ANDRADE, JOSE PRAXEDES DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ANDRADE, José Praxedes de
Nome Completo: ANDRADE, JOSE PRAXEDES DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ANDRADE, JOSÉ PRAXEDES DE

ANDRADE, José Praxedes de

*rev. 1935.

 

José Praxeres de Andrade nasceu em Natal em 1900.

Sapateiro, era descendente de índios potiguares.

Militante do Partido Comunista Brasileiro, então Partido Comunista do Brasil (PCB), foi preso cinco vezes no período de 1930 a 1935 pelo então chefe de polícia de Natal e futuro presidente da República, João Café Filho. Foi um dos líderes do levante ocorrido na capital potiguar em 23 de novembro de 1935. Com a tomada, pelos revoltosos, da capital e de cidades vizinhas, Praxedes assumiu, no dia 25 do mesmo mês, a função de ministro do Abastecimento do Governo Popular Revolucionário, cujo manifesto ao povo tinha por base o programa da Aliança Nacional Libertadora (ANL).

A revolta, que contou com o apoio de grande parte da população, durou até o dia 27 de novembro de 1935, quando foi sufocada por tropas legalistas. Submetido a julgamento, José Praxedes foi incurso na Lei de Segurança Nacional e condenado.

Após sua prisão em Natal, já como dirigente do PCB, fugiu para o interior do Rio Grande do Norte, passando em seguida por Recife, Maceió e Salvador, sempre clandestino e militante. Na capital baiana, onde chegou em junho de 1937, trabalhou na sua profissão numa sapataria local sob o nome falso de Eduardo Pereira da Silva, nome este que manteria até o fim da vida.

Mesmo sendo anistiado em 1945, jamais deixou a clandestinidade, “porque não confiava em Vargas”, segundo depoimento seu gravado pelo jornalista Moacir Oliveira Filho, do jornal Última Hora de Brasília.

Em 1964 deixou definitivamente a militância. Seu último ato político foi votar no pleito de novembro de 1978 nos candidatos do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Novamente anistiado em 1979, já se encontrava bastante doente e, por isso, achou que não havia mais por que reivindicá-la.

Faleceu em Simões Filho (BA), no dia 12 de dezembro de 1984, vítima de problemas pulmonares.

Foi casado quatro vezes, a última das quais com Maria Félix da Silva, e teve sete filhos.

 

FONTES: Jornal do Brasil (13/12/84); LEVINE, R. Vargas; SILVA, H. 1935; Veja (19/12/84).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados