Sergio França Adorno de Abreu

Entrevista

Sergio França Adorno de Abreu

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Celso Castro
Bernardo Buarque de Hollanda
Data: 3/7/2012
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 2h9min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Sergio França Adorno de Abreu
Formação: Graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, USP, (1971-1974); Doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1978-1984); Pós-Doutorado pelo Centre de Recherches Sociologiques sur le Droit et les Institutions Pénales (1994-1995); Livre-docência pela Universidade de São Paulo (1996).
Atividade: Professor Titular em Sociologia da FFLCH- Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (2004-), Coordenador Científico do Núcleo de Estudos da Violência - USP (2009-), Presidente da ANDHEP- Associação Nacional de Direitos Humanos- Pesquisa e Pós-Graduação, Representante de Área de Ciências Humanas / Sociologia (2002-) e Membro do Conselho Técnico-Científico da CAPES- Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior -consultor do CSP- Cadernos de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz(2005-); Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (2006); Membro do Conselho Consultivo da Revista Análise Social, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (2006-); membro do Conselho Consultivo da Revista "Passagens: Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica", do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense; membro do Comitê Científico da Revista ANPG: Ciência, Tecnologia e Políticas Educacionais, periódico científico institucional da ANPG- Associação Nacional de Pós-Graduandos, Responsável pela Cátedra UNESCO de Educação para a Paz, Direitos Humanos, Democracia e Tolerância; tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: violencia, direitos humanos, criminalidade urbana, controle social e conflitos sociais.

Equipe


Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Conferência da transcrição: Gabriela Mayall;

Técnico Gravação: Bernardo de Paola Bortolotti Faria;

Sumário: Ninna Carneiro;

Temas

Autoritarismo;
Centro de Estudos de Cultura Contemporânea;
Ciências Sociais;
Comunicação de massa;
Criminalidade;
Criminologia;
Crise política;
Crises econômicas;
Cultura;
Democracia;
Direito;
Direitos humanos;
Família;
Formação acadêmica;
Formação escolar;
França;
Golpe de 1964;
Liberalismo;
Literatura;
Moçambique;
Organizações não governamentais;
Paulo Sérgio de Moraes Sarmento Pinheiro ;
Pesquisa científica e tecnológica;
Política;
Pós - graduação;
Redemocratização;
Regime militar;
São Paulo;
Universidade de São Paulo;
Violência;

Sumário

Entrevista: 3/07/2012

Origens familiares; o trabalho do pai como escrevente de cartório; o interesse do pai pela literatura; o contato dos pais com o ambiente cultural da época; a formação escolar; a moradia da família na Zona Norte de São Paulo; a cidade natal do pai, Itápolis; o sonho da casa própria para os pais; o impacto da crise econômica pós-1964 para a família; a admissão no concurso para escriturário após a conclusão do ginásio; a conciliação do trabalho com a faculdade; a atuação como inspetor de tributos não lançados; o interesse pela área de humanas desde a época do colégio; a ideia de cursar Direito, influenciado pelos pais; a decisão final pelas Ciências Sociais; o momento político conturbado da época da graduação, de 1971 a 1974; professores marcantes; a formação acadêmica na Universidade de São Paulo (USP); a experiência de pesquisa durante a graduação; o curso de licenciatura; o trabalho no Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (Imesc); o tema da tese da pós-graduação sobre a tensão entre o liberalismo e a democracia; a rotina de conciliação entre o trabalho e os estudos; a decisão de defender a tese de mestrado como de doutorado; a escolha do professor Gabriel Cohn como seu orientador; o convite para participar do Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (Cedec); o trabalho junto com Rosa Fischer; o interesse sobre a questão da justiça criminal; os principais autores na área da violência em meados da década de 80; seminários sobre violência; a relação entre o aumento das obras sobre violência e o período de redemocratização política brasileira; o papel das Organizações Não-Governamentais (ONGs) durante a transição política brasileira; a formação de uma cultura de direitos humanos no Brasil após o fim do regime militar; a correlação entre o autoritarismo político e a violência no Brasil; a entrada na USP como docente; a criação de um Núcleo de Estudos da Violência (NEV) junto com Paulo Sérgio Pinheiro; objetivos principais do Núcleo; as diferenças entre as pesquisas realizadas no Imesc e no NEV; a opção por tornar o NEV um Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) da USP; a questão do monopólio estatal da violência; o processo de profissionalização do NEV; a coletivização do trabalho no NEV; a saída de pesquisadores do NEV; a interdisciplinaridade do Núcleo; o interesse dos alunos sobre o tema da violência; o envolvimento em diversas associações; a participação no Conselho Universitário da USP; a dificuldade em colocar em dia os textos da pesquisa; a tensão entre a rotina burocrática da universidade e a atividade como pesquisador; demandas dos meios de comunicação sobre o tema da violência; o contato com o Centro de Estudos Sociais (CES) do Instituto de Ciências Sociais de Lisboa (ICS); projeto de pesquisa desenvolvido com pesquisadores de Moçambique; o pós-doutorado na França; vantagens para a pesquisa acadêmica da internacionalização das redes; a questão da criminologia; o interesse sobre o estudo das representações da violência; estudos sobre torcidas organizadas na USP; diferenças entre os alunos de Ciências Sociais da época da graduação e os de atualmente; a diminuição do número de bons trabalhos acadêmicos na graduação; a importância da noção de investigação sociológica para os alunos; a importância das obras de Michel Foucault em sua formação acadêmica; a concepção do livro sobre os seus 20 anos como pesquisador; obra sobre os 50 anos do Eichmann em Jerusalém; as obras de Hannah Arendt e Talcott Parsons.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados