Peter Fry para trabalhar na área de pobreza urbana e cultura afro-brasileira dentro da Fundação; a junção das questões de raça e gênero; lideranças na área de questão racial e da mulher; a recepção da questão racial no Brasil; critérios de escolha para financiamento de projetos na Fundação; a relação da Fundação Ford com o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) e outras instituições; o perfil do presidente Franklin Thomas na Fundação no começo dos anos 1980; a importância da Fundação Carlos Chagas para pesquisas sobre a mulher; a mudança de terminologia de “estudos da mulher” para “estudos de gênero”; as mudanças em questões de políticas sociais no Brasil dos anos 1980 até os anos 2000; o feminismo e a posição da mulher na sociedade no caso norte-americano, latino e mediterrâneo; a revista Estudos Feministas; o apoio da Fundação na área acadêmica; questões de violência contra mulher e descriminação racial na sociedade; a saída da Fundação Ford e a volta para os Estados Unidos como professora visitante na Universidade da Califórnia; a participação no projeto de criação de um museu para imigrantes em San Diego; a volta para o Brasil e o trabalho na ONU Mulheres; comparação entre o trabalho da Fundação Ford e o trabalho de outras agências privadas norte-americanas; o conceito filantropia no contexto brasileiro.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados