Imagens do Acervo

  • Fotografia de Anna Amélia Carneiro de Mendonça.

  • Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça em sua coroação como Rainha dos Estudantes do Brasil, 1929.

  • Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça (3ª esquerda/direita, na primeira fila) e Bertha Maria Júlia Lutz (1ª direita/esquerda, na segunda fila) em encontro da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino. Data provável: década de 30.

Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça

Sigla: AACM

Dados Biográficos

Titular: Anna Amélia Carneiro de Mendonça

Filiação: José Joaquim de Queiroz Júnior e Laura Machado de Queiroz

Cônjuge: Marcos Carneiro de Mendonça

Principais Atividades

  • Vice-presidente, Federação Brasileira pelo Progresso Feminino ,
  • Fundador, Casa do Estudante do Brasil 1929,

Outras Atividades

A poetisa Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça foi colaboradora em diversos jornais do Rio de Janeiro como O Globo, O Jornal, Diário da Noite, A Noite e na revista O Cruzeiro. Atuou ainda, durante dois anos, como diretora do suplemento feminino do Diário de Notícias. Foi presidente da Associação Brasileira de Educação; vice-presidente da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino e secretária do Hospital Pró-Matre. Foi a primeira mulher a ser membra do Tribunal Superior Eleitoral, fazendo parte da mesa apuradora das eleições de 1934. Em 1935, representou oficialmente o Brasil no XII Congresso Internacional de Mulheres em Istambul. Em 1942, foi escolhida como representante do Brasil na Comissão Internacional de Mulheres, com sede na União Pan-Americana em Washington. Em 1967, foi convidada pelo governo do Estado de Israel para representar a mulher brasileira no Congresso Internacional Feminino pela Paz e Desenvolvimento. Era membra do Instituto Brasileiro de Educação Ciência e Cultura, do Instituto Histórico de Ouro Preto, do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, da Associação dos Artistas Brasileiros, da Associação Cristã Feminina, da Sociedade Americana de Escritores e Artistas de Havana, da Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa, do Instituto Brasil-EUA, Brasil-Chile e Brasil-Bolívia.

Documentos Textuais

  • Manuscritos - 5005

Documentos Audiovisuais

  • Iconografia
    • álbum fotográfico - 97
    • desenho - 1
    • foto - 235
    • imagem impressa - 1

Análise da Documentação

Com um número aproximado de 5.000 documentos textuais, o arquivo Ana Amélia de Quairoz Carneiro de Mendonça foi organizado em sete séries: VIDA PRIVADA; PARTICIPAÇÃO E COLABORAÇÃO EM ASSOCIAÇÕES, ÓRGÃOS E INSTITUTOS; LITERATURA; MILITÂNCIA FEMINISTA; MILITÂNCIA ESTUDANTIL; DOCUMENTOS PÓSTUMOS; RECORTES DE JORNAIS.

O conjunto de documentos reunidos no arquivo é importante para pesquisadores interessados nas lutas feministas ocorridas no Brasil no início do século XX e nas tentativas dos movimentos feministas de promover debates sobre o direito e à saúde da mulher nas Américas. O arquivo também é relevante para pesquisas sobre a questão estudantil no Brasil, sobretudo no que diz respeito à atuação da titular na Casa do Estudante do Brasil, criada em 1929 e na Casa do Estudante do Brasil, inaugurada na Cidade Universitária de Paris em 1959. No campo da Literatura, o arquivo apresenta documentos que sobre a atuação da titular como poetisa e tradutora.

Descrição do Conteúdo das Séries

Documentos Póstumos
1971 a 1996 134
A série Documentos Póstumos abriga cartas de pesar enviadas aos familiares de Anna Amélia pelo seu falecimento, em 1971.

Fotografias
1910 a 1992 334

Literatura
1910 a 1979 546
A série Literatura agrupa documentos sobre a relação de Anna Amélia com o campo literário, com destaque para poesias, textos, traduções e impressos de “Dois meses entre os americanos” e “Castro Alves”, de autoria da titular.

Militância Estudantil
1928 a 1987 215
No conjunto de documentos reunidos da série Militância Estudantil encontram-se documentos sobre a Casa do Estudante do Brasil (CEB), criada em 1929 e Casa do Estudante do Brasil na Cidade Universitária de Paris, inaugurada em 1959, além de documentos sobre a atuação de Anna Amélia no campo da educação.

Militância Feminista
1927 a 1970 95
Na série Militância Feminista podem ser encontrados documentos sobre a atuação de Anna Amélia na luta pelos direitos da mulher, com destaque para debates sobre a questão sufragista, sobre saúde feminina e sobre a importância da atuação política da mulher em tempos de guerra. Inclui documentos sobre a participação da titular como delegada no Congresso Feminino em Istambul, em 1935, e na Comissão Interamericana de Mulheres (CIM), organismo intergovernamental criado em 1928 para tratar especificamente dos direitos da mulher.

Participação e colaboração em associações, órgãos e institutos
1925 a 1976 205
A série Participação e Colaboração em Associações, Órgãos e Institutos reúne documentos sobre a participação e colaboração de Anna Amélia em diversas instituições como os Institutos Históricos de Minas Gerais e Ouro Preto, o Museu Imperial de Petrópolis, com destaque para a atuação da titular na Associação Brasileira de Educação (ABE) e no Instituto Brasileiro de Educação Ciência e Cultura (IBECC). São, em sua maioria, documentos administrativos que registram a atuação de Anna Amélia em atividades regulares dessas instituições. A série também reúne documentos sobre a Usina Boa Esperança, adquirida por José Joaquim Queiroz Junior, pai de Anna Amélia, por volta de 1900.

Recortes de Jornais
1912 a 2008 1003
Recortes de jornais diversos sobre a vida titular. Destacam-se reportagens sobre sua militância feminista, seu envolvimento com as causas estudantis, sua produção literária e seu interesse como colecionadora de obras de arte, além de homenagens póstumas feitas na ocasião do centenário de seu nascimento.

Vida privada
1904 a 1993 2807
Nesta série foi agrupada a documentação de caráter pessoal de Anna Amélia de Queiroz Carneiro de Mendonça, como passaportes, título de eleitor, certidão de casamento, identidade, correspondência, documentos de viagens da família, pedidos, agradecimentos, felicitações, convites e homenagens feitos à Anna Amélia e a seu marido Marcos Carneiro de Mendonça; além de documentos sobre as Bodas de Ouro do casal. Essa série também reúne documentos sobre joias, leilões e coleções que registram o interesse da titular por obras de arte. Também podem ser encontradas aqui notas biográficas, documentos sobre o Solar dos Abacaxis, residência do casal Carneiro Mendonça, e documentos sobre o caso Bruneri-Canella, também conhecido como o esquecimento de Collegno.