LIBERO, CASPER

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LÍBERO, Cásper
Nome Completo: LIBERO, CASPER

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LÍBERO, CÁSPER

LÍBERO, Cásper

*jornalista.

 

Cásper Líbero nasceu em Bragança Paulista (SP) no dia 2 de março de 1889, filho de Honório Líbero e de Zerbina Toledo Líbero.

Cursou o Ginásio do Estado, ingressando a seguir na Faculdade de Direito de São Paulo. Ainda como estudante universitário, apoiou a Campanha Civilista que promoveu a partir de 1909 a candidatura de Rui Barbosa à presidência da República em oposição à do marechal Hermes da Fonseca, afinal eleito no pleito de março de 1910. Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais ainda em 1909, defendendo tese relacionada à doutrina do pan-americanismo, à qual se filiava.

Passando a se dedicar exclusivamente ao jornalismo, fundou e foi o primeiro diretor da Agência Americana, primeira organização criada no Brasil com o objetivo de distribuir notícias à imprensa.

Ocupou em seguida a chefia da sucursal de O Estado de S. Paulo no Rio de Janeiro, fundando mais tarde, com Olegário Mariano, Raul Pederneiras e Luís Peixoto, o jornal Última Hora, fechado por sua posição antigovernista. Afastou-se então da imprensa, passando a exercer a função de procurador da Fazenda em Mato Grosso. Pouco tempo depois retornou às atividades jornalísticas, assumindo em 1918 a direção de A Gazeta, que se transformou, durante sua administração, em importante órgão da imprensa paulista. Atuando também no campo do jornalismo esportivo, fundou A Gazeta Esportiva, através da qual incentivou a educação física e promoveu grande número de disputas atléticas, entre as quais as corridas de Nove de Julho (de ciclismo) e a corrida de São Silvestre, ambas até hoje realizadas anualmente. Criou também a Rádio Gazeta e o semanário de literatura intitulado Gazeta Magazine, posteriormente reunidos, juntamente com os dois jornais citados e uma escola de jornalismo, na Fundação Cásper Líbero.

Apoiou a Revolução Constitucionalista de julho de 1932, que opunha as correntes políticas tradicionais de São Paulo às correntes tenentistas e ao governo federal que as apoiava. Após a derrota do movimento pelas forças legalistas em outubro do mesmo ano, foi preso. Exilado na Europa, participou em Lisboa da recepção aos revolucionários de 1932, expulsos pelo governo brasileiro, transferindo-se a seguir para Paris.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 27 de agosto de 1943 em desastre aéreo.

 

 

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; BEHAR, E. Vultos; CONSULT. MAGALHÃES, B.; Efemérides paulistas; Grande encic. Delta; SILVA, H. 1932; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados