Imagens do Acervo

  • Carta de Artur Bernardes a João Luís Alves. Belo Horizonte (MG), s/d. (Arq. JLA c Bernardes, A. 1924.03.09)

  • Carta de Raul Soares a João Luís Alves sobre nomeações. Belo Horizonte (MG), 18/11/1922. (Arq. JLA c Soares, R. 1919.02.22)

  • Nomeação de João Luís Alves para a pasta da Justiça e Negócios Interiores. Rio de Janeiro, 15/11/1922. (Arq. JLA dp 1889/10/25)

  • Rascunho de um manifesto de João Luís Alves recomendando os nomes de Venceslau Brás e Urbano Santos para presidente e vice-presidente da República nas eleições de 1914. Rio de Janeiro, 09/08/1913 (Arq. JLA ap 1913.08.09)

  • Documento relativo às investigações policiais visando à apuração quanto à publicação de duas cartas de João Luís Alves no opúsculo "A Reação Republicana e a Questão das Cartas". Rio de Janeiro, 21/02/1922. (Arq. JLA ap 1922.02.21)

João Luís Alves

Sigla: JLA

Dados Biográficos

Titular: João Luís Alves

Filiação: João Luís Alves e Bárbara Luiza Horta Barbosa Alves

Nascimento: 23/5/1870, Juiz de Fora, MINAS GERAIS, Brasil

Cônjuge: Escolástica Alves e Fernandina Faria Alves

Formação Acadêmica

  • Ensino Superior (graduação), Direito, Faculdade de Direito, São Paulo, 1889
  • Doutorado, Direito, Faculdade de Direito, Minas Gerais, 1900

Principais Atividades

  • Vereador, Partido Republicano Mineiro 1898,1899
  • Deputado estadual, Partido Republicano Mineiro 1899,1903
  • Deputado federal, Partido Republicano Mineiro 1903,1908
  • Senador, Partido Republicano Mineiro 1908,1918
  • Secretário estadual, Secretaria de Finanças de Minas Gerais 1918,1921
  • Ministro de Estado, Ministério da Justiça e Negócios Interiores 1922,1925
  • Membro, Academia Brasileira de Letras 1923,
  • Ministro, Supremo Tribunal Federal 1925,1925

Outras Atividades

Promotor público da comarca de Campanha (MG), cargo do qual exonerou-se, passando então a advogar nesta localidade e cidades vizinhas (1890-1892); como vereador foi presidente da Câmara e agente executivo do município (1898-1899); inspetor de instrução pública de Campanha (MG) (1898-1899); como deputado estadual elaborou o anteprojeto de revisão da Constituição estadual (1899); assume a direção do antigo "Diário de Minas", órgão do Partido Republicano Mineiro (PRM) editado em Belo Horizonte; como deputado federal preside a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e apresentou projetos de lei de proteção à nascente indústria nacional e à agricultura, entre os quais os primeiros sobre alfândega, cheques e letras de câmbio; apoiou a candidatura de Hermes da Fonseca à presidência da República, contra os civilistas (1903-1908); como senador pelo estado do Espírito Santo, presidiu a Comissão de Constituição e Justiça, além de presidente da Comissão Especial de reforma do Código Comercial (1908); como secretário de Finanças, foi responsável pela reformulação operada na legislação tributária de Minas Gerais. Ao longo de sua vida atuou como docente na Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais e na Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro. Foi redator do jornal "Estado de Minas" e colaborador de várias revistas jurídicas. Pertenceu ao PRM, tendo sido, a partir de 1921, membro da Comissão Executiva do partido. Exonerou-se deste cargo ao tomar posse como ministro do STF.

Documentos Textuais

  • Manuscritos - 333

Documentos Impressos

  • Livros - 24
  • Periódicos - 2
  • Exemplares de Periódicos - 2
  • Artigos de Periódicos - 2

Documentos Audiovisuais

  • Iconografia
    • foto - 15

Análise da Documentação

DOCUMENTOS TEXTUAIS: organizado em 6 séries. A série DOCUMENTOS PESSOAIS reúne diversos diplomas, atos de nomeação, duas pequenas biografias do titular, cadernos de notas etc. A série ATUAÇÃO POLÍTICA é organizada em dossiês de natureza funcional e temática. Quanto aos primeiros, existem dossiês relativos à atuação do titular como senador pelo Espírito Santo, secretário de Finanças do estado de Minas Gerais, ministro da Justiça e Negócios Interiores ministro do STF. Destes destacam-se, pelo volume de documentos e conteúdo, o relativo à Secretaria, que contém uma correspondência interessante de Artur Bernardes ao titular tratando de problemas da administração mineira e o relativo ao Ministério, no qual merecem registro os documentos sobre irregularidades nos estabelecimentos de ensino superior e secundário e as atividades do Departamento Nacional de Saúde Pública. Destacam-se aqueles sobre responsabilidades civis no Levante do Forte de Copacabana, sobre a Revolta de 1924 em São Paulo e a pacificação do Rio Grande do Sul. Quanto aos dossiês temáticos, destaca-se aquele sobre o episódio das "cartas falsas" atribuídas a Artur Bernardes e ao inquérito aberto para investigá-las e aquele realtivo a investigações policiais visando à apuração de responsabilidades pela publicação de duas cartas de autoria de João Luís Alves no folheto "A Reação Republicana e a Questão das Cartas". Na série ATUAÇÃO ACADÊMICA destaca-se o dossiê relativo à candidatura e eleição do titular como membro da Academia Brasileira de Letras. A série CORRESPONDÊNCIA é organizada alfabeticametne, pelo nome do missivista. Destaca-se a correspondência de Artur Bernardes, relativa ao período em que está à frente da Presidência da República, tratando de política nos estados, eleições e preenchimento de cargos públicos; a de Ferdinando Borba, que refere-se à política nacional no período da sucessão presidencial de 1922; a de Venceslau Brás, que abrange o período de 1895 até a morte de João Luís Alves, tratando de política mineira, do início da vida pública do titular como deputado estadual e federal e da indicação de Venceslau à vice-presidência da República; a de Paulo de Lacerda, comentando a indicação de Epitácio Pessoa para concorrer à Presidência da República em 1919; a de Francisco Sales, comentando a política mineira nos períodos em que o titular atuou em cargos legislativos, como deputado e senador e a de Raul Soares, tratando da sucessão presidencial de 1919, de um projeto de viagem para o presidente Artur Bernardes e do preenchimento de cargos por correligionários políticos. A série DOCUMENTOS COMPLEMENTARES contém documentos posteriores à morte do titular, destacando-se os trabalhos da comissão encarregada da construção de um mausoléu junto a seu túmulo e as comemorações pelo centenário de seu nascimento, em 1970.

Descrição do Conteúdo das Séries

Atuação acadêmica
1896 a 1924 23

Atuação política
1892 a 1925 153

Correspondência
1889 a 1925 99

Documentos complementares
1925 a 1970 26

Documentos pessoais
1889 a 1924 32

Fotografias
1873 a 1925 15