BENTES, PAULO DE MENESES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BENTES, Paulo de Meneses
Nome Completo: BENTES, PAULO DE MENESES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BENTES, PAULO DE MENESES

BENTES, Paulo de Meneses

*dep. fed. AM 1949-1951; dep. fed. PA 1955, 1957 e 1958.

 

Paulo de Meneses Bentes nasceu em Manaus no dia 19 de agosto de 1908, filho de Antônio da Gama Bentes e de Ester de Meneses Bentes.

Advogado e engenheiro agrônomo, no pleito de dezembro de 1945 elegeu-se suplente de deputado à Assembléia Nacional Constituinte pelo Amazonas na legenda da União Democrática Nacional (UDN), partido que ajudou a fundar. Assumiu o mandato somente após a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, atuando na Câmara de novembro de 1949 a janeiro de 1951.

No pleito de outubro de 1954, elegeu-se deputado federal pelo Pará na legenda da Aliança Social Democrática, coligação formada pelo Partido Social Democrático (PSD) e o Partido de Representação Popular (PRP). Exerceu o mandato de fevereiro a março de 1955, de agosto a dezembro de 1957 e de março a junho de 1958, participando na Câmara das comissões de Relações Exteriores, Finanças e Valorização da Amazônia. Foi autor do projeto de aposentadoria aos 30 anos de serviço e da proposição de serviço militar obrigatório para as mulheres. Nas eleições de outubro de 1958, concorreu novamente à Câmara dos Deputados, dessa vez pelo Rio de Janeiro, então Distrito Federal, obtendo apenas uma suplência. Em 1959, dirigiu o Banco da Amazônia.

Em 1966, ao ser promovida a reorganização partidária dentro dos moldes do bipartidarismo, foi um dos fundadores do partido de oposição ao governo, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB). No período de março de 1975 a março de 1977, foi assessor especial do secretário de Segurança do Rio de Janeiro, general Osvaldo Domingues.

Paulo de Meneses Bentes foi ainda jornalista, escritor e poeta. Foi membro fundador da Academia Acreana de Letras e da Academia Carioca de Letras e pertenceu à Associação das Academias de Letras do Brasil e à Sociedade de Homens de Letras do Brasil. Foi diretor da Superintendência de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA), da Colônia Agrícola Nacional do Pará, da Fundação Zoobotânica de Brasília e da Colônia Agrícola de Jaguaquara, na Bahia. Foi também procurador da Justiça Eleitoral no Acre e fundador da Legião Amazônica, entidade destinada à defesa dos recursos naturais da região.

Faleceu no Rio de Janeiro em 5 (ou 6) de dezembro de 1979.

Era casado com Carmem Dolores de Sisnando Bentes, com quem teve seis filhos.

Além de lançar as revistas Academia de Letras do Acre e A Selva, publicou várias obras sobre a Amazônia, entre as quais O outro Brasil, Tavares Bastos e a Amazônia, Parongo e A hiléia.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; COUTINHO, A. Brasil; Globo (7/12/79); Jornal do Brasil (15/3/79); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2, 3, 4 e 6).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados