Sileno Ribeiro de Paiva

Entrevista

Sileno Ribeiro de Paiva

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e Desempenho das Elites Políticas Brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde sua criação, em 1975. Esta entrevista foi realizada com vistas à publicação do livro "Meio Século de Combate: Diálogos com Cordeiro de Farias", de Aspásia Camargo e Walter Góes, editado pela Nova Fronteira em 1981. A escolha do entrevistado se justificou por ser amigo e auxiliar de Cordeiro de Farias.
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Ignez Cordeiro de Farias
Aspásia Alcântara de Camargo
Data: 1/6/1981 a 6/8/1981
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil
Recife ; PE ; Brasil

Duração: 1h10min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Syleno Ribeiro de Paiva
Formação: Bacharel em Direito.
Atividade: Chefe de gabinete de Petrônio Portela; secretário geral do Ministério Da Justiça.

Equipe

Levantamento de dados: Ignez Cordeiro de Farias;Aspásia Alcântara de Camargo;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Ignez Cordeiro de Farias;Aspásia Alcântara de Camargo;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Maria Alice Mendes De Sousa;

Temas

Ato Institucional, 5 (1968);
Cordeiro de Farias;
Distensão política (1974-1979);
Governo Ernesto Geisel (1974-1979);
Juarez Távora;
Militares;
Política nacional;
Sileno Ribeiro de Paiva;

Sumário

1ª Entrevista: 01.06.1981

Fita 1-A: Pequeno histórico da ligação política do entrevistado com o general Cordeiro de Farias; significado da Missão Portela; o papel mediador de Cordeiro de Farias nos contatos com a oposição, especialmente a corrente autêntica do MDB, durante a missão Portela; rápido comentário sobre o desenvolvimento das relações políticas de Geraldo Guedes, Sileno Ribeiro e Tales Ramalho com Cordeiro de Farias; o perfil político do general Cordeiro como agente facilitador do diálogo com civis e militares, incluindo Geisel, Golberi e Petrônio Portela; teorização sobre a resistência política à abertura, com destaque para a chamada "linha dura"; ligeiro balanço da trajetória política de Cordeiro de Farias.


2ª Entrevista: 06.08.1981

Fitas 2-A a 2-B: Rápida análise de fatores que desencaderam a abertura política; considerações sobre o significado das conversações efetuadas por Cordeiro de Farias com vistas à abertura, e suas repercussões; algumas convergências do pensamento de Geisel, Golberi e Cordeiro de Farias; reflexões sobre o consenso nacional em torno da revogação do AI-5; comentário sobre a postura dos militares em relação à atuação de Cordeiro de Farias no decorrer do processo de abertura; posição do entrevistado perante os fatos que antecederam a Emenda Constitucional nº. 11; ligeira avaliação do chamado pacote de abril e de suas consequências; perfil político de Cordeiro de Farias; o papel do Exército na visão de Cordeiro de Farias; a postura de Cordeiro de Farias em relação ao poder político; considerações sobre a indicação do nome de Cordeiro de Farias para o Ministério de Exército como liderança natural, para o governo Café Filho; candidatura de Juarez Távora para presidente em 1955; as relações políticas de Cordeiro de Farias com Juarez Távora e Teixeira Lott, especialmente em 1955
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados