Sandra Cavalcanti

Entrevista

Sandra Cavalcanti

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memória do urbanismo carioca: voz e imagem", desenvolvido pelo CPDOC em convênio com a Secretaria Municipal de Urbanismo da Prefeitura do Rio de Janeiro e a Atlântica Empreendimentos Imobiliários entre maio de 2000 e novembro de 2001. A entrevista encontra-se disponível para consulta apenas em sua versão editada, publicada no livro "Capítulos da memória do urbanismo carioca", de Américo Freire e Lucia Lippi Oliveira (Rio de Janeiro, Folha Seca, 2002). A escolha da entrevistada se justificou por sua atuação como Secretária Extraordinária de Projetos Especiais da prefeitura do Rio de Janeiro nas gestões de César Maia e de Luiz Paulo Conde.
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: CAPÍTULOS da memória do urbanismo carioca : depoimentos ao CPDOC/FGV / Américo Freire e Lúcia Lippi Oliveira, organizadores. Rio de Janeiro: Folha Seca, 2002. 232p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Carlos Eduardo Barbosa Sarmento
Marly Silva da Motta
Data: 12/9/2000 a 27/9/2000
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 4h0min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Sandra Martins Cavalcanti de Albuquerque
Nascimento: 30/8/1927; Belém; PA; Brasil;

Formação: Licenciada em Letras Clássicas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro.
Atividade: Professora de português e literatura no Instituto de Educação; vereadora no distrito federal (1954) pela UDN (União Democrática Nacional); deputada estadual (1960) no estado da Guanabara pela UDN; secretária de serviços sociais da Guanabara (1962-1964); presidente do Banco Nacional da Habitação (BNH);deputada estadual pelo Rio de Janeiro (1974) através da legenda da Arena (Aliança Renovadora Nacional);deputada federal (1987-1991) pelo PFL (Partido da Frente Liberal).

Equipe


Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Aliança para o Progresso (1961);
Banco Nacional de Habitação;
Carlos Lacerda;
Catolicismo;
Favela;
Flexa Ribeiro;
Francisco Negrão de Lima;
Guanabara;
Habitação;
Igreja Católica;
Planejamento urbano;
Rio de Janeiro (cidade);
Roberto Campos;
Urbanismo;

Sumário

FITA 1-A - Início de sua vida acadêmica na PUC: sua ligação com a Igreja; seu trabalho no Instituto de Educação; a relação Igreja-política: a porta de entrada para sua eleição em 54; início de um estilo político: os comícios em casas e a consolidação de uma base; sua atuação política na Câmaras de Vereadores; disputas políticas com Lígia Lessa Bastos; sua atuação na Secretaria de Serviços Sociais; seu impacto com a realidade da favela, na década de 50; sua posição frente a Cruzada São Sebastião, da Igreja Católica.

FITA 1-B - Primeiro recenseamento nas favelas; seu projeto de carta de financiamento de habitação; relação da UDN com as demandas dos bairros;

FITA 3-A - Políticas de habitação; critério de escolha para a presidência da Cohab;
políticas de reurbanização das favelas durante o governo Lacerda: a questão
da remoção e a especulação imobiliária; criação do Codesco. durante o
governo Negrão de Lima; o caso da remoção da favela de Brás de Pina.

FITA 3-B - (continuação); a eleição de Negrão de Lima: a derrota do lacerdismo nas
zonas assentadas - Vila Kennedy, Vila Esperança; o sistema de cooperati-
vas; a criação do Inocoop: a modificação do sistema de cooperativas; o
início da especulação imobiliária, no período da CHISAM.

FITA 4-A - Estudos acadêmicos sobre o processo de reurbanização e reassentamento de
favelas, como o caso da Vila Kennedy; a questão habitacional, a partir dos
anos 70: conjuntos e favelas; os conjuntos habitacionais como instrumento
político; análise do aumento do número de favelas, a partir dos anos 70; o
projeto Favela Bairro, do governo César Maia (1993 - 1997); comparação
entre os projetos de urbanização do governo Carlos Lacerda e o projeto
Favela Bairro; a questão do transporte coletivo de massa; a questão do
déficit herdado pela Caixa Econômica, do BNH e do Fundo de Garantia; a
questão da metrópole: integrar o Rio de Janeiro aos municípios que compõe
Grande Rio através do transporte, como solução da moradia.

FITA 4- B - (continuação); a política "segregacionista" dos deputados federais do interior
estado em relação a cidade; a idéia de se criar uma administração metropoli-
tana e questão da desfusão; a idéia de se mudar o sistema eleitoral brasileiro.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados