LAGO, LAURO CORTEZ

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LAGO, Lauro Cortez
Nome Completo: LAGO, LAURO CORTEZ

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LAGO, LAURO CORTEZ

LAGO, Lauro Cortez

*rev. 1935.

Lauro Cortez Lago nasceu em Natal no dia 29 de março de 1904, filho de Alfredo Antônio Pereira de Lago e Maria das Dores Cortez Lago.

Após terminar seus estudos em Natal no Colégio Santo Antônio, foi admitido, em 1923, no Departamento de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte, tendo chegado a superintendente do presídio estadual.

Membro do Partido Comunista Brasileiro, então Partido Comunista do Brasil (PCB) desde 1933, Lauro, ao lado de José Praxedes participou da organização do partido em seu Estado. Em abril de 1935, na conferência do Comitê Regional do Rio Grande do Norte, Lauro foi eleito para o secretariado regional, passando a participar ativamente não só das atividades do PCB, como também, e sobretudo, da organização da Aliança Nacional Libertadora (ANL) — organização política criada em março de 1935, reunindo várias correntes oposicionistas e sob a liderança do PCB — no estado. Nesse sentido, esteve intimamente envolvido com os preparativos da revolta comunista que eclodiu em Natal no dia 23 de novembro de 1935. O movimento, antecipando-se às ordens da direção geral do PCB que deveria coordenar-se com levantes semelhantes nas principais capitais e no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, foi deflagrado com a sublevação do 21º Batalhão de  Cavalaria (BC) localizado na capital potiguar. Contando com o apoio da direção estadual do PCB e com uma parcela da população de Natal, o movimento logo se estendeu para diversas cidades do interior.

No dia 25, organizou-se, em Natal, um comitê revolucionário de governo. O manifesto de constituição do comitê tinha por base o programa da ANL. Nessa ocasião, Lauro Cortez Lago fez um discurso em praça pública saudando a revolução e Luís Carlos Prestes. Logo depois, foi eleito por aclamação membro do Comitê Popular Revolucionário, assumindo a Secretaria do Interior e da Justiça. Sua principal atribuição era organizar forças de segurança para manter a ordem nas cidades controladas pelos revoltosos.

Todavia, em pouco tempo as tropas legalistas começaram a retomar o controle da situação nas cidades do interior. O comitê revolucionário de Natal decidiu abandonar a cidade, refugiando-se em Canguaretama. Ao cabo de uma semana, Lauro Cortez Lago se entregou às forças governistas. Preso no dia 28 de novembro, foi conduzido para a Casa de Detenção de Natal com os demais envolvidos no movimento, sendo transferido em março de 1936 para o Rio de Janeiro, passando pela Casa de Detenção, e depois para o presídio da ilha Grande.

Solto no dia 29 de junho de 1937, mediante a aprovação de um habeas-corpus, seguiu viagem para Salvador. Em virtude da revogação de sua soltura, foi novamente preso na capital baiana e de lá transferido para a Casa de Detenção de Natal. Permaneceu detido até seu julgamento pelo Tribunal de Segurança Nacional, em 1938, quando foi condenado a dez anos de reclusão. Em 1942, foi transferido para a ilha Grande, onde cumpriu o restante de sua pena.

FONTES: ARQ. DOPS; ARQ. MEMÓRIA OPERÁRIA RJ; COSTA, H. Insurreição; LEVINE, R. Vargas; PACHECO, E. Partido; PESSANHA, E. Partido; PINHEIRO, P. Estratégias; SEGATTO, J. Breve; SEGATTO, J. PCB; SILVA, H. 1935; SODRÉ, N. Intentona; VIANA, F. Prestes; VIANA, M. Revolucionários.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados