Imagens do Acervo

  • José Antônio Flores da Cunha (4º esq./dir.) e outros na Estação Itabaré, durante a Revolução de 1923. Dom Pedrito (RS), 23/06/1923. (Arq. FC foto 001)

  • José Antônio Flores da Cunha discursa na Praça da República. Rio Grande do Sul, 1924. (Arq. FC foto 003)

  • Retrato de José Antônio Flores da Cunha. Santana do Livramento(RS), 1925. (Arq. FC foto 005)

  • Posse de José Antônio Flores da Cunha (fardado) no governo do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 15/04/1934. (Arq. FC foto 018)

  • José Antônio Flores da Cunha na Festa da Uva. Caxias do Sul(RS), 1934. (Arq. FC foto 020)

  • José Antônio Flores da Cunha pronuncia discurso como presidente da Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro, s.d. (Arq. FC foto 048)

Flores da Cunha

Sigla: FC

Dados Biográficos

Titular: José Antônio Flores da Cunha

Filiação: Miguel Lins da Cunha e Evarista Flores da Cunha

Nascimento: 5/3/1880, Santana do Livramento, RIO GRANDE DO SUL, Brasil

Cônjuge: Irene Guerra

Formação Acadêmica

  • Ensino Superior (graduação), Direito, Faculdade de Direito, São Paulo, 1902

Principais Atividades

  • Deputado estadual, Partido Republicano Riograndense 1909,
  • Deputado federal, Partido Republicano Riograndense 1912,1914
  • Deputado federal, Partido Republicano Riograndense 1918,1920
  • Deputado federal, Partido Republicano Riograndense 1924,
  • Deputado federal, Partido Republicano Riograndense 1927,1928
  • Senador, Partido Republicano Riograndense 1928,1930
  • Interventor federal, Governo do estado do Rio Grande do Sul 1930,1935
  • Governador, Governo do estado do Rio Grande do Sul 1935,1937
  • Deputado federal, União Democrática Nacional 1946,1959

Outras Atividades

Em 1910 é nomeado delegado auxiliar no Rio de Janeiro. Em 1912 voltou a Câmara Federal, como deputado pelo estado do Ceará. Em 1917, retorna ao Rio Grande do Sul como intendente provisório de Uruguaiana, função que acumula com a de sub-chefe de Polícia da mesma cidade. Assume a Intendência de Uruguaiana (1920-1924). Combate a Revolução de 1923 como comandante da 2a. Brigada Provisória. Em 1924 é novamente eleito deputado, sempre pela legenda do PRR, mas interrompe o mandato para combater as tropas rebeldes de Honório Lemes, preso por Flores em outubro de 1925. Em recompensa pela sua atuação frente às tropas legalistas, Flores da Cunha é nomeado general de brigada por decreto do presidente Artur Bernardes. Um dos fundadores da Frente Única Gaúcha-FUG, Flores apoiou a chapa de Getúlio Vargas para a presidência da República. Foi um dos principais líderes do movimento revolucionário que depôs Washington Luís em 1930. Combateu a Revolução Constitucionalista de 1932 e fundou o Partido Republicano Liberal-PRL, em novembro de 1932. Em 1937, rompe com Getúlio Vargas e exila-se no Uruguai, onde fica até 1943.

Documentos Textuais

  • Manuscritos - 2673

Documentos Impressos

  • Livros - 17
  • Periódicos - 7
  • Exemplares de Periódicos - 14
  • Artigos de Periódicos - 10

Documentos Audiovisuais

  • Iconografia
    • cartão postal - 9
    • cartão postal + foto - 6
    • foto - 123

Análise da Documentação

Os documentos textuais do arquivo Flores da Cunha foram organizados em quatro séries: DOCUMENTOS PESSOAIS; TRAJETÓRIA POLÍTICA; DOCUMENTOS COMPLEMENTARES e RECORTES DE JORNAIS. A série DOCUMENTOS PESSOAIS (dp) inclui, entre outros documentos, título de eleitor, patente militar e salvo conduto para circular durante a Revolução. A série TRAJETÓRIA POLÍTICA engloba 95% do acervo e é constituída de dossiês funcionais ou temáticos, dispostos cronologicamente, de forma a reconstituir a trajetória do titular. Entre os dossiês funcionais destaca-se o sobre a sua atuação como Interventor (FCtp 30.11.08) abordando assuntos financeiros e administrativos, em sua maioria. Os documentos relativos à passagem de Flores da Cunha pela Câmara (FCtp 24.06.18) e pelo Senado (FCtp 29.09.24) são relativos basicamente a pedidos e felicitações por motivos diversos. O dossiê sobre a atuação na Câmara, por exemplo, inclui vários telegramas parabenizando-o pelo discurso pronunciado em favor da anistia aos revoltosos de 1922, 1923 e 1924. Os dossiês temáticos reúnem a documentação mais importante do arquivo. Merecem destaque os sobre: a Revolução de 1932 (FCtp 32.01.15); crise e negociações entre a FUG e o governo provisório (FCtp 31.11.18); atuação do PRL na Assembléia Nacional Constituinte (FCtp 31.12.08); movimentação de exilados na fronteira gaúcha (FCtp 32.10.19); eleições presidenciais (FCtp 36.01.02) e o rompimento de Flores com Getúlio Vargas (FCtp 36.05.24). A documentação relativa ao exílio e ao período pós-democratização até a morte de Flores em 1959, é menos relevante politicamente. Os documentos datados do período do exílio foram grupados em dois dossiês - assuntos pessoais (FCtp 38.01.10) relacionados as suas propriedades, questões familiares etc; e assuntos políticos (FCtp 38.05.12) que inclui críticas ao Estado Novo, informações sobre presos políticos, e manifesto de Flores de apoio às forças aliadas na 2a. Guerra Mundial. A série DOCUMENTOS COMPLEMENTARES reúne as homenagens póstumas e os documentos relativos ao centenário de nascimento de Flores da Cunha.

Descrição do Conteúdo das Séries

Documentos complementares
1960 a 1980 19

Documentos pessoais
1918 a 1958 7

Fotografias
1920 a 1959 138

Trajetória política
1889 a 1959 2647