ALFREDO SALIM DUAILIBE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DUAILIBE, Alfredo
Nome Completo: ALFREDO SALIM DUAILIBE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DUAILIBE, ALFREDO

DUAILIBE, Alfredo

*dep. fed. MA 1951-1955; sen. MA 1955, 1957 e 1962.

 

Alfredo Salim Duailibe nasceu em São Luís no dia 19 de outubro de 1914, filho de Salim Nicolau Duailibe e de Linda Saddy Duailibe, ambos naturais do Líbano.

Iniciou seus estudos em 1921, no Instituto Gomes de Sousa, em São Luís; entre 1922 e 1924, estudou no Instituto Fernandes e, no ano seguinte, completou seu curso primário no Liceu Sagrado Coração de Jesus, em São Paulo. Iniciando seu curso secundário neste mesmo colégio, estudou ainda no Colégio Nóbrega, entre 1928 e 1929, em Recife e, em 1930, no Liceu Maranhense, localizado na capital maranhense. Em 1931, ingressou na Faculdade Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, formando-se em 1936. Dentre vários cursos de aperfeiçoamento, especializou-se, em 1942, em medicina desportiva pela Escola Nacional de Educação Física e Desportos, no Rio de Janeiro.

Retornando ao Maranhão, ao longo da década de 1940 foi médico, fundador, chefe e diretor do Serviço de Educação Física, regente da cadeira de biometria na Escola Normal do Instituto de Educação, em São Luís, e provedor da Santa Casa. Foi ainda secretário-geral do Maranhão, secretário de Educação e Saúde, diretor-geral do Departamento de Educação e diretor-geral da Instrução Pública, além de secretário de Interior, Justiça e Segurança no governo de Sebastião Archer (1947-1951).

No pleito de 1950, elegeu-se deputado federal pelo Maranhão na legenda do Partido Social Trabalhista (PST), assumindo o mandato em fevereiro de 1951. No pleito seguinte, de outubro de 1954, elegeu-se suplente do senador Vitorino Freire, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Deixou a Câmara em janeiro de 1955, e durante o mandato de Vitorino Freire, que se estendeu até 1963, substituiu-o no Senado de julho a novembro de 1955, de julho a setembro de 1957 e de maio a junho de 1962. Ainda na década de 1950, lecionou na atual Universidade Federal do Maranhão. Entre 1956 e 1960, foi presidente da Legião Brasileira de Assistência (LBA) do Maranhão.

Eleito vice-governador do Maranhão em outubro de 1960, integrando chapa encabeçada por Newton Belo, assumiu o cargo no início do ano seguinte. Entre 26 e 31 de janeiro de 1966, nos últimos dias da gestão de Belo, acabou ocupando a administração estadual. De acordo com o próprio biografado, isso se deu devido à negativa de Belo em passar o governo para José Sarney, eleito no final do ano anterior, em praça pública. Aproveitando-se do fato de já ter obtido uma licença para tratamento de saúde que ainda não fora gozada, o governador afastou-se do cargo no dia 26 de janeiro de 1966, sendo substituído por Duailibe. Na qualidade de governador em exercício, Duailibe transmitiu o cargo, em praça pública, para Sarney, no dia 31.

Em março de 1971, tornou-se secretário de Interior e Justiça do Maranhão, no governo de Pedro Neiva (1971-1975), exercendo-o até 1975. Ainda em 1971, foi titular por pouco tempos das pastas de Educação e Cultura e de Segurança. Em novembro de 1974, elegeu-se suplente do senador Vitorino Freire. Segundo o jornal Estado do Maranhão, em 1970, teria sido indicado para compor, como suplente, a chapa ao Senado de Alexandre Costa, eleitos para o período 1971-1979. Duailibe, porém, jamais exerceu sua titularidade. Em 1981, aposentou-se como professor universitário na Universidade Federal do Maranhão.

Ao longo da sua trajetória no exercício da medicina, Alfredo Duailibe foi ainda médico do Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado (IPASE), sócio efetivo, vice-presidente e presidente interino da Liga Maranhense de Combate ao Câncer, membro efetivo e fundador da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Maranhão e membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia. No cenário político, foi também presidente do diretório regional do PST e membro do diretório regional da Aliança Renovadora Nacional (Arena).

Em 19 de outubro de 2007, o jornal produzido pela Agência Sebrae de Notícias noticiou que Duailibe estava comemorando, naquele dia, seu aniversário de 93 anos junto com a família.

Casou-se com Maria José Mendes Duailibe, com quem teve cinco filhos.

Publicou Dispepsia intestinal fermentativa, em 1940.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; CISNEIROS, A. Parlamentares; CURRIC. BIOG.; INF. BIOG. e Maria Francisca Teresa Mendes Duailibe; MEIRELES, M. História; NÉRI, S. 16; SENADO. Relação; SENADO (Relações Públicas); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2 e 3); Estado do Maranhão (17/10/04); Agência Sebrae de Notícias (19/10/07).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados