Ricardo Vieira Coutinho

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COUTINHO, Ricardo
Nome Completo: Ricardo Vieira Coutinho

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Ricardo Coutinho

COUTINHO, Ricardo

*pref. João Pessoa 2005-2010; gov. PB 2011-2018

 

Ricardo Vieira Coutinho nasceu em João Pessoa (PB) no dia 18 de novembro de 1960, filho de Coriolano Coutinho e de Natércia Vieira.

Formado em farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), fez especialização em farmácia hospitalar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Tão logo terminou os estudos conquistou, por meio de concurso público, uma vaga de farmacêutico no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa.

Começou na carreira política ainda no movimento estudantil quando foi presidente do Centro Acadêmico de Farmácia. Em 1984, participou do histórico comício das Diretas-Já, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo período, entrou em contato com o movimento sindical e presidiu o Sindicato dos Farmacêuticos. Em 1990, foi fundador do SindSaúde e ainda na mesma década, fundou também o Departamento de Saúde da Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB). Esteve ainda por duas vezes à frente do Sindicato dos Funcionários da UFPB.

Foi eleito vereador de João Pessoa pelo Partido dos Trabalhadores (PT) por duas vezes, em 1992 e em 1996. Para o segundo mandato, obteve 6.917 votos conquistando o primeiro lugar naquela eleição e o maior número de votos até então recebidos por um vereador na capital.

Em 1998, candidatou-se a deputado estadual pelo PT, sendo o mais votado em João Pessoa. Em 2002, ainda pelo PT, foi reeleito com o maior número de votos do pleito: 47.912. Na Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba (AL-PB), foi presidente da Comissão de Saúde nos dois mandatos.

No início do ano de 2004, sofrendo pressões e embates dentro PT, deixou a legenda para se candidatar a prefeito de João Pessoa pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), vencendo as eleições com cerca de 65% dos votos do eleitorado da cidade.

Recebeu vários prêmios no período de sua gestão como prefeito, a saber: Título de Administrador Público do ano (2005 e 2006); Prefeito Amigo da Criança (2005-2006); Prêmio Prefeito Empreendedor (2006); Prêmio Melhores Práticas de Gestão para o Desenvolvimento Humano na América Latina e Caribe (2007); Prêmio Excelência Administrativa do Nordeste (2007); Prêmio Gestão democrática voltada para o desenvolvimento sustentável (2007); Prefeito Amigo da Criança (2007-2008) e Prêmio Municípios mais Dinâmicos do Brasil (2008).

Entre as ações empreendidas pela Prefeitura de João Pesssoa nessa gestão de Ricardo Coutinho, destacam-se: a construção do Terminal de Integração dos Transportes Urbanos, em abril de 2005, e posterior integração temporal dos ônibus com a implantação da bilhetagem eletrônica, em janeiro de 2007; o Programa de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP) que nos quatro primeiros anos de sua criação, recebeu o investimento de quase R$ 15 milhões, beneficiando mais de 6,2 mil famílias; a construção de nove praças padronizadas e a reforma e recuperação de mais de cinquenta praças; a criação do Orçamento Democrático; a construção de 16 unidades padrão de Atenção Básica, reunindo equipes de Saúde da Família; a construção de dez Centros de Referência da Educação Infantil (Crei) – antigas creches; a construção de quase quatro mil novas casas, em parceria com o governo federal, e a criação do mais completo conjunto habitacional construído no governo Lula, o Gervásio Maia, que possui cerca de mil e trezentas moradias, dotado de infraestrutura de saneamento básico, drenagem, pavimentação, além de uma escola, uma creche, uma Unidade de Saúde da Família e uma praça pública.

Em outubro de 2008, candidatou-se à reeleição pelo PSB e, novamente, foi conduzido ao cargo de prefeito da capital paraibana. Nesse pleito obteve 262.041 votos, o equivalente a 73,8% do eleitorado. Iniciou novo mandato em janeiro de 2009. Nesse mesmo ano, tornou-se presidente da seção do PSB da Paraíba. 

Renunciou ao cargo de prefeito para concorrer ao de governador do estado da Paraíba, pelo PSB, nas eleições de 2010, elegendo-se no segundo turno, com 53,7% dos votos.

Sua segunda gestão foi curta, uma vez que em março de 2010 renunciou à prefeitura para concorrer ao governo do estado em outubro. Numa eleição apertada, em que o primeiro e o segundo candidatos se distanciaram por menos de 10 mil votos, conquistou 49, 74% da preferência dos eleitores e foi para o segundo turno contra Zé Maranhão, candidato do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que conquistou 49, 30% dos votos. 

Com mais de 100 mil votos de vantagem, Ricardo Coutinho venceu as eleições para o governo da paraíba no segundo turno, quando obteve 53, 70% da votação contra 46, 30% dos votos contabilizados pelo seu adversário. Dentre as principais propostas de campanha de Coutinho com vistas ao governo paraibano, destacam-se: a construção de casas e a implantação de um Programa Estadual de Urbanização de Favelas; a pavimentação de rodovias e a integração do litoral do estado ao Rio Grande do Norte e à Pernambuco; a construção de um novo terminal rodoviário em João Pessoa; modernização das estruturas físicas policiais e prisionais; o fortalecimento da rede de saúde e do serviço público de hemodiálise; a criação de escolas técnicas e a estruturação de gerências regionais de ensino.

Em 2011, integrou juntamente com outros governadores um movimento de apoio à presidenta Dilma Roussef (2011-), com o intuito de criar uma fonte de financiamento para a área da Saúde. No mesmo ano, solicitou ao então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o envio de efetivo da Força Nacional de Segurança, para auxiliar na manutenção da segurança pública do estado, durante a greve de policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários do estado.

No pleito de outubro de 2014, concorreu à reeleição. No primeiro turno, obteve 46, 05% dos votos e ficou levemente atrás de Cassio Cunha Lima, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que conquistou 47, 04% da votação. De virada, Ricardo Coutinho venceu as eleições no segundo turno, ao conquistar 52,61% da preferência dos eleitores, contra 47, 39% dos votos válidos do candidato tucano. Tomou posse de seu segundo mandato em janeiro de 2015. Em setembro de 2016 uma pesquisa do IBOPE, publicada pelo jornal Estado de São Paulo, revelou que o governador tinha 61% de aprovação da população de João Pessoa, atingindo a maior popularidade entre os governadores brasileiros em uma capital. 

Durante os dois mandatos de Ricardo Coutinho o governo da Paraíba criou programas que tornaram símbolos de sua administração, como o “Empreender PB”, que concede microcrédito para atender empreendedores locais, residentes no Estado da Paraíba e o “Pacto pelo Desenvolvimento da Paraíba”, parceria entre estado e prefeituras, que recebem recursos estaduais e, em contrapartida, investem na melhoria de serviços básicos para a comunidade. No âmbito da chamada gestão participativa, destacam-se os projetos “Orçamento Democrático”, que visa inserir os paraibanos nas decisões sobre gastos públicos, e “Paraíba pela Paz”, que tem o objetivo de reduzir os índices de criminalidade através de ações de prevenção, ostensivas e repressão qualificada, contando com a participação da sociedade e a articulação com o Ministério Público e Poder Judiciário.

Foi casado com Pâmela Bório. Teve dois filhos.

 

 

FONTES: Portal da Assembleia Legislativa da Paraíba. Disponível em: <http://www.al.pb.leg.br/>. Acesso em 20/10/2009; Portal Eleições UOL. Disponível em: <https://eleicoes.uol.com.br/>. Acesso em 05/02/2017; Portal Estadão. Disponível em: < http://www.estadao.com.br/>. Acesso em 05/02/2010; Portal G1. Disponível em: <http://g1.globo.com/>. Acesso em 05/02/2017; Portal do Governo do Estado da Paraíba. Disponível em: <http://www.paraiba.pb.gov.br/>. Acesso em: 05/02/2017; Portal da Prefeitura Municipal de João Pessoa. Disponível em: <http://www.joaopessoa.pb.gov.br/>. Acesso em 20/10/2009. 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados