DIMAS LOPES DA SILVA COELHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COELHO, Dimas
Nome Completo: DIMAS LOPES DA SILVA COELHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
COELHO, Dimas

COELHO, Dimas

* militar; comte. III Dist. Naval 1981-1984

 

Dimas Lopes da Silva Coelho nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 8 de dezembro de 1926, filho de Agenor Pinto da Silva Coelho e Julieta Lopes Coelho.

Ingressou na Escola Naval em fevereiro de 1945, como aspirante, tendo sido declarado guarda-marinha em janeiro de 1951. No ano seguinte, em fevereiro, passou a segundo-tenente. e em 1953 a primeiro-tenente. Durante os dois anos seguintes, serviu nos navios-hidrográficos Camocim e Caravelas. Elevado à patente de capitão-tenente em maio de 1956, no ano seguinte serviu na corveta Forte de Coimbra. De março de 1958 a abril de 1960, foi instrutor no curso de aperfeiçoamento de oficiais da Escola de Guerra Naval (EGN).

Paralelamente às instrutorias, foi designado, em fevereiro de 1960, imediato do NH Orion, cargo pelo qual respondeu até junho de 1961, apenas um mês antes de ser promovido a capitão-de-corveta. Em novembro do ano seguinte foi indicado para um estágio de Serviço Hidrográfico, na Inglaterra, que o ocupou até janeiro de 1963. De volta ao Brasil, foi em seguida indicado para realizar  um novo curso no exterior, desta vez o de hidrografia, oferecido pela Marinha italiana. Ainda na Itália, realizou um estágio de Serviço de Sinalização Náutica, em meados de 1965, mesmo período em  que concluiu o curso de hidrografia e retornou ao Brasil. Nesse mesmo ano tornou-se membro da Sociedade Brasileira de Cartografia.

Em janeiro de 1966, assumiu a chefia do Departamento de Sinalização Náutica do Centro de Sinalização Náutica e Reparos Almirante Moraes Rego, cargo que exerceu por aproximadamente um ano. Em agosto de 1966, foi promovido a capitão-de-fragata.

Nomeado chefe do Departamento de Geofísica da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN) em fevereiro de 1967, ainda este ano  realizou o curso básico da EGN, além de ter sido designado representante do Ministério da Marinha junto à Superintendência do Desenvolvimento da Pesca, delegado brasileiro na reunião do Grupo de Trabalho sobre Assistência Mútua e Desenvolvimento de Programas Nacionais, da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (Cairo – Egito), e delegado brasileiro na V Assembléia Geral (Paris – França). Em setembro do ano seguinte, passou a responder pela chefia do Departamento de Hidrografia da DHN. Ainda em 1968, realizou o curso de Comando e Estado-Maior da EGN e representou a Marinha na Comissão de Planejamento de Normas Geográficas e Cartográficas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e também na Conferência Nacional de Geografia e Cartografia.

Em abril de 1969, deixou a chefia de departamento da DHN, para em julho apresentar-se como imediato ao NH Sirius, onde permaneceu até o mês de agosto de 1970. Neste mesmo período, paralelamente, realizou o curso Superior de Guerra Naval, na EGN. Ainda em junho deste último ano, foi promovido a capitão-de-mar-e-guerra. Três meses depois, em setembro, assumiu como adjunto a subchefia de Planejamento Estratégico do Estado Maior da Armada (EMA). Foi ainda secretário da Comissão Interministerial de Estudos dos Assuntos Relacionados com a Política Brasileira para os Recursos do Mar. Em 1971, concomitantemente às atividades referidas, foi nomeado representante do Ministério da Marinha no Grupo Negociador de Acordo de Pesca com países como a França, Trinidad-Tobago, EUA e Guiana, além de assessor da delegação brasileira nas reuniões do Comitê dos Fundos Marinhos, preparatórias da Conferência sobre o Direito do Mar (Genebra – Suíça).

Em 1972, matriculou-se no Curso Superior de Guerra, da Escola Superior de Guerra (ESG), tornando-se ainda neste ano membro do corpo permanente da instituição. Em maio de 1975, deixou a escola para assumir a vice-diretoria da Diretoria do Pessoal Militar da Marinha, atribuição que lhe coube até março de 1977, ocasião em que passou à patente de contra-almirante. Após breve passagem como secretário da Comissão de Promoções da Marinha, tornou-se assistente-marinha do Comando da ESG, em fevereiro de 1978. Comandante da Força de Transportes da Marinha (FTM) de março de 1980 até agosto de 1981, no mês seguinte foi nomeado para o comando do III Distrito Naval (DN), sediado em Natal, em substituição a Luís Edmundo Bittencourt. Em novembro, foi promovido ao posto de vice-almirante. Deixou o comando do III DN em janeiro de 1984, quando foi substituído por Armando Ferreira Vidigal. Em agosto, passou para a reserva remunerada, retirando-se  então da vida pública.

Casou-se com Adelaide Ferreira Coelho, com quem teve três filhos.

 

FONTE: CURRIC. BIOG.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados