Haroldo Borges Rodrigues Lima I

Entrevista

Haroldo Borges Rodrigues Lima I

Entrevista realizada no contexto do projeto "O petróleo na sociedade brasileira", na vigência do convênio entre o CPDOC/FGV e a Agência Nacional do Petróleo (ANP), entre setembro de 2004 e dezembro de 2006. O projeto visa à elaboração de um livro sobre a história do petróleo na sociedade brasileira, desde seus primórdios até a criação da ANP, no final da década de 1990, com ênfase na legislação elaborada ao longo do período. Esta entrevista subsidiou a elaboração do livro: "História social do petróleo no Brasil". / Regina da Luz Moreira e Sergio Tadeu Niemeyer Lamarão. Rio de Janeiro: s. e., 2005. Inédito. A escolha do entrevistado se justificou por ser Diretor-Geral da ANP.
Forma de Consulta:

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Regina da Luz Moreira
Sérgio Tadeu de Niemeyer Lamarão
Data: 2/12/2005
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 1h20min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Haroldo Borges Rodrigues Lima
Nascimento: 7/10/1939; Caetité; BA; Brasil;

Formação: Engenheiro Eletricista, formado pela Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, na qual ingressou em 1959, concluindo o curso em 1963.
Atividade: Foi membro da juventude Universitária Católica. Em 1961, foi um dos fundadores da ação popular, e seu dirigente até sua incorporação ao PC do B, em 1972, quando passou a integrar o Comitê Central desse partido. Trabalhou como engenheiro geral da Electric, de onde saiu para participar da Companhia de Eletricidade de Bahia, a Coelba, Estatal Baiana de Eletricidade, aonde chegou a exercer a função de engenheiro chefe da Divisão de Operações e Manutenção. Eleito Deputado Federal pelo PMDB em 1982, assumindo em seguida a vice liderança do PMDB na Câmara. Reeleito quatro vezes, cumpriu cinco mandatos consecutivos como Deputado Federal. Integrante de todas as comissões que trataram de petróleo na Câmara, como a que resultou na quebra do monopólio estatal do petróleo. È diretor geral da ANP.

Equipe

Levantamento de dados: Regina da Luz Moreira;Sérgio Lamarão;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Regina da Luz Moreira;Sérgio Lamarão;

Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Gabriel Cardoso;

Temas

Ação Popular (1962);
Aldo Arantes;
Anísio Teixeira;
Atividade profissional;
Bahia;
China;
Cuba;
Ditadura;
Engenharia;
Ensino superior;
Família;
Golpe de 1964;
Juscelino Kubitschek;
Juventude Universitária Católica;
Militância política;
Partido Comunista do Brasil - PCdoB;
Perseguição política;
Petrobras;
Petróleo;
União Nacional dos Estudantes;
Universidade Federal da Bahia;

Sumário

Entrevista: 02.12.2005

Fita 1-A: Origens familiares; a relação e influência do tio paterno, Anísio Teixeira; a oposição à presença de Anísio Teixeira no governo de Juscelino Kubitschek; a entrada na universidade e a participação na Juventude Universitária Católica (JUC); a chegada de Aldo Arantes, membro da JUC, à presidência da União Nacional dos Estudantes (UNE) e suas iniciativas, como a UNE Volante e a filiação à União Internacional dos Estudantes (UIE); a articulação pela criação da Ação Popular (AP); comentários sobre a atuação pós-Golpe de 1964; os Debates Teóricos Ideológicos (DTI) dentro da AP, a definição de sua linha marxista-leninista e a sua transformação em Ação Popular Marxista-Leninista (APML); a participação da APML na Organização Latino-americana da Solidariedade (Olas), em Cuba, e a posterior viagem à China.
Fita 1-B: A integração da APML no Partido Comunista do Brasil (PC do B); a formação do entrevistado em engenharia elétrica na Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia em 1963; o primeiro emprego no Departamento de Energia do Estado da Bahia e a sua demissão logo após o golpe de 1964; o emprego na General Eletric e a mudança para a Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba); o interesse pelas questões do petróleo e a participação em atividades ligadas a Petrobras; o trabalho na zona do cacau da Bahia; a ida para São Paulo e a prisão, em 1976; a segunda prisão em Salvador; a fundação do PMDB na Bahia e a eleição do entrevistado a deputado federal em 1983; o início da articulação do entrevistado com a Petrobras e o interesse nas questões relativas ao petróleo; comentários sobre a participação do entrevistado na Constituinte e a elaboração da Constituição Federal; a legalização dos partidos comunistas e o novo mandato do candidato pelo PC do B; a Revisão Constitucional em 1993 e a necessidade do entrevistado em defender o monopólio estatal do petróleo e da Petrobras.
Fita 2-A: Comentários sobre as discussões acerca da Emenda nº 9, que objetivava acabar com o monopólio estatal do petróleo que era exercido, em exploração e produção, pela Petrobras; o convite para a direção da Agência Nacional do Petróleo (ANP); comentários sobre a atuação como diretor-técnico da ANP; comentários sobre o crescimento do setor do petróleo e sobre o crescimento da Petrobras; o projeto de se criar no Brasil o setor de pequena e média produção de petróleo.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados