HAMILTON VILELA DE MAGALHAES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MAGALHÃES, Hamilton
Nome Completo: HAMILTON VILELA DE MAGALHAES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MAGALHÃES, HAMÍLTON

MAGALHÃES, Hamílton

*dep. fed. PR 1967-1971; sen. PR 1978-1979; dep. fed. PR 1979-1983.

 

Hamílton Vilela de Magalhães nasceu em Santo Antônio da Platina (PR) no dia 7 de fevereiro de 1935, filho de José Vilela de Magalhães e de Marieta Castanheira de Magalhães.

Engenheiro civil, exerceu o cargo de engenheiro-chefe do 14º Distrito Rodoviário de Paranavaí (PR) entre 1962 e 1966.

No pleito de novembro de 1966 candidatou-se a deputado federal pelo estado do Paraná na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instalado no país em abril de 1964, obtendo a primeira-suplência. Tomou assento na Câmara de setembro de 1967 a fevereiro do ano seguinte, em dezembro de 1968, e de outubro de 1969 a janeiro de 1971.

Em novembro de 1970 elegeu-se suplente do senador João de Matos Leão pelo Paraná na legenda arenista. Exerceu a direção do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná de 1974 até maio de 1978, quando assumiu o mandato no Senado em substituição ao titular, apenas oito meses antes do término da legislatura. No Senado, propôs que o governo fornecesse subsídios para os produtores de alimentos a fim de reduzir o custo de vida e diminuir as tensões sociais.

No pleito de novembro de 1978 elegeu-se deputado federal pelo Paraná na legenda da Arena. Deixando o Senado em janeiro de 1979, assumiu o mandato na Câmara em fevereiro seguinte. Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Nas eleições de novembro de 1982, candidatou-se ao Senado pelo estado do Paraná na legenda do PTB, não conseguindo se eleger. Deixou a Câmara em janeiro de 1983, ao final da legislatura.

Abandonando a vida pública, passou a se dedicar ao exercício da profissão de engenheiro, tendo participado de projetos de programas de rodovias alimentadoras para os estados de Santa Catarina e Goiás, ambos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A partir de 1985, intensificou as atividades agrícolas que exercia, desde 1970, no município de Arapoti (PR), investindo na produção de soja, milho e trigo. Na década de 1990 radicou-se novamente em Curitiba passando atuar no ramo editorial, especialmente literatura infanto-juvenil, tornando-se proprietário da livraria Letrinhas - Casa de Cultura. Em junho de 2009, aos 74 anos de idade, fundou a Academia Brasileira das Letrinhas, visando a estimular as crianças a redigirem e publicarem seus próprios trabalhos literários.  

Casou-se com Odete Ferraz de Magalhães, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971); Estado de S. Paulo (10/8/82); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (17/5 e 6/9/78); Perfil (1980); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8 e 9);  http://www.bemparana.com.br/index.php?n=111494&t=uma-academia-brasileira-de-letrinhas (último acesso: 14/12/2009); http://www.letternet.com.br/ (último acesso: 14/12/2009); http://www.letternet.com.br/abletrinhas/ (último acesso: 14/12/2009); O Estado do Paraná (14/06/09).  

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados