Imagens do Acervo

  • João Mangabeira discursa na Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro, entre 1947/1950. (Arq. JMa foto 001)

  • João Mangabeira discursa na presença do marechal Cândido Rondon, de Pedro Calmon, de José Carlos de Macedo Soares e outros. Rio de Janeiro, s.d. (Arq. JMa foto 004)

  • João Mangabeira. S.l., s.d. (Arq. JMa foto 007/3)

  • Passaporte diplomático de João Mangabeira e senhora. Rio de Janeiro, 15/09/1925. (Arq. JMa dp 1919.05.06/3)

  • Carteira da Ordem dos Advogados do Brasil de João Mangabeira. Rio de Janeiro, 24/06/35 (Arq. JMa dp 1919.05.06/4)

  • Carta remetida por João Mangabeira à Yayá Mangabeira no período em que esteve preso, durante o 1º Governo Vargas, tratando de assuntos pessoais. Rio de Janeiro, 29/03/1936. (Arq. JMa 1936.03.25)

João Mangabeira

Sigla: JMa

Dados Biográficos

Titular: João Mangabeira

Filiação: Francisco Cavalcanti Mangabeira e Augusta Cavalcanti Mangabeira

Nascimento: 26/6/1880, Salvador, BAHIA, Brasil

Falecimento: 27/4/1964, Rio de Janeiro, RIO DE JANEIRO, Brasil

Formação Acadêmica

  • Ensino Superior (graduação), Direito, Faculdade de Direito, Bahia, 1897

Principais Atividades

  • Deputado estadual, Partido Republicano 1906,1909
  • Prefeito, Governo municipal de Ilhéus 1907,1911
  • Deputado federal, Partido Republicano 1909,1911
  • Deputado federal, Partido Republicano 1915,1929
  • Senador, Partido Republicano 1930,1935
  • Deputado federal, Esquerda Democrática 1947,1950
  • Ministro de Estado, Ministério das Minas e Energia 1962,1962
  • Ministro de Estado, Ministério da Justiça 1963,1963

Outras Atividades

Participou da articulação política da campanha de Rui Barbosa para presidente da República. Em 1936, durante o "estado de guerra" decretado pelo Governo Vargas, João Mangabeira foi preso, junto com outros parlamentares, acusados de atuarem como um "Comitê Parlamentar à Serviço do líder comunista Luís Carlos Prestes". Com a decretação do Estado Novo, manteve-se na oposição ao Governo, aderindo em 1945 a UDN. A Esquerda Democrática, em agosto de 1945, passou a denominar-se Partido Socialista Brasileiro (PSB0, sendo Mangabeira seu primeiro presidente. Candidato à presidência da República pelo PSB, em 1950. Em 1951, afastou-se da vida pública por sérios problemas de saúde. Durante o governo Juscelino Kubitschek foi nomeado membro do Conselho Superior das Caixas Econômicas. Em 1958, candidatou-se ao Senado, pelo PSB, mas não conseguiu se eleger. Publicou vários pareceres e discursos e três obras importantes: "Em torno da Constituição" (1934); "Um estadista na República" (1947) e "Rui Barbosa - discursos e conferências" (1958).

Documentos Textuais

  • Manuscritos - 233

Documentos Impressos

  • Livros - 23

Documentos Audiovisuais

  • Iconografia
    • cartão postal - 1
    • foto - 61

Análise da Documentação

DOCUMENTOS TEXTUAIS: organizado em dossiês funcionais, tipológicos e temáticos, dispostos em ordem cronológica. Entre os tipológicos destacam-se a correspondência com Rui Barbosa (em xerox) cujos originais foram entregues à Fundação Casa Rui Barbosa, a correspondência com a sua esposa, Yayá Mangabeira, durante o período que esteve preso, e a correspondência com Homero(?) sobre política baiana. Dos temáticos vale ressaltar os dossiês sobre sua prisão. Sua vida parlamentar, bem como sua passagem pelos Ministérios de Minas e Energia e de Justiça são escassamente documentadas.

Descrição do Conteúdo das Séries

Documentos pessoais
1889 a 1975 233

Fotografias
1905 a 1964 62