FERNANDO DE VASCONCELOS COELHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COELHO, Fernando
Nome Completo: FERNANDO DE VASCONCELOS COELHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
COELHO, Fernando

COELHO, Fernando 

* dep. fed. PE 1975-1983.

 

Fernando de Vasconcelos Coelho nasceu em Campina Grande (PB) no dia 20 de julho de 1932, filho de Eusébio Joaquim da Silva Coelho e de Maria de Vasconcelos Coelho.

Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universi­dade de Pernambuco em 1955.  Professor e funcionário público estadual, foi chefe da Pro­curadoria Administrativa, em 1960, e da Procuradoria Judicial da Prefeitura de Recife, de 1961 a 1963, durante a gestão de Miguel Arrais como prefeito da capital pernambuca­na. Entre 1963 e 1964, já no governo esta­dual de Miguel Arrais, foi presidente do Ins­tituto de Previdência dos Servidores do Es­tado de Pernambuco.  Depois da deposição do governador em decorrência do movimento po­lítico-militar de março de 1964, foi procura­dor das execuções fiscais do estado, cargo que ocupou por dez anos. Foi, ainda, no período entre 1973 e 1975, vice-presidente do Insti­tuto dos Advogados de Pernambuco.

No pleito de novembro de 1974 elegeu-se deputado federal por Pernambuco na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), assumindo seu mandato em fevereiro do ano seguinte. Nessa legislatura foi vice-presidente da Comissão de Serviço Público e das comis­sões parlamentares de inquérito (CPI) do Proterra e do Ensino Superior, membro efeti­vo da Comissão de Constituição e Justiça e suplente da Comissão do Polígono das Secas, exercendo ainda a função de vice-líder da ban­cada de seu partido.

Reeleito em novembro de 1978, ainda na legenda do MDB, com a extinção do biparti­darismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasi­leiro (PMDB). Nessa legislatura atuou como relator da CPI destinada a investigar a situação do patrimônio histórico e artístico nacional e a avaliar a política do governo federal para sua defesa e conservação, foi membro efetivo das comissões de Transportes e de Economia, In­dústria e Comércio e suplente das comissões de Serviço Público, de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas e de Constituição e Justi­ça, e participou da Comissão Especial do Código Civil. Em 1981 voltou a exercer as funções de vice-líder de sua bancada, defen­dendo o programa do partido e apoiando a li­berdade de organização sindical, bem como o direito de greve a todos os trabalhadores.

Nas eleições de novembro de 1982 concor­reu, na legenda do PMDB, ao cargo de vice-­governador de Pernambuco, na chapa encabeçada por Marcos Freire, derrotada pelo candidato do Partido Democrático Social (PDS) Roberto Magalhães. Fernando Coelho encerrou seu mandato em janeiro de 1983,

Presidente da seção pernambucana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de  1983 a 1985, nesse ano filiou-se  ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). Em 1986, assumiu a Diretoria de Crédito à Infra-Estrutura do Banco do Nordeste do Brasil, desempenhando essas funções até 1988. Durante a terceira passagem de Miguel Arrais pelo governo de Pernambuco, entre 1995 e 1999, foi chefe da Assessoria Especial do governador.

Paralelamente a essas atividades, foi professor titular de direito financeiro da Faculdade Católica de Pernambuco até 1998, ano em que aposentou como professor e como procurador do Estado de Pernambuco.

Casou-se com Isolda van der Linden de Vasconcelos Coelho, com quem teve três filhos.

Publicou A OAB e o regime militar (1996).

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1975-1979 e 1979-1983); Estado de São Paulo (10/8/82); Folha de São Paulo (19/3/81); INF. BIOG.; NÉRI, S. 16; Perfil (1980).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados