Helena Maria de Freitas Chagas

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CHAGAS, Helena
Nome Completo: Helena Maria de Freitas Chagas

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

CHAGAS, Helena

*Min. Sec. Com. Soc. 2010-2014

 

Helena Maria de Freitas Chagas nasceu no Rio de Janeiro, no dia 13 de outubro de 1961, filha do jornalista Carlos Chagas e Enila Leite de Freitas Chagas.

Formou-se em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB) e passou por grandes veículos da mídia. Iniciou sua carreira no jornal O Globo, em 1982, e posteriormente passou como servidora concursada para o Senado, onde atuou como repórter e produtora dos programas da casa legislativa. Em 1995, retornou ao O Globo coordenadora da área de política, além de ter sido chefe de redação e diretora da sucursal em Brasília.

Nesse período, manteve colunas no jornal O Globo e no jornal Diário de S. Paulo, além de um blog de análise política no portal Globo.com. Em 2006, assumiu a diretoria de jornalismo da sucursal de Brasília do SBT. Ela também foi coordenadora da TV Brasil, da Agência Brasil e do sistema de rádios da Empresa Brasileira de Comunicação, sempre enfatizando matérias relativas à cidadania.

No início do ano de 2010, tornou-se coordenadora de imprensa da campanha de Dilma Roussef. Durante esse processo, Helena teve de lidar com diferentes problemas sobre a formação da equipe da campanha. Marcelo Branco era coordenador da campanha da candidata petista na internet; ele e sua equipe teriam perdido espaço por não terem identificado a campanha negativa contra Dilma na internet, apontada como um dos fatores para que a disputa fosse para o segundo turno.

Ao longo da campanha, Branco teria proporcionado constrangimentos a Dilma, como promover uma mobilização pressionando para que ela participasse de um debate online e também postar uma entrevista da candidata na qual ela cometia deslizes. Em junho de 2010, Helena Chagas contornou a situação e garantiu sua permanência no cargo.

Em julho, o jornalista e consultor Luiz Lanzetta desligou-se da campanha. Uma reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo mostrou que Lanzetta, dono da empresa Lanza Comunicação, responsável pela contratação de jornalistas, teria se encontrado com “arapongas” ligados aos serviços secretos oficiais que produziam ilegalmente dossiês sobre adversários de seus clientes. 

Dilma Roussef venceu as eleições presidenciais daquele ano e Helena Chagas fez parte da composição ministerial de seu governo. Em 9 de dezembro de 2010, foi escolhida como ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Logo no início do mandato de Dilma, Helena Chagas teve de contornar a polêmica sobre a suposta retirada de um crucifixo e de uma bíblia do gabinete presidencial. O jornal Folha de S. Paulo divulgou tal fato, que foi prontamente rebatido por Helena Chagas, ao afirmar que os objetos eram do ex-presidente Lula e que a bíblia permanecia no ambiente. O episódio trouxe à tona a discussão sobre a presença de símbolos religiosos nos espaços públicos.

Em 3 de fevereiro de 2014, deixou o cargo, sendo substituída por Thomas Traumann. Dentre os possíveis fatores para a saída da ministra, especulou-se que poderiam ter sido as constantes pressões sofridas para que a ministra liberasse mais verbas de publicidade do governo federal – uma das atribuições da pasta – ou também a postura da ministra com a imprensa, já que alguns membros do governo esperavam um maior enfrentamento em relação às notícias negativas envolvendo o governo.

Em sua carta de demissão, Helena Chagas disse que o critério adotado para distribuição das verbas de publicidade era de "mídia técnica, que herdamos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que soubemos preservar e aprimorar". A jornalista afirmou ainda no documento que "propiciou a oportuna e equilibrada publicidade governamental de tais ações públicas, trazendo ao cidadão informação clara e objetiva a respeito de seus direitos e das oportunidades que lhe eram postas".

Nas eleições de 2014, Helena Chagas comandou a assessoria de imprensa da campanha de Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e candidato a governador de São Paulo pelo PMDB. Ele ficou em 2º lugar, com cerca de 21% dos votos, no pleito vencido por Geraldo Alckmin, do PSDB.

Atualmente, Helena Chagas é consultora de comunicação, faz parte da equipe do blog sobre política “Os Divergentes” e, esporadicamente, escreve para o “Blog do Noblat do jornal O Globo. 

Casou-se com Bernardo Felipe Estellita Lins e teve dois filhos.

 

FONTES: Portal Terra: http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/coordenadora-de-imprensa-da-campanha-de-dilma-sera-ministra,9e0e63fc8940b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html. Acesso em 01/03/2017; Portal FGV: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/carlos-chagas. Acesso em 01/03/2017; Portal Conversa Afiada: https://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/02/07/mino-helena-chagas-foi-um-fracasso. Acesso em 01/03/2017; Portal Os Divergentes: http://osdivergentes.com.br/quem-somos/#helena-chagas. Acesso em 01/03/2017; Portal O Globo: http://noblat.oglobo.globo.com/artigos/noticia/2016/09/eleicoes-que-eleicoes.html . Acesso em 02/03/2017; Portal Imprensa: http://www.portalimprensa.com.br/noticias/brasil/63651/ministra+helena+chagas+da+secretaria+de+comunicacao+social+deixa+a+pasta. Acesso em 02/03/2017; Portal Baguete: http://www.baguete.com.br/noticias/internet/25/10/2010/branco-escanteado-na-campanha-do-pt. Acesso em 02/03/2017; Portal O Cafezinho: http://www.ocafezinho.com/2014/01/30/helena-chagas-sera-demitida/. Acesso em 04/03/2017;  Portal JB: http://www.jb.com.br/pais/noticias/2010/07/22/apesar-das-criticas-branco-continua-na-campanha-de-dilma/. Acesso em 04/03/2017; Portal Zero Hora: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2010/06/envolvido-no-escandalo-do-dossie-luiz-lanzetta-deixa-campanha-de-dilma-2927883.html. Acesso em 04/03/2017; Portal Estadão: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,em-carta-de-demissao-helena-chagas-rebate-criticas-do-pt,1125407.  Acesso em 05/03/2017; Portal O Globo: http://oglobo.globo.com/brasil/sob-pressao-do-pt-helena-chagas-deixara-secretaria-de-comunicacao-social-11459377. Acesso em 05/03/2017; Portal Exame: http://exame.abril.com.br/brasil/ex-ministra-de-dilma-embarca-na-campanha-de-skaf/ . Acesso em 05/03/2017; Portal G1: http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/sp/apuracao-votos.html . Acesso em 05/03/2017; Portal Blog do Sakamoto: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2011/01/09/dilma-tira-crucifixo-do-gabinete-falta-o-resto-do-pais/. Acesso em 05/03/2017; Portal Caras: http://m.caras.uol.com.br/mobilesite/noticia/aecio-neves-em-pre-estreia. Acesso em 05/03/2017; Portal Revista Fórum: http://www.revistaforum.com.br/mariafro/2011/03/25/nunca-dantes-tanta-mulher-no-poder/. Acesso em 06/03/2017.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados