INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

Alimentos, a cidade e a rua

Noah Allison

ORCID: 0000-0003-1123-7487. Doutorando em Política Urbana, na The New School, em Nova Iorque. allin115@newschool.edu

 

 

As empresas do setor alimentar são vitais para o desenvolvimento e a sustentabilidade das cidades, e são essenciais para o convívio e a habitabilidade das esferas urbana. A enorme quantidade de estudiosos que têm analisado metrópoles têm negligenciado frequentemente a comida como um fator crucial na compreensão das cidades. Os seguintes livros fornecem uma rica discussão conceitual e empírica sobre as maneiras como as empresas alimentares influenciam ambientes físicos e sociais, bem como políticas públicas e urbanas. Os textos analisam o impacto das empresas do setor alimentar em relação às cidades a partir de uma perspectiva de macroescala, e as influências que essas empresas têm na esfera urbana a partir de um nível micro. Juntos, fornecem um ponto de partida para entender o emaranhado de relações entre o comércio alimentar e o urbanismo. Noah Allison é doutorando em Política Urbana, na The New School, em Nova Iorque.

 

 

STREET FOOD: Culture, economy, health & governance
Ryzia de Cássia Vieira Cardoso, Michèle Companion & Stefano Roberto Marras (Eds.). London, UK: Routledge, 2014. 300 p.

Os editores desta obra são os primeiros a fornecer uma perspectiva de ciência social abrangente sobre a diversidade de comida de rua e formas de microempreendedorismo que são visíveis em todo o mundo e ao longo da história. O negócio de alimentar as pessoas na rua representa um fenômeno culturalmente diverso, multifacetado e economicamente significativo, particularmente para os pobres e grupos marginalizados, incluindo as mulheres e os migrantes. Este livro destaca estudos de caso de cidades específicas em diferentes regiões do mundo.

 

 

INFORMAL POLITICS: Street vendors and the state of Mexico City
John Christopher Cross. California, USA: Stanford University Press, 1998. 284 p.

Ao analisar a venda de rua na Cidade do México como um processo político, John Christopher Cross desenvolve novos avanços teóricos sobre movimentos sociais, instituições do Estado e política, à margem da sociedade, onde a legalidade e a ilegalidade se cruzam e a economia informal intersecta o seu contraponto político-política informal. Estudando os processos políticos no nível da rua e, depois, seguindo-os acima na estrutura política, Cross revela os processos básicos pelos quais o Estado mexicano atua, ilustrando que, quando eles são bem-organizados, vendedores de rua podem influenciar os implementadores de políticas de Estado, mesmo quando os decisores políticos são influenciados por poderosos grupos de interesse, tais como grandes empresas nacionais e multinacionais.

 

 

FOOD TRUCKS, CULTURAL IDENTITY, AND SOCIAL JUSTICE: From loncheras to lobsta love
Julian Agyeman, Caitlin Matthews & Hannah Sobel. Cambridge, USA: MIT Press, 2017. 352 p.

Este livro analisa o fenômeno dos food trucks em cidades norte-americanas, de Los Angeles a Montreal, considerando os fatores motivadores por trás da promoção pela cidade ou a restrição da venda móvel de alimentos, e como estes podem se conectar ou impedir grandes objetivos de justiça social. Os autores investigam a aplicação de regras discriminatórias, com hipsters gentrificados a receber frequentemente tratamento preferencial em relação aos imigrantes tradicionais; food trucks como parte do desenvolvimento econômico comunitário; e o papel dos food trucks na formação da identidade cultural. Em última análise, Food trucks, cultural identity, and social justice demonstra que a formação da identidade cultural e o desenvolvimento econômico comunitário são as duas estruturas por meio das quais a justiça social pode ser identificada nas políticas e práticas.

 

 

FOOD AND URBANISM: The convivial city and a sustainable future
Susan Parham. New York, USA: Bloomsbury Press, 2015. 376 p.

As cidades são atualmente o lar de 50% da população mundial, e o número tende a crescer. Mudanças dessa magnitude engendraram uma enorme demanda de recursos e infraestruturas urbanas; no entanto, a comida ainda é frequentemente negligenciada como um fator-chave no planejamento e desenvolvimento das cidades. No livro Food and e urbanism, Parham explora as dependências entre comida e lugar nas práticas de design passadas e presentes, buscando novos métodos para ampliar as possibilidades "gastronômicas" da urbanidade. Ao fazê-lo, ela apresenta informações sobre como a interação do design físico e as práticas socioespaciais envolvendo alimentos podem ajudar a propagar e manter espaços urbanos sociais, ricos, produtivos e sustentáveis.

 

 

TEN RESTAURANTS THAT CHANGED AMERICA
Paul Freedman. New York, USA: Liveright Publishing Corporation, 2016. 560 p.

Ten restaurants that changed America ilustra como restaurantes nos Estados Unidos contam a história do desenvolvimento da América. Ao elaborar uma história social que descreve 10 restaurantes, Freedman revela uma história mais ampla de etnia, classe, imigração e assimilação por meio da análise de restaurantes requintados, bem como pontos urbanos elegantes que atendem mulheres, e instituições que foram pioneiras no jantar sofisticado familiar da classe média. Ten restaurants that changed America é um trabalho inovador em um gênero completamente novo da história do desenvolvimento.

 

Creative Commons LicenseThis is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.