Edson Lopes Cardoso

Entrevista

Edson Lopes Cardoso

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Movimento Negro no Brasil", desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o South-South Exchange Programme for Research on the History of Development (Sephis), sediado na Holanda, a partir de setembro de 2003. A pesquisa tem como objetivo a constituição de um acervo de entrevistas com os principais líderes do movimento negro brasileiro. Em 2004 passou a integrar o projeto "Direitos e cidadania", apoiado pelo Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) do Ministério da Ciência e Tecnologia. As entrevistas subsidiaram a elaboração do livro "Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC." Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007. A escolha do entrevistado se justificou por sua importante participação em alguns momentos cruciais na história recente do movimento negro brasileiro como, por exemplo, na Marcha Zumbi dos Palmares pela Cidadania e pela Vida, da qual foi propositor e coordenador.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC. Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Amilcar Araujo Pereira
Data: 28/4/2006
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 3h58min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Edson Lopes Cardoso
Nascimento: 10/10/1949; Salvador; BA; Brasil;

Formação: Graduado em Letras pela Universidade de Brasília (UNB).
Atividade: Professor. Foi propositor e coordenador da Marcha Zumbi dos Palmares pela cidadania e pela vida, realizada pelo Movimento Negro no tricentenário da morte do Zumbi, em 20 de novembro de 1995. Participou também de maneira efetiva no processo de preparação da delegação brasileira para a III Conferência Mundial contra o racismo e, como assessor parlamentar do Deputado Bem-Hur Ferreira no resgate e tramitação do Projeto de Lei que resultou na assinatura, pelo Presidente Lula, da Lei 10.639 em 9 de janeiro de 2003.

Equipe

Levantamento de dados: Amilcar Araujo Pereira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Verena Alberti;Amilcar Araujo Pereira;

Transcrição: Amilcar Araujo Pereira;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Luanna Gentil ;

Temas

Ação Popular (1962);
África do Sul;
Bahia;
Ditadura;
Educação;
Família;
Florestan Fernandes;
Governo Fernando Henrique Cardoso (1995-1998);
Governo Fernando Henrique Cardoso (1999-2002);
Governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003 - 2010);
História;
Literatura;
Movimento estudantil;
Movimento negro;
Partido dos Trabalhadores - PT;
Paulo Paim;
Repressão política;
Rio de Janeiro (cidade);
Rio de Janeiro (estado);
Rio Grande do Sul;
Universidade de Brasília;
Universidade Federal da Bahia;

Sumário

Entrevista: 28.04.2006

Origens familiares; a infância em Salvador; memórias familiares; o papel do pai na sua educação; a morte do irmão mais velho; o contato com um grupo de estudos da Ação Popular (AP); o interesse pela literatura; o movimento estudantil no Brasil; o primeiro contato com o movimento negro; o cotidiano escolas antes e depois do AI 5; a repressão em 1969; episódios marcantes para a questão racial; a ida ao Rio de Janeiro em 1974; o período de mudança para o Rio de Janeiro; a mudança para Porto Alegre; o retorno à Bahia; o ingresso para Universidade Federal da Bahia (UFBA) para cursar Letras; a criação do núcleo de estudos afro-brasileiro; a greve; as formas de jubilamento advindas da Repressão da Ditadura Militar; a direção do Centro Acadêmico de Letras; a relação com o movimento estudantil; as relações afetivas; o rompimento com a Universidade e a ida à Porto Alegre; a importância do Instituto Goethe para o movimento negro; as experiências profissionais; o contato com um clube de leitura em Porto Alegre; o contato com Oliveira Silveira; o retorno à Salvador; o trabalho no jornal A Tarde; a mudança para Brasília; o trabalho na Livraria Galilei; o ingresso à Universidade de Brasília (UnB); o trabalho na Revista Brasileira de Tecnologia do CNPq; os primeiros contatos com o Movimento Negro Unificado (MNU); o processo de se transformar ativista; a construção da Comissão do Negro do Partido dos Trabalhadores (PT); o mestrado em comunicação na UnB; a criação do jornal Raça e Classe; a candidatura pelo PT; o I Encontro do Negro do PT; os conflitos dentro do partido; a saída do PT; as construção de uma organização política; a proposta da Marcha Zumbi dos Palmares; as disputas com o PT; o período de viagens e mobilização do movimento negro; a busca pela autonomia do movimento negro; as tentativas de infiltração e à desqualificação do movimento negro; as infiltrações militares dentro das marchas; a relação com o Governo Fernando Henrique Cardoso; a relação com o Governo Lula; a relação com a Articulação da Marcha Zumbi +10; a construção da Marcha; a critica ao PT diante dos movimentos sociais; o trabalho como chefe de Gabinete do Florestan Fernandes; a construção da Marcha de 1995 ; a experiência na função parlamentar; a atuação como professor de Literatura; a edição do livro Bruxas, espíritos e outros bichos; a aprovação da Lei 9.459; o trabalho como chefe de gabinete do deputado Eurídio Ben-Hur; a tentativa de introduzir introduzindo História da África na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB); o trabalho com Paulo Paim; a criação da Frente Parlamentar Brasil-África; o processo da Lei 10.639; a escravidão colonial; o passado das lutas do negro no Brasil; temas censurados pela Ditadura Militar; as influências dos movimentos norte americanos ; a luta contra o período “alisa-se cabelo”; a reunião na Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud); a ida à Genebra; a conferência em Durban; o curso de capacitação pela Fundação Ford; a predominância de mulheres no movimento negro do Brasil ;a importância das manifestações e resistência na África do Sul; o estatuto da igualdade racial; conclusões e agradecimentos.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados