Reditário Cassol

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CASSOL, Reditário
Nome Completo: Reditário Cassol

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

CASSOL, Reditário

*dep. fed. RO 1991-1995.

 

Reditário Cassol nasceu em Concórdia (SC) no dia 7 de abril de 1936, filho de Ângelo José Cassol e de Rosália Juliane Cassol. Seu irmão, Olivindo Cassol, foi prefeito do município de Dois Vizinhos (PR) de 1993 a 1996.

Prefeito do município de São Miguel (SC) de 1965 a 1966, no pleito de novembro desse ano elegeu-se vereador em Maravilha (SC) na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instaurado no país em abril de 1964. Empossado em 1967, foi reeleito em novembro de 1972 e presidiu a Câmara Municipal até o encerramento do mandato, em 1977.

Transferindo-se para Rondônia, com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a consequente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e nessa legenda candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados no pleito de novembro de 1982, obtendo a segunda suplência. Em novembro de 1986 foi eleito deputado estadual constituinte em Rondônia, para a legislatura 1987-1991. Primeiro-secretário da Assembleia Legislativa e titular da Comissão de Agricultura, presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banco do Estado de Rondônia e ainda participou da CPI da Companhia Estadual de Águas e Esgotos.

Em outubro de 1990 foi eleito deputado federal por Rondônia na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Assumiu o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 1991, e nesse mesmo ano filiou-se ao Partido Trabalhista Renovador (PTR). Titular da Comissão de Agricultura e Política Rural e suplente da Comissão de Minas e Energia, integrou a CPI que investigou irregularidades na previdência social. Já de volta ao PTB, não compareceu à sessão da Câmara dos Deputados que em 29 de setembro de 1992 aprovou o pedido de abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias. Afastado da presidência logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, sendo efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde 2 de outubro.

Ainda em 1992, Reditário Cassol saiu do PTB e filiou-se ao Partido Progressista (PP). Em outubro do ano seguinte foi acusado de ter recebido dinheiro do deputado Nobel Moura em troca de sua filiação ao Partido Social Democrático (PSD). Em virtude disso, o corregedor-geral da Câmara, deputado Fernando Lira, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), propôs a sua cassação por quebra de decoro parlamentar, medida que afinal não se efetivou. No período seguinte, votou a favor da criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte suplementar de recursos destinados à saúde, e da criação do Fundo Social de Emergência (FSE), que permitia ao governo gastar até 20% dos recursos vinculados às áreas de saúde e de educação. No pleito de outubro de 1994, concorrendo pela legenda do PP, não conseguiu se reeleger, obtendo a quarta suplência. Deixou a Câmara ao término da legislatura, em janeiro de 1995. Em agosto filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB), resultante da fusão do PP com o Partido Progressista Renovador (PPR).

Proprietário da Madeireira Cassol Ltda. e agropecuarista, foi ainda prefeito de Colorado do Oeste (RO).

Casado com Elga Bergamin Cassol, teve seis filhos. Entre eles, destacaram-se na vida política César Cassol, que foi prefeito de Santa Luzia d’Oeste (RO) de 1989 a 1993 e deputado estadual de 1995 a 2003; Ivo Cassol, que foi prefeito de Rolim de Moura (RO) de 1997 a 2002 e governador de Roraima de 2003 a 2007, reeleito no pleito de 2006; e Darcila Teresinha Cassol, que foi prefeita de Alta Floresta d’Oeste (RO) de 2001 a 2005.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Estado de S. Paulo (20/10/93); Folha de S. Paulo (18/9/94); INF. BIOG.; Perfil Parlamentar/IstoÉ; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/deputados/index. html/loadFrame.html>. Acesso em: 13 nov. 2009; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1998).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados