INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

Etnografia organizacional: temas contemporâneos

Rafael Alcadipani

Professor da FGV EAESP e especialista no método etnográfico. rafael.alcadipani@fgv.br

 

 

O método etnográfico tem sido empregado para se compreenderem as organizações há bastante tempo. Tal método tem a vantagem de revelar as minúcias do cotidiano organizacional e como lógicas sociais são criadas e recriadas no mundo das organizações. Nesta seleção de livros, são apresentados títulos que trazem reflexões a respeito de temas relevantes para se pensarem os desafios da sociedade e das organizações de hoje. Todos os livros apresentados são o resultado de, ao menos, um ano de experiência de campo, e estão gerando debates importantes por tratarem de assuntos fundamentais para a sociedade atual e também por levarem a etnografia a novos limites. Os livros a seguir são indicação de Rafael Alcadipani, professor da FGV EAESP e especialista no método etnográfico.

 

 

ON THE RUN: Fugitive life in an American city.

Alice Goffmam. Chicago, USA: The Univesity of Chicago, 2014. 304 p.

Alice Goffmam explora o cotidiano dos fugitivos da justiça nos EUA. O livro gerou grandes debates naquele país em relação a até onde um pesquisador pode ir durante a sua pesquisa. Ou seja, quais os limites éticos para a prática da etnografia organizacional? O livro mostra, ainda, a realidade dos pobres residentes nas periferias dos EUA, assunto pouco explorado no Brasil. O texto é muito bem escrito, e as ideias estão bem articuladas.

 

 

KILLING CONSENSUS: Police, organized crime and the regulation of life and death in urban Brazil.

Graham Denyer Willis. Oakland, USA: University of California, 2015. 216 p.

Graham Willis explora como a polícia e o crime organizado seguem lógicas muito parecidas na regulação da vida nas periferias do Brasil. Em um livro instigante e inteligente, o autor mostra a construção social dos homicídios que são aceitáveis e não aceitáveis, desvendando como se constrói, no Brasil, um consenso em torno de quem pode ser morto; em geral, o pobre da periferia. Traz uma análise organizacional fora dos padrões convencionais.

 

 

PARTICIPANT OBSERVATION.

James P. Spradley. Nova Iorque: Wadsworth Cengage Learning, 1980, 195 p.

James Spradley é um etnógrafo consagrado. Em minha opinião, o livro é um clássico e traz a melhor descrição do método etnográfico na prática. O autor identifica as 12 grandes etapas para o desenvolvimento da pesquisa etnográfica, ensinando como realizar observação participativa e registrá-la, e como os dados devem ser coletados, organizados e transformados em teoria. Com o detalhamento minucioso dessas etapas, Spradley mostra como fazer etnografia de maneira simples, clara e direta.

 

 

RECONSTRUCTING ORGANIZATIONS: The loungification of society.

Damian P. O’Doherty. London: Palgrave Macmillan, 2017. 324 p.

Damian P. O’Doherty é um pesquisador organizacional bastante original e com excelente lastro teórico. Neste livro, ele explora a ideia da existência de uma organização pequena que se localiza nos lounges dos aeroportos. O autor ficou por cerca de dois anos e meio fazendo um estudo etnográfico dentro do aeroporto de Manchester, onde conseguiu perceber lógicas atuantes que se traduzem em importantes impactos na sociedade.

 

 

MANUFACTURING MORALS: The values of silence in business school education.

Michel Anteb. Chicago: The University of Chicago Press, 2013. 248 p.

O que acontece dentro da mais prestigiosa escola de negócios do mundo? Este livro leva o leitor ao cotidiano da Harvard Business School (HBS), e mostra como o silêncio e o não dito são fundamentais na socialização de seus estudantes e professores. Apresenta os meandros de como a educação em negócios se associa com a questão da moral e da responsabilidade corporativa, além de revelar os bastidores do dia a dia das escolas de ponta nos EUA.

 

Creative Commons LicenseThis is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.